DANCIN' DAYS

estreia SEGUNDA na SIC a novela onde vale a pena sonhar!

ÍDOLOS

Domingo temos músicas do século XXI com os 10 finalistas

BOA TARDE

O talk show das tardes da SIC

ROSA FOGO

Assiste à novela no horário nobre da SIC

FINA ESTAMPA

Já estreou na SIC!

30 de abril de 2009

Análise das Audiências do Nós Por Cá

Desde o início do ano que Conceição Lino apresenta o Nós por Cá na SIC antes do Jornal da Noite. O Portugal insólito e caricato são o destaque do programa que conta também em estúdio com a presença regular de uma figura pública.
Até à data, foram transmitidos 75 emissões do programa apresentado por Conceição Lino e registam 6.6% de audiência média e 20.4% de share. Pela positiva, o destaque do Nós por Cá vai para a emissão de 17 de Fevereiro, que alcançou 9.6% de audiência média e 28.3% de share.
No perfil de audiência por região, o Nós por Cá obtém a melhor adesão junto da população residente no Interior do País. Por classe social, predomina a Classe D com um consumo de audiência de 40%. Por Género, o programa de Conceição Lino é o preferido da população Feminina. Por faixa etária, o melhor perfil de audiência pertence aos indivíduos com mais de 64 anos que são responsáveis por mais de 26% da audiência do programa.
fonte: site Marktest

Futsal é na SIC Radical!

O jogo entre o Belenenses e o Benfica, relativo à última jornada da fase regular do campeonato nacional da 1.ª divisão, vai ser transmitido em directo na SIC Radical. Este encontro tem o pontapé de saída marcado para as 16:00h do próximo domingo.
Recorde-se que o jogo entre o Fundão e o Sporting, marcado para as 16:00h de sexta-feira, também vai ser transmitido em directo na SIC Radical.
fonte: SCN

Ophra pela primeira vez na SIC Generalista

O programa da Oprah Winfrey vai ser transmitido pela primeira vez na SIC generalista. O motivo é a presença dos pais de Maddie McCann no "talk show".
A participação do casal inglês já foi gravada e integrará a edição do "Oprah Winfrey show" da próxima segunda-feira nos Estados Unidos. Em Portugal, a sua exibição ainda não tem data definida, mas, segundo a estação de Carnaxide, acontecerá logo que o material ficar disponível e em horário de destaque. Em princípio, acontecerá durante o mês de Maio.
Na entrevista dirigida pela apresentadora norte-americana, Madeleine McCann chega a emocionar-se ao ver uma foto da filha desaparecida com um rosto de seis anos, imagem que foi trabalhada por peritos. A criança inglesa desapareceu do seu quarto, na praia da Luz, a 3 de Maio, faz agora dois anos.
O programa da Oprah é transmitido regularmente em Portugal através da SIC Mulher com alguns meses de atraso em relação à emissão norte-americana. Estreado em 1986, o "talk show" deixou em meados dos anos 90 uma linha mais sensacionalista. Uma das suas edições mais vista foi a entrevista ao Michael Jackson.
fonte: site JN

Malucos do Riso mantem-se em destaque na SIC

A nova série dos “Malucos do Riso” estão a ajudar a SIC a recuperar, ainda que ligeiramente, as audiências no seu horário nobre, aparecendo sistematicamente no top5 dos programas mais vistos.
É certo que não é nenhum feito, até porque continua bem longe das novelas da TVI, mas são sempre mais ums pontos de share, que no final de contas ajudam o canal de Nuno Santos a reforçar a segunda posição no geral do dia.
Os “Malucos do Riso” têm sido várias vezes a tábua de salvação para as audiências do canal de Carnaxide, mas os muitos anos de várias repetições acabaram por cansar os espectadores, acabando por sairem do ar. Regressam agora, segundo a SIC, com novas anedotas, novos cenários e novos actores. Incólume continua a TVI, que se mantém fixa no topo das audiências.

"Aqui e Agora" com sexo

O programa de debate da SIC moderado por Rodrigo Guedes Carvalho versará esta quinta-feira o tema da sexualidade.
Com a presença em estúdio de especialistas, como o psiquiatra Francisco Allan Gomes, Pedro Nobre, promotor do primeiro Laboratório Sexual do país, a psicóloga Alexandra Oliveira, ou Ana Anes, cronista e escritora de textos eróticos, o "Aqui e agora" irá discorrer acerca das particularidades do sexo.
Desde o modo como é encarado pelos portugueses, nomeadamente na óptica de ainda constituir para muitos um tabu, a relacionamentos sexuais entre idosos, até ao acesso sem limites a toda a iconocrafia sexual, designadamente no que se refere à privacidade, ou falta dela, na Internet, irão ser alguns dos aspectos abordados.
fonte: JN

29 de abril de 2009

Camilo de Oliveira - habilite-se a ganhar a biografia

Camilo de Oliveira, o decano dos humoristas portugueses, vai lançar uma biografia. “As Regras da Minha Vida” retrata uma carreira de décadas. A SIC Online associa-se à homenagem ao grande actor e faz a pré-publicação do livro, da editora “A Esfera dos Livros”. Depois de ler AQUI, pode enviar-nos um texto com a sua opinião sobre Camilo de Oliveira . Os 10 melhores textos receberão o livro gratuitamente. Participe e associe-se a esta homenagem em http://sic.aeiou.pt/online/entretenimento/camilo-de-oliveira-biografia/default!

27 de abril de 2009

Especial sobre o caso Maddie

A entrevista do casal McCann a Oprah Winfrey vai passar em Portugal. O episódio faz parte do pacote comprado para exibição no canal cabo SIC Mulher, que passa habitualmente o talk show de Oprah, apurou o CM. Mas a estação de Carnaxide está a negociar a exibição daquele episódio para breve também na SIC generalista.
O especial foi gravado em Chicago, nos EUA, e nele os pais de Madeleine McCann, a menina que desapareceu há dois anos da Praia da Luz, Algarve, revelaram alguns detalhes da sua vida actual. A mãe, Kate, de 41 anos, afirmou acreditar que a filha está viva e garantiu que o quarto da menina está intacto, na casa da família no Reino Unido.
Kate McCann comoveu a audiência do programa ao chorar perante a simulação de uma imagem de Maddie com seis anos, a idade que terá hoje.
fonte: site CM

