Filme sobre a crise grega na SIC Notícias

O filme "Debtocracy" (ou "Dividocracia", em português) tem 74 minutos e apresenta uma explicação detalhada sobre as causas da crise financeira que a Grécia atravessa neste momento, relacionando-a com toda a complexa situação mundial e apontando soluções possíveis para uma saída (e que passam por não pagar parte da dívida pública aos credores internacionais e por ).
A SIC Notícias decidiu transmiti-lo este domingo, às 23 horas, tornando-se assim o primeiro canal de televisão na Europa a pô-lo no ar. A transmissão vai ser seguida de um debate moderado pelo jornalista Mário Crespo e com a presença dos economistas João Duque e Octávio Teixeira.
Aris Hatzistefanou e Katerina Kitidi, jornalistas e realizadores, juntaram-se a Leonidas Vatikiotis, jornalista e economista especializado em crises económicas, e montaram uma campanha de recolha de donativos nas redes sociais para recolherem dinheiro suficiente para produzir "Debtocracy".
Conseguiram-no. Lançado em Abril na internet, num esquema de direitos de transmissão gratuitos, o documentário rapidamente se transformou num fenómeno de popularidade. Foi mostrado nas praças de quase todas as cidades gregas e começou a circular em cidades de outros países da Europa. Jornais e televisões de todo o mundo fizeram peças sobre ele.

"O melhor filme de análise económica marxista alguma vez feito"
O diário britânico "The Guardian" considerou-o "o melhor filme de análise económica marxista alguma vez feito", descrevendo a forma viral com que tem sido visto como uma espécie de "samizdat" da dívida pública grega. "Samizdat" era o termo russo que se usava no Bloco Soviético para passar informação clandestinamente de mão em mão.
A verdade é que até agora, mais de dois meses depois do seu lançamento, e apesar de o filme ser gratuito, tirando o caso de alguns canais alternativos na Grécia, "Dividocracia" ainda não foi transmitida por qualquer televisão na Europa. "Nós não temos conhecimento de nenhum canal de televisão na Europa que o tenha posto no ar", admite Aris Hatzistefanou ao Expresso, "embora ele tenha sido falado e sido objecto de reportagens especiais em programas de televisão em todos os cantos do mundo, incluindo na BBC, na CNN, na Al Jazeera e em todas as outras".

Comentários