SIC e outros órgãos impedidos de filmar na Figueira

Apesar de devidamente credenciados, vários órgãos de comunicação social foram impedidos de entrar no casino, tendo o relações públicas da empresa da Figueira da Foz, Rosa Carlos, justificado a decisão como sendo da responsabilidade do FC Porto, enquanto Pedro Amorim, da assessoria de imprensa dos "dragões", devolveu a responsabilidade para o casino da Figueira.
O assessor disse ainda ter sido informado de que as entradas para a comunicação social tinham sido feitas através de convites, o que foi prontamente desmentido por um jornalista de um órgão local, que afirmou não ter recebido convite e justificou: "Limitei-me a solicitar acreditação, que me foi concedida".
À porta do casino ficaram os jornalistas da RDP, Sapo Desporto, agência Lusa e Rádio Renascença, tendo ainda sido referido no local que outros órgãos, como a SIC, TVI, A Bola e Record, também estavam entre os órgãos impedidos.

Comentários