SIC Blogue entrevista Daniel Oliveira

Falar no nosso entrevistado é falar de um pouco da história da estação de Carnaxide. No ano em que a SIC comemora o seu 25.º aniversário estivemos à conversa com Daniel Oliveira que além de coordenar vários programas no canal, ser diretor da SIC CARAS é atualmente Coordenador Editorial dos 25 anos para a área de Entretenimento. 

Estamos no início da Digressão SIC de Todos Nós. Que expectativas guarda para os próximos meses? 
Estou à espera de uma grande proximidade entre quem faz e quem vê. As pessoas sentem pertença da SIC e a SIC também sente isso em relação às pessoas. As filas para entrar naquilo que é o mundo SIC diz bem dessa proximidade que temos há 25 anos. Se o primeiro minuto é assim, os restantes vão ser ainda melhores...


Falar de si é falar da história do canal, primeiro por Os Donos da Bola e mais recentemente por vários formatos. Quais são as memórias que guarda destes seus 19 anos ainda que com interregno pelo meio? 
Indubitavelmente as minhas memórias passam pelo meu arranque na SIC em 1997. Era muito novo, tinha 16 anos, e a minha entrada para a SIC transformou toda a minha vida e tudo o resto que se seguiu. Enquanto trabalhador centram-se nesses primeiros momentos e depois muitas outras coisas que vivi no canal e que fazem parte da minha vida. 

No ar desde 2009 o Alta Definição tem trazido convidados de várias áreas. É importante manter esta diversidade? 
Sim, procuramos essa diversidade desde o arranque não ficando circunscrito a uma área do espetáculo ou artística porque o Alta Definição é um programa de histórias e conversas. Há muitas pessoas de várias áreas que são passíveis de serem entrevistadas no programa e quando no início abrimos o leque para vários ângulos de abordagem permitiu que hoje o programa seja respeitado como é. 


Quem é que ainda não conseguiu entrevistar? 
Faltam muitas pessoas entrevistar e falta fazer novas conversas com muitas pessoas que já lá estiveram. Oito anos de programa é muito tempo e a história de vida das pessoas muda muito. Já aconteceu em alguns casos termos de novo o convidado. Portugal tem uma mão cheia de convidados que são passíveis de irem ao Alta Definição. 

Só portugueses ou estrangeiros como faz regularmente com atores brasileiros? 
Enquanto conceito, o Alta está circunscrito à língua portuguesa uma vez que o ritmo de edição é muito acelerado e quando assim não fosse seria mais complicado num formato como este. Para o acompanhamento da legenda respetiva a edição teria de ser muito rápida e, apesar disso, estamos abertos a bons convidados nacionais e internacionais.

1 comentário:

Joaquim Pereira disse...

São poucas as que dá mas esta é daquelas para guardar! Parabéns ao blogue!

Com tecnologia do Blogger.