26 de abril de 2009

Oito anos da SIC Radical vistos pelo director

Continua a ser interessante que as pessoas insistam em me dizer que não vêem televisão. Que já não vêem televisão. Imagino que se eu vendesse sapatos, me diriam que agora só andam descalças. E depois acrescentam imensas sentenças sobre televisão, como a fazer e que programas transmitir. Seria como a pessoa que agora só anda descalça, desatasse a ensinar e a sugerir ao vendedor e fabricante de sapatos, quais as últimas tendências, formas e design de sapatos.
Suponho que esta necessidade de as pessoas se declararem abstémias de televisão resulta de uma certa inferioridade que é atribuída a este meio. Da mesma forma que um livro é, em princípio, melhor que uma revista ou que peixe fresco é, em princípio, melhor que peixe congelado. Cinema, teatro, e agora a Internet, serão, nesta linha de raciocínio, superiores à televisão. Discordo. E falo como espectador. Sempre que posso repito que Portugal tem uma oferta de televisão muita boa. Mais de metade do país tem acesso a televisão paga e os canais disponibilizados pelos operadores tornam as gripes muito mais fáceis de suportar. A qualquer hora do dia, as melhores séries, os melhores documentários e os melhores filmes do mundo, sejam actuais, sejam antigos, estão disponíveis em Portugal. Noutros países, isso é pago à parte. A oferta de Cabo básica é bastante inferior, em qualidade e quantidade, à nossa. E não há canais como a SIC Radical. Não há mesmo. Um canal como a Radical, que hoje completa oito anos, é um caso extremamente invulgar em todo o mundo. Nas conversas nas feiras internacionais de televisão, quando informo que no canal há o Seinfeld, o Daily Show, o Late Night Com Jimmy Fallon, Dr. Who, South Park, Family Guy, Shameless, Buffy, Naruto, Scrubs, entre outras, suscito sempre o espanto de quem me ouve. Não estão habituados a ouvir que haja canais com uma grelha tão poderosa. E até estou a ser incompleto porque é inútil referir as séries nacionais, que para um americano ou um inglês são desconhecidas. Não posso portanto falar do Gato Fedorento, do Vai Tudo Abaixo do Jel, do Cabaret da Coxa, ou, mais recentemente do Programa do Aleixo. Nem do facto de a Radical, desde logo, ter lançado caras e figuras que estão hoje na televisão generalista. A Radical, por causa do seu perfil e por poder correr mais riscos, pode lançar programação nacional original, inovadora e irreverente. Não temos subsídios do Estado, mas na SIC é uma exigência procurar e encontrar talento português. A Radical serve também para dar oportunidades a criadores e autores nacionais. E paga-lhes para isso. Não há outra televisão em Portugal a fazê-lo nem somos obrigados por lei a ir por este caminho. É importante sublinhar isto: nesta empresa existe a ambição de correr riscos. Fazemos o que fazemos porque queremos. Esta aposta constante e permanente em programação nacional de ruptura está no ADN da Radical desde o primeiro dia. E vai continuar. A esmagadora maioria dos nomes de programas que cito foram escolhas anteriores à minha entrada no canal. São excelentes escolhas. Porque a Radical sempre foi feita por pessoas que gostam de televisão. Para pessoas que gostam de televisão. A SIC Radical, apesar do nome remeter para saltos de parapente ou tubos de surf, é acima de qualquer coisa um canal de cabo com bons (e alguns muito bons) programas de televisão. E a ideia é precisamente essa.

25 de abril de 2009

Cavaco Silva gostou de "Portugal é de todos"

Francisco Pinto Balsemão, presidente do Grupo Impresa , entregou esta manhã ao Presidente da República, Cavaco Silva, o conjunto de propostas para melhorar o país que os portugueses enviaram para o Expresso, SIC , Visão e AEIOU , no âmbito da iniciativa Portugal é de todos . O projecto assinala os 35 anos do 25 de Abril.
A acompanhar Francisco Pinto Balsemão estiveram Henrique Monteiro, director do Expresso, Alcides Vieira, director de informação da SIC, Pedro Camacho, director da Visão, e António Coutinho, administrador do AEIOU..
No ano em que se comemoram os 35 anos do 25 de Abril , Expresso, SIC, Visão e o portal AEIOU juntaram-se numa iniciativa conjunta e pediram aos cidadãos que sugerissem com ideias que pudessem contribuir para um Portugal melhor.
Através da Internet, nos sites do Expresso, SIC, Visão e AEIOU, foi possível enviar propostas subordinadas a três temas: reforçar a liberdade, aprofundar a democracia e construir uma sociedade mais solidária. A adesão dos portugueses à iniciativa foi grande. Ao todo, 1193 pessoas reflectiram sobre o espírito da Revolução de Abril. Várias personalidades se juntaram ao Portugal é de Todos.
O deputado social-democrata Luís Cirilo, a professora universitária Maria Filomena Mónica, o encenador e director dos "Artistas Unidos" Jorge Silva Melo, o investigador do IPRI Henrique Raposo, o professor universitário e eurodeputado socialista Joel Hasse Ferreira e o economista, catedrático do ISEG e ex-secretário de Estado Rui Carp são alguns dos nomes mais sonantes da lista de todos os que quiseram contribuir para um Portugal melhor.
Ao princípio da tarde, a delegação presidida por Francisco Pinto Balsemão foi à Assembleia de República, para proceder à entrega das propostas, recolhidas em formato digital, ao presidente do Parlamento.
Jaime Gama acolheu a iniciativa de bom grado e pôs-se à disposição para fazer chegar os documentos a diversas instâncias e, particularmente, a todos os grupos parlamentares de São Bento. Gama disponibilizou-se para tentar divulgar as propostas dos leitores e espectadores do Grupo Impresa através da rede digital interna da Assembleia da República.
fonte: site EXPRESSO

Novo programa de norte a sul no Verão

A programação de Verão da SIC é marcada pela "produção interna de um novo formato que vai percorrer o País" e que visa "recuperar e reforçar a proximidade do telespectador", revela ao CM Luís Marques, director-geral da estação.
O novo programa, ainda sem nome, com estreia marcada para Julho, tem por objectivo "aproveitar o Verão para recuperar essa lógica de proximidade que é tradição do canal", explica Luís Marques, acrescentando: "Vamos retirar a SIC dos estúdios para o país real."
Este formato vai andar na estrada durante os meses de Julho, Agosto e Setembro, "tem a particularidade de ter direcção de produção da SIC, em colaboração com o Manolo Bello", sublinha o director-geral. A aposta na produção própria é, de facto, o grande trunfo do canal para os próximos tempos. "Achamos que a SIC tem o ‘know how’ e tem recursos para o fazer – já o fez no passado. Claro que poderemos precisar de alguns apoios, mas achamos que temos condições e profissionais para o conseguir."
O formato vai ocupar o horário de ‘Contacto’, que pode não voltar após a época estival. "Vão existir algumas alterações nos programas da manhã e da tarde. Poderão surgir novos formatos", esclarece ainda o director-geral da estação, garantindo a estreia, para o final de Maio, do concurso de origem japonesa ‘Hole in the Wall’.
As eleições europeias irão ocupar a antena da SIC durante o mês de Junho.
fonte: site CM

24 de abril de 2009

Portugal é de todos nas mãos do PR

video

Debate Europa hoje na SIC e SIC Notícias

SIC com emissão especial das 10h às 20h

(...)
Por sua vez, a SIC promete, para esta sexta-feira, uma homenagem a 35 heróis anónimos, tantos quantos os anos que passaram desde a Revolução. Nesta operação que decorrerá entre as 10 e as 19 horas e cuja apresentação caberá a Rita Ferro Rodrigues vão actuar vultos da música nacional de que são exemplo Paulo de Carvalho, ou Paco Bandeira.
(...)
fonte: site JN

23 de abril de 2009

Vida Privada de Salazar dia 30 nos CINEMAS

"Salazar, a vida privada", versão cinematográfica de uma série televisiva que ficcionou a vida do político, realizada por Jorge Queiroga, chega no dia 30 às salas de cinema, informou hoje a produtora Valentim de Carvalho Filmes.
Depois de se ter estreado em Fevereiro na SIC como uma mini-série de dois episódios, intitulada "A vida privada de Salazar", a produção da VC Filmes estará agora nos cinemas com uma nova montagem que se centra na fase final da vida de Salazar.
O filme vai estrear-se dois dias depois de se cumprirem 120 anos do nascimento de António de Oliveira Sallazar, estadista, político, Presidente do Conselho de Ministros entre 1932 e 1968, no período do Estado Novo.
fonte: site EXPRESSO

22 de abril de 2009

Antevisão da Gala dos Globos de Ouro

video

21 de abril de 2009

Especiais a partir das 10

Cerca de sete horas a fio de emissão seguidas é o que a estação de Carnaxide promete para a sua grelha de quinta-feira. Subordinado ao tema "Dia de surpresas", 23 de Abril será pautado por um especial com início agendado para as 10 horas e que se prolongará pelo dia inteiro.
Daniel Oliveira, Sofia Cerveira, José Figueiras e Liliana Santos serão os apresentadores de serviço, tendo a cargo a condução de várias surpresas anunciadas pelo canal.
Do pacote de presenças destacam-se nomes incontornáveis do panorama artístico português como os de Simone de Oliveira, Carmen Dolores, Marco Paulo, Carlos do Carmo, António Feio, entre outros.
Para o dia seguinte a SIC tem reservada para os espectadores mais uma maratona, desta feita adjacente às comemorações do 35º aniversário do 25 de Abril. Homenagens a 35 heróis anónimos e outras tantas recordações de músicas, que indelevelmente estiveram associadas ao período que estes anos encerra, fazem parte do leque da oferta da estação para dia 24.
fonte: site JN

18 de abril de 2009

"Episódio Especial" com nova dinâmica

Uma constante reinvenção dos formatos de "light" parece ser apanágio de Carnaxide. A lufada de rubricas diferentes que irá refrescar "Episódio especial", promete surpreender. Um deles prende-se com o advento da net.
Há que manter a máquina bem oleada. E uma das apostas mais bem sucedidas da SIC nos últimos tempos, os formatos de "light entretainment" é alvo de permanente investimento quanto a uma renovação continuada, por forma a estreitar laços com o público. "Tá a gravar", "Fama Show" e "Episódio especial", que se entroncam no género em apreço, são casos paradigmáticos na obtenção de bons resultados de audiências.
Este último sofrerá, a partir de hoje, algumas alterações, consubstanciadas em novos espaços. Adivinha-se pois, a impressão de uma dinâmica que solidifique a fidelização dos espectadores. Vocacionado para a ficção, quer nacional, quer brasileira, juntam-se agora à receita de "Episódio especial" ingredientes inéditos. "Superstições", "O que vai acontecer", ou "Aulas de surf" constituem apenas alguns dos que, doravante, se somam ao conteúdo.
Porém, de acordo com fonte interna da estação, será "Episódio directo", aquele que mais impacto suscitará. Os apresentadores revelarão todas as semanas, o nome de uma figura pública que às segundas-feiras, entre as 18 e as 19 horas, estará num "vídeo chat" no site do formato, para responder às perguntas que lhe sejam endereçadas. A convidada inaugural da iniciativa será a actriz Joana Alvarenga, que integra "Rebelde way".
O magazine do princípio das tardes de sábado conta, desde o início, com a apresentação de Sofia Cerveira. A Miguel Domingues, que partilhava a sua condução, substituiu-se-lhe Ricardo Pereira, que tem vindo a dar cartas nas novelas por terras de Vera Cruz, tendo, recentemente, protagonizado "Negócio da China" da Globo, pelo que se ausentou.
A emissão de hoje, além de estar marcada pelo regresso de Ricardo Pereira a estúdio, conta ainda com uma estrela extra. Angélico Vieira será a atracção deste "Episódio especial". O cantor, apostado numa carreira a solo, viajou com a equipa do programa até Maceió, no Brasil, onde desvelou pormenores da sua esfera íntima, sendo que, paralelamente, mergulhou em actividades veiculadas pelo cenário paradisíaco.
fonte: site JN

Actor de "Jaime" no Perdidos e Achados

O actor Saúl Fonseca, protagonista do filme “Jaime”, de António Pedro Vasconcelos é o tema do “Perdidos e achados” de sábado. O programa da SIC evoca a reportagem de 1999, assinada pelo jornalista Mário Augusto, que contava a história do menino de 12 anos que começava uma carreira promissora. Dez anos depois, Saúl, conta o que aconteceu àquela que parecia ser uma carreira promissora.
“Jaime”, que ainda é um dos filmes mais vistos do cinema português, aborda a questão do trabalho infantil, através da vida de uma criança que sonhava juntar os pais.
fonte: site JN

17 de abril de 2009

SIC por Portugal no Verão

A partir de Julho, a estação de Carnaxide vai sair de casa e percorrer o País durante as manhãs e as tardes. A ligação entre o canal de Pinto Balsemão e a produtora Comunicasom vai ser revista também para depois do Verão.
A SIC vai tentar reencontrar-se com o País a partir do Verão. No fundo, é uma espécie de regresso às origens, aos tempos em que o canal de Pinto Balsemão estava mais próxima dos cidadãos e não fechada sobre si própria em Carnaxide e na Av. Pedro Álvares Cabral, em Lisboa (Comunicasom).
O DN sabe que é este o plano da dupla Luís Marques e Nuno Santos (director-geral e director de programas, respectivamente), que funcionou com sucesso na RTP em 2007. As fracas audiências para as ambições da SIC, a que se junta a crise económica que já se instalou nos media, obrigam a novas lógicas de programação e gestão financeira. Neste sentido, há que encontrar um novo caminho e será o chamado day time (as manhãs e as tardes) que vai sofrer maiores alterações já a partir de Julho. O contrato entre a SIC e a Comunicasom de Manolo Belo, que produz Fátima e Contacto, termina em Junho e algo novo será delineado entre as duas entidades. Certa, sabe o DN, é a vontade de Carnaxide em continuar a parceria com Manolo Belo, mas, tudo indica, em moldes diferentes.
A concretização no terreno ainda está a ser pensada, nomeadamente quem vai conduzir o programa ou programas durante a manhã e tarde durante o Verão. É que há duas hipóteses: um programa único durante o dia com interrupção à hora do almoço ou dois programas distintos (um antes do "Primeiro Jornal" e outro a seguir), apurou o DN. Seja uma ou outra a fórmula aplicada, a SIC vai andar pelo País. A aproximação às populações é a estratégia que vai ser seguida, um pouco na lógica do que já acontece com Nós Por Cá, que tem tido audiências modestas, mas é um formato inserido neste plano traçado por Carnaxide. O Verão vai ser um teste à capacidade da SIC se reencontrar com o público e uma fase de transição para a nova temporada televisiva, que começa em meados de Setembro. Nessa altura, inicia uma nova etapa, com uma grelha renovada, mas sempre com um objectivo em vista: ser um canal em que o público se revê. E, com isso, claro, melhorar substancialmente as suas audiências, saindo definitivamente da crise, que já tem vários anos.
Recorde-se que a queda começou com a ascensão da TVI com Big Brother, ainda no tempo da direcção de Emídio Rangel, na SIC, sendo que o pior período em Carnaxide ocorreu com Francisco Penim, em 2007, o mesmo ano em que Nuno Santos conseguiu o segundo lugar para a RTP1, deixando a SIC em terceiro. Em 2008, a estação de Pinto Balsemão, já comandada por Nuno Santos volta ao segundo posto, mas longe de afectar a líder TVI.
Sendo certo que as manhãs e as tardes vão ser renovadas, falta agora saber que estratégia vai ser delineada para o horário nobre a partir de Setembro. Programas como Os Malucos do Riso, 'Tá a Gravar e Não há Crise! fazem parte da estratégia de aproximação ao público? As audiências destes formatos parecem indicar que sim. E que lugar terão as telenovelas brasileiras neste contexto? Aqui o divórcio com o público é maior. Para já, a aposta é numa nova telenovela portuguesa: Eterno Amor.

Sofia Cerveira > "Mostramos o outro lado"

Co-apresentadora de ‘Episódio Especial’, Sofia Cerveira faz balanço positivo do programa que diz “ser líder das tardes de sábado na SIC”. No Brasil, o seu trabalho é seguido através da internet.
- ‘Episódio Especial’ já celebrou um ano no ar. Qual a reacção do público?
- Muito positiva. Somos líderes das tardes de sábado na SIC e na televisão portuguesa. É reconfortante saber que os telespectadores se fidelizaram na nossa antena. É, também, um reconhecimento do nosso trabalho, feito com tanta dedicação e empenho. Recebemos muitos e-mails e cartas de pessoas que dizem gostar imenso das reportagens, porque fazemos um elo perfeito do que se passa no mundo da ficção e a vida real dos protagonistas. Desvendamos segredos que as pessoas não saberiam de outra forma, mostramos o outro lado dos bastidores e o dia-a-dia longe das câmaras de quem está na ficção da SIC, brasileiros e portugueses.

- Os entrevistados expõem-se facilmente?
- Tem-se criado uma relação bastante sólida entre mim e o Ricardo Pereira, que co-apresenta o programa, e as pessoas que entrevistamos, quer portugueses quer brasileiros. Quando somos recebidos na Globo, por exemplo, há sempre disponibilidade por parte dos actores, porque já sabem que a SIC acompanha o seu trabalho de novela em novela. E há uma relação também muito forte no que diz respeito a Portugal. Eles gostam sempre de saber o que se passa aqui.

- Portanto, o programa é conhecido no Brasil?
- Sim, não só na Globo como nas ruas do Rio. Quando estamos a gravar, as pessoas vêm ter connosco, fazem perguntas e comentam. E a Globo noticia sempre que o ‘Episódio Especial’ está a gravar no Rio de Janeiro. Há uma ligação muito forte. Inclusive, o ‘Videoshow’, um programa semelhante ao nosso, quer seguir o nosso trabalho.

- Os actores têm curiosidade em ver-se neste programa?
- Muita. E fazem-no através da SIC Online. E julgo que o facto de o fazerem aumenta a sua confiança no programa.

- O programa obriga a um trabalho de pesquisa?
- Temos de estar sempre a par do que passa na ficção da SIC, quer nas tramas quer no dia-a-dia das pessoas que participam. Isto porque, no ‘Episódio Especial’, temos de saber as histórias até para fazer o paralelismo com a vida pessoal. Trabalho num mundo fantástico, porque é um abrir de portas para imensas outras reportagens giras. Por exemplo, a partir de um amor proibido na novela eu posso ‘explorar’ um amor proibido na vida real. Por isso, convém estar por dentro, perceber qual o sumo das novelas para depois podermos fazer algumas brincadeiras.

- Há novas rubricas nesta segunda temporada?
- É verdade. Temos algumas rubricas interessantes, como ‘Quem Sou Eu’, onde se faz uma brincadeira em que se tenta perceber se o actor se lembra de tudo o que já fez na sua carreira; se se recorda em que ano começou; quantas novelas fez...

- E novidades?
- Vão sendo introduzidas algumas. Falo, por exemplo de ‘Um Dia Com...’, em que acompanhamos uma figura pública o dia inteiro. Tem sido engraçado. Outra rubrica curiosa é aquela em que pomos os actores a falar com a personagem que interpreta na novela. É uma brincadeira que resulta bem.

- Gosta de ver as novelas ou séries dos protagonistas que entrevista?
- Gosto. E quando não posso ver em casa, vejo-as sempre aqui na SIC. Como há um pequeno desfasamento entre o que as novelas estão a passar no Brasil e em Portugal, as perguntas são pensadas nesse sentido. Ou seja, há que pensar no que interessa agora aos portugueses e ainda daqui a um mês.

- Recorde um momento marcante deste primeiro ano.

- Há imensos. É difícil destacar um. No programa do nosso aniversário estivemos no sambódromo e foi muito marcante. Ultrapassámos muitos obstáculos, levámos duas convidadas – Cláudia Vieira e Diana Chaves – e foi muito especial. Outro momento marcante foi a entrada do Ricardo Pereira e que trouxe imensos factores positivos ao programa. Além dele ser uma pessoa muito querida dos brasileiros. Mas há outros: foi muito especial poder testemunhar a alegria dos actores que participaram numa novela da Globo [‘Negócio da China’] e vê-los junto de tantos rostos das novelas brasileiras. Todos eles, do Francisco Cuoco ao Miguel Falabella, diziam “ainda bem que estão connosco.”

- E momentos maus?
- Não me lembro de nenhum, mas ter uma entrevista marcada na praia e chover, é mau.

- O actor Ricardo Pereira está consigo há poucos meses...
- Desde Setembro. Não desfazendo o trabalho do Miguel Domingues, que começou comigo na co-apresentação do programa, eu o Ricardo somos amigos há muitos anos e temos muitas características em comum. A isto junta-se o facto de adorarmos o que fazemos e de nos sentirmos privilegiados. Além disso, acho que nos complementamos muito bem. Apesar de sermos os dois muito perfeccionistas e organizados e de querermos sempre mais, divertimo-nos muito.

- O Ricardo é mais extrovertido do que a Sofia?
- Não. Acho que somos os dois. Mas a verdade é que andar na rua, no Rio de Janeiro, com o Ricardo, que esteve à frente de um grande papel em ‘Negócio da China’, é impressionante porque quase não conseguimos andar. Estão sempre a pedir-lhe autógrafos. Ele é muito querido ali. Às vezes, as pessoas nem percebem que estamos a gravar para o programa.

INESQUECÍVEL: MOMENTOS COM AS ESTRELAS
Há um ano a conduzir ‘Episódio Especial’, Sofia Cerveira colecciona momentos inesquecíveis com as estrelas da televisão brasileira.
Tony Ramos - “Numa das vezes em que fui ao Rio de Janeiro e levei pastéis de Belém – às vezes levo produtos portugueses, como queijo ou vinho, para fazer umas brincadeiras com os actores – pedi ao Tony Ramos que adivinhasse o que era. Ele gostou tanto que acabou por levar a caixa inteira”.
Lima Duarte - “Sempre que falamos, manda um abraço ao Manoel de Oliveira”.
Maitê Proença - “É fã dos ‘Gato Fedorento’, que vê na internet”.
Óscar Magrini - “Sabe todas as palavras portuguesas. Ainda não o consegui enganar”.
Glória Pires - “Lê os textos na casa de banho, porque diz que é o único lugar onde os filhos e o marido não a incomodam.”

PERFIL
Natural de Lisboa, Sofia Cerveira, 34 anos, é apresentadora da SIC. Na estação de Carnaxide passou pelos programas ‘Caras Notícias’ e ‘Êxtase’ e, durante dois anos, foi correspondente do canal no Brasil. Desde 2008 que conduz ‘Episódio Especial’, agora em parceria com o actor Ricardo Pereira. A apresentadora diz que este programa a “enriqueceu muito profissionalmente”. E revela: “É muito bom fazer este intercâmbio entre o Brasil e Portugal”.

SIC estranha multa da ERC

Numa lacónica comunicação, a SIC manifesta "a sua estranheza" face à deliberação da Entidade Reguladora da Comunicação Social (ERC), que ontem anunciou a intenção de processar aquela estação de televisão pela emissão do programa "Momento da Verdade". A estação de Carnaxide alega que "este é um formato transmitido por várias televisões do mundo",
Em causa na decisão da ERC está a alegada violação "de modo flagrante dos limites à liberdade de programação", com a emissão - durante dois meses de 2008 - de um programa onde a reguladora encontrou "intromissões gravosas na reserva da vida privada e íntima" dos concorrentes, assim como atentados a "direitos individuais de pessoas próximas dos concorrentes, presentes ou não em estúdio".
O programa consistia num conjunto de perguntas feitas a um concorrente - presente em estúdio e acompanhado por familiares e amigos- cuja veracidade era confirmada através de do recurso a um detector de mentiras, ou polígrafo.
O concorrente ganhava tanto mais dinheiro, quantas mais respostas correctas conseguisse obter, sendo algumas das questões colocadas de natureza incontestavelmente do foro privado. "Já traiu a sua mulher?" ou "Já sonhou estar a ter relações sexuais com a sua sogra?" são alguns dos exemplos citados na deliberação da ERC, para concluir que existiu no programa uma "total ausência de comedimento na exploração da vida íntima dos participantes e posterior julgamento da praça pública dos comportamentos e convicções de cada um"."A liberdade de programação não é irrestrita", conclui a ERC.
fonte: site Expresso

16 de abril de 2009

Momento da Verdade > ERC vs SIC

"O programa explora a dignidade do ser humano, e só porque as pessoas são pobres se prestam a estas situações." "O formato abusa das fragilidades humanas a troco de dinheiro." Estas são algumas das queixas contra o programa ‘Momento da Verdade’ que levaram a Entidade Reguladora da Comunicação Social (ERC) a instaurar um processo de contra-ordenação à SIC, que tem agora direito ao contraditório.
Analisado o programa que Teresa Guilherme apresentou de Setembro a Novembro de 2008, a ERC nota que foram violados, de forma "flagrante", os "limites à liberdade de programação" e "desrespeitada" uma "ética de antena". E frisa que algumas perguntas feitas aos concorrentes foram "intromissões gravosas na sua vida privada e íntima". As coimas previstas na lei da TV vão de 7500 euros a 150 mil euros, consoante se prove que houve dolo ou negligência.
A SIC manifesta estranheza em relação à posição da ERC, pois o formato passa em mais de 20 países.
PORMENORES
SEXO COM A SOGRA
Pedro Mariano confessou ter "atracção física" pela mãe da mulher. Esta impediu que respondesse se "sonhava ter relações sexuais com a sogra".
DESPEDIMENTO
Uma vítima de ‘Momento da Verdade’ foi Palmira Couto. Concorreu para pagar uma dívida, insultou o chefe e foi despedida da junta de freguesia onde trabalhava.
fonte: site CM

15 de abril de 2009

Nomeados dos Globos de Ouro estão a ser desvendados

A promo está a passar desde esta manhã. A primeira foi dos nomeados da categoria desporto por volta das 12h30 antes dos destaques do "Primeiro Jornal". A pouco e pouco vão sendo conhecidos os nomeados das categorias que estão a concurso nos "Globos de Ouro" que estão agendados para o próximo dia 17 de Maio (domingo) no Coliseu dos Recreios.

Artur Agostinho de regresso à TV

Aos 88 anos, o antigo diretor de Record não quer "parar de aprender" e, por isso, continua a aceitar desafios que lhe ocupem o tempo e lhe exercitem o espírito. Foi por isso que Artur Agostinho disse "sim" ao convite para participar na próxima novela da SIC, "Eterno Amor" (título provisório).
"Faço de José Viegas, um velho mestre-de-obras reformado que frequenta o restaurante do filho e que está sempre de conversa com outro homem de idade, antigo dono daquele estabelecimento", revelou a Record. Sem querer levantar muito a ponta do véu sobre esta produção, Artur Agostinho confessou que está bastante entusiasmado com o projeto da SIC e acredita que "a novela vai ter uma boa resposta por parte do público". Contactada por Record, a produtora SP Televisão referiu que ainda não há data de estreia para "Eterno Amor" (irá substituir "Podia Acabar o Mundo" na grelha), confirmando Ricardo Pereira e Sandra Barata Belo entre os protagonistas. Ficamos à espera!
fonte: site RECORD

13 de abril de 2009

Carlos Ribeiro regressou hoje ao seu primeiro amor - rádio

"Acima de tudo é sempre bom fazer televisão. Mas percebi que não conseguia acumular as duas coisas: a televisão e a rádio. Era muito trabalho, porque fazer estes programas não é só o tempo que se está no ar", explicou Carlos Ribeiro, ao DN.
O conhecido apresentador de televisão e locutor de rádio regressa, hoje, às manhãs da Romântica FM - das 7.00 às 10.00 -, diariamente.
Com 40 anos de rádio e quase 35 de televisão, Carlos Ribeiro ficou "muito contente" com o convite de Nuno Santos para fazer parte do programa da manhã da SIC, Fátima em conjunto com Merche Romero.
"Não há amor como o primeiro. A rádio é a minha paixão e a televisão é um complemento que gosto muito de fazer, mas é preciso ter tempo para ser bem feito", acrescentou o locutor.
fonte: DN

11 de abril de 2009

Atreve-te a Cantar HOJE às 21h25

Paulo Rocha em "Eterno Amor"

A alegria é um estado de espírito que Paulo Rocha parece manter sem esforço. “No cômputo geral, sinto-me uma pessoa cheia de sorte”, revelou nas gravações finais de ‘Podia Acabar o Mundo’ (SIC), em que interpreta Hélder, namorado clandestino de Sara (Adelaide de Sousa). Após um curto período de férias, o actor está pronto para abraçar o novo projecto da estação, no qual fará de mecânico ‘engatatão’.
Em ‘Podia Acabar o Mundo’, Paulo Rocha tem, antes do namoro com Sara, um amor platónico pela mãe solteira Rosário (Ana Cunha). A propósito desse caso, diz: “Julgo que nunca tive uma namorada que tivesse um filho mas penso que, quando isso acontece, criam-se laços de afecto com a criança que persistem ainda que os adultos venham a afastar-se.”
Quanto a amores platónicos, Paulo Rocha confessa: “Tive uma paixão assim, aos 18 anos, por uma colega quando estudava em Cascais. Acabei com a namorada que tinha por causa dela mas a paixão passou, eu fiquei sem namorada e nunca disse nada à miúda. Julgo que fui um bocadinho estúpido, mas pronto... (risos).” O actor admite: “Sou tímido mas tenho algumas qualidades, como um sentido de humor engraçado. Isso, às vezes, resulta.” Quanto à nova novela, diz:“Aceito um trabalho quando o projecto me motiva.”
FÉRIAS DE SONHO
“GOSTO DE IR A LONDRES”
Quando acabou de gravar ‘Podia Acabar o Mundo’, há poucas semanas, Paulo Rocha viajou para Londres, rumo às férias dos seus sonhos. Na ocasião, revelou: “Tenho alguns amigos lá e irei ver algumas peças de teatro. Até já tenho os bilhetes. Gosto de ir a Londres e adorava estudar lá.”
fonte: site CM

10 de abril de 2009

SIC adapta original japonês

A estação de Carnaxide vai estrear em Junho um divertido programa de origem japonesa vulgarmente conhecido como uma espécie de ‘Tetris’ humano, que já foi adaptado em mais de 30 países. "Adquirimos os direitos do formato, que está no ar na BBC em horário nobre com o nome ‘Hole In The Wall’, já no ano passado e contamos pô-lo no ar antes do Verão, em Junho", revela ao CM Luís Marques, director-geral da SIC. "Ainda não pensámos num nome português, nem em quem o irá apresentar", salienta o director-geral, contrariando, para já, os rumores de que seria José Figueiras a dar a cara por este formato.
Em tempo de crise, a SIC aposta no entretenimento e este formato é prova disso. "Foi de facto bastante acessível para o nosso orçamento", confirma Luís Marques.
As imagens da versão britânica estão no YouTube e mostram que este programa contempla as vertentes humor e disputa. ‘Hole In The Wall’ põe em confronto duas equipas que, a determinada fase do programa, têm de passar diversas paredes através de um buraco, caso contrário caem numa piscina.
O programa já foi adaptado por vários países, entre os quais Austrália, Brasil, China, França, Israel, Itália, México, Noruega, Filipinas, Rússia, Coreia do Sul, Espanha, Reino Unido e EUA.
PORMENORES
60 MINUTOS
É o tempo de duração de cada episódio do programa nos EUA. Estreou na Fox em Setembro de 2008.
YOUTUBE
Mostra imagens da versão britânica, emitida na BBC. Cinco milhões de pessoas já viram as imagens na Internet.
DUAS EQUIPAS
Vestidos com fatos de ‘spandex’ (tecido utilizado para roupa desportiva) e de capacete, os concorrentes têm de passar pelos adversários e furar paredes, sem cair na piscina.
fonte: site CM

8 de abril de 2009

Carlos Ribeiro deixa o "Fátima"

"Volto na segunda-feira, dia 13, ao horário da manhã na rádio Romântica FM, com o meu programa ‘Carlos Ribeiro – Bom-dia, Romântica’, actualmente emitido à tarde", revelou ao CM Carlos Ribeiro. O apresentador deixou o programa ‘Fátima’, na SIC, que conduzia ao lado de Merche Romero. As manhãs da SIC são agora asseguradas apenas por Merche.
Carlos Ribeiro deixou as suas funções na SIC por "excesso de trabalho". Estava "previsto ficar no ‘Fátima’ durante os quatro meses de licença de parto de Fátima Lopes. Mas três horas por dia nas manhãs da SIC e mais três na rádio somava seis horas ao microfone! Já precisava de descansar a voz", conta.
"Os meus administradores na Romântica FM não inviabilizaram que eu fosse para a SIC. E gostava de voltar à televisão, mas para um programa semanal".
fonte: CM

Vão ser filmadas imagens em Helsínquia da nova novela da SIC

"Eterno amor" é o título provisório da nova novela de Carnaxide. Ricardo Pereira é dado como certo para a protagonizar. Oceana Basílio, que ainda pode ser vista na TVI, é outro dos nomes confirmados.
Na derradeira fase das gravações da antecessora "Podia acabar o mundo", Virgílio Castelo, consultor para a ficção de Carnaxide, havia adiantado que grande parte do elenco para a novela que se segue estava fechado. Sabia-se também que a feitura do guião é da responsabilidade de Pedro Lopes, quem gizou a ideia original e coordenador da equipa de argumentistas da SP Televisão, que tem a cargo a produção da trama.
Ora, aos poucos, vão sendo desvelados pormenores. Por exemplo, o país frio de que se falava para servir de palco à acção da narrativa tratar-se-á da Finlândia, mais precisamente da sua capital Helsínquia. Quem o adiantou foi Alexandre Gonçalves que agencia alguns dos actores que a vão integrar , nomeadamente, Oceana Basílio, cuja personagem terá um percurso no estrangeiro.
A actriz que, embora não tenha exclusividade com nenhum canal vestirá Bárbara, "uma artista plástica em ascensão que será a melhor amiga da protagonista Leonor" (interpretação que poderá caber a Diana Chaves), pelo que terá um papel de relevo. Alexandre contou também que estão a ser encetadas diligências por forma a conseguir-se uma parceria com aquele país nórdico. "O hotel do gelo seria um dos cenários ideais, mas caso não seja viável, a Croácia é alternativa".
Tal representa um ingrediente novo a somar à receita convencionada para as ficções nacionais, uma vez que, por norma, as filmagens no estrangeiro decorrem em territórios quentes. Mas a tentativa de diversificação não se esgotará por aqui. Temas fracturantes serão abordados em "Eterno amor". Aliás, a questão do abuso sexual parece ser transversal.
Alda Gomes estará envolvida nesse drama ao dar corpo a Madalena, uma mãe solteira, funcionária do banco "Bettencourt", detido pelo núcleo principal da novela, que ao sofrer esses abusos é instigada a reagir indo trabalhar para o café pertencente à família Viegas, "um ponto de encontro das personagens" de roupagem vanguardista. Já Luís Lucas será, Humberto, um dedicado mordomo, o qual esconde o segredo de uma morte. Porém, é o amor desencontrado por um coma de cinco anos o fio condutor da intriga.Outro dado curioso é o facto de Inês Castel-Branco participar, não como actriz, mas enquanto membro do grupo de guionistas. As gravações arrancam em Maio.
fonte: site JN

7 de abril de 2009

Malucos do Riso regressam e são o programa mais visto da SIC!

fonte: Marktest

6 de abril de 2009

Ricardo Pereira só quer Brasil

As gravações de Negócio da China, novela que o actor português protagoniza acabam esta semana. Mas quer manter-se no Brasil...
Ricardo Pereira regressou a Portugal para gravar, ao lado de Sofia Cerveira, novos conteúdos do programa da SIC Episódio Especial, a ser exibido dia 18. “Todas as semanas um convidado vai fazer surf e outro vai responder online às perguntas dos telespectadores”, disse o actor.
fonte: site DN

5 de abril de 2009

O regresso dos "Malucos do Riso"

As noites da SIC voltam a mudar. Depois de a telenovela brasileira Caminho das Índias ter trocado de horário com a portuguesa Podia Acabar o Mundo, agora é a vez de Os Malucos do Riso entrarem na grelha de Carnaxide logo após o Jornal da Noite. Falta agora saber se 'Tá a Gravar e Não Há Crise! reduzem o tempo de emissão ou se um deles sai do ar. O DN contactou Nuno Santos, director de programas da SIC, mas até ao fecho desta edição não obteve resposta.
De acordo com o comunicado do canal de Pinto Balsemão, a nova temporada de Os Malucos do Riso vai ter "novos actores, novos cenários, novas piadas e interactividade com o público". E acrescenta: "São estas as principais novidades de um programa que é uma referência para o público nacional. Humor popular e para toda a família de segunda a quinta-feira, com a chancela de qualidade da SP Filmes [produtora], responsável por alguns dos maiores êxitos da comédia televisiva nos últimos anos: Camilo e Filho, Camilo na Prisão, A loja do Camilo, Maré Alta, tal como todas as séries de Os Malucos do Riso".
Este formato de humor estreou-se em 1995, três anos depois do início da SIC em 1995 e rapidamente se tornou num dos programas mais populares com a representação de anedotas de alentejanos e de louras, por exemplo. Do seu elenco fizeram parte nomes como Guilherme Leite, de quem é a ideia original, mas que deixou o programa alguns anos depois, sendo hoje um dos seus críticos.
Mas Os Malucos do Riso rendeu sempre boas audiências à SIC e, por isso, várias versões foram feitas: Os Mini Malucos do Riso, Os Malucos na Praia, Os Malucos nas Arábias, Malucos e Filhos, Os Malucos no Hospital e Os Malucos na Selva.
fonte: site DN

4 de abril de 2009

Audiências de Março

Rita Andrade no "Mundo dos Recordes" estreia HOJE

A jovem apresentadora poderá, a partir deste sábado, ser vista em dose dupla na antena da SIC. Se ao domingo já era presença assídua em "Fama show", agora tem a seu cargo o programa "Mundo dos recordes" ao sábado à noite.
Integrar o "Guinness Book" mobiliza muitas pessoas no sentido de excederem os seus próprios limites. Alguns dos feitos, de pendor singular, comportam riscos até para a integridade física. Ainda assim, o preço a pagar parece valer a pena, não fosse a adesão massiva que chega a juntar comunidades inteiras. Aliás, Portugal é um país particularmente sensível ao reconhecimento das suas epopeias a este nível.
"Mundo dos recordes", cuja estreia acontece hoje, pelas 23 horas, na estação de Carnaxide, reportará "as proezas mais divertidas, excêntricas e algumas até bizarras", sendo que, "os autores estarão em estúdio por forma a tentar bater os seus próprios recordes", esclarece Rita Andrade, a quem cabe conduzir o formato.
Para o efeito, apresentadora teve de se deslocar a Madrid, onde decorreram as gravações, tendo em conta "que se trata de uma co-produção com um canal espanhol", explica. Quanto à presumível dificuldade na conciliação com o "Fama show" comenta: "Não existem impossíveis. Fiz algumas pontes aéreas entre Portugal e Espanha, mas quem corre por gosto não cansa".
Destaca algumas das verdadeiras epopeias que mais a marcaram. "O homem que mais tempo aguenta debaixo de gelo, ou o que mais operações fez para se parecer com um felino", classificando este último de "assustador".
Conteúdo "de entretenimento para toda a família" é como descreve "Mundo dos recordes", pelo que não deixa de ser mais um que se entronca no conceito de "light entertainment" a somar à vasta oferta do género que a SIC propõe e que tem vindo a granjear bons resultados de audiências.
Mas afinal, onde mora o segredo para uma receita de contornos, aparentemente infalíveis?
"Todos ouvimos a palavra crise demasiadas vezes. Este tipo de programas provoca uma evasão necessária e faz com que possamos descontrair e saborear lufadas de ar fresco e de optimismo", responde. Confessa adepta de adrenalina, Rita mostra-se ansiosa pela reacção do público. "As minhas expectativas são altas", diz.
fonte: site JN

"Malucos do Riso" regressam segunda-feira

A estação de Carnaxide anunciou para segunda-feira a estreia de uma nova série de episódios do popular programa de humor “Os malucos do riso”. O programa vai para o ar a seguir ao “Jornal da noite” e terá alterações a nível de actores, cenários e piadas.
O formato estreou na SIC em 1995 e rapidamente se tornou num dos programas mais populares. Do seu elenco fizeram parte nomes como Guilherme Leite, João de Carvalho e o falecido Camacho Costa.
O sucesso desta série já levou a que fossem criada outras versões como “Os malucos na praia" ou "Os malucos nas arábias".
fonte: JN

Podia Acabar o Mundo com final trágico

Afonso Lopes, João em ‘Podia Acabar o Mundo’, confessou, nas gravações finais da novela da SIC: “Tive muito medo do Eduardo (Virgílio Castelo) nesta cena, ou seja, pensei no medo que sentiria se aquilo me acontecesse na vida real”.
Aos 13 anos, a nova estrela da TV porta-se como um homem quando a violência das cenas assim o exige. Foi o caso daquela em que Eduardo ameaçou João com uma pistola. Contudo, é o vilão quem morre, com dois tiros disparados pela própria mãe, Laura (Lurdes Norberto). Ver os pais, Vera (Joana Seixas) e Rodrigo (Diogo Morgado), reconciliados no final era o que o jovem actor mais queria. “Também queria um irmãozinho ou uma irmãzinha para o João. E um cão”, adianta.
Afonso Lopes frequenta o oitavo ano e a produtora SP Televisão teve de desmarcar algumas datas de gravações para que ele não faltasse às aulas. “Gostava de fazer outras novelas mas, se calhar, a minha mãe não deixa, pois prometi tirar boas notas e estas baixaram”.
OS VALORES TRADICIONAIS FALAM MAIS ALTO
FAMÍLIA FELIZ NO FINAL
A solução encontrada pelo autor da novela, Manuel Arouca, para João e os pais, Vera e Rodrigo, foi considerada “justa” por todos. Este era o final desejado por Afonso Lopes e Diogo Morgado.
fonte: site CM

Jade Goody HOJE na SIC

"O mundo não está preparado para viver sem mim. O mundo precisa de mim", atira Jade Goody, sorridente, depois de uma sessão fotográfica com os filhos para a revista Love it, num hotel nos arredores de Londres. Este é um dos muitos momentos vividos pela estrela nascida do reality show britânico Big Brother (2002) e que o documentário da Living TV revela hoje, na SIC, às 23.45.
Jade Goody, a rapariga de 27 anos, nascida em Essex, que morreu dia 22 de Março, e que vai hoje a enterrar, lutou durante meses contra o cancro do colo do útero, descoberto em Agosto de 2008, quando participava no Big Brother indiano. E foi justamente esta parte da sua vida que aquele canal de TV por cabo quis registar (tendo pago, juntamente com a revista OK! 1,5 milhões de euros), dinheiro que ficará para a educação dos dois filhos de Jade Goody, Bobby, cinco anos, eFreddie, quatro.
Mas quem espera ver neste documentário, que começa em Outubro de 2008, uma Jade Goody morta ou derrotada pelo cancro desengane-se, pois vai ver uma Jade Goody alegre, forte, mãe preocupada e até uma actriz em potência, apesar dos vómitos, das dores, do mal-estar resultante das violentas sessões de rádio e quimioterapia.
Entre a alegria do desenho de uma tatuagem com o nome do seu namorado (que se tornou marido em Fevereiro), Jack Tweed, de uma sessão de autógrafos do seu segundo livro, dos ensaios para fazer de bruxa má numa peça de teatro ou dos preparativos para a chegada do Pai Natal, Jade Goody vai falando da doença e do facto de deixar-se filmar 24 horas por dia. "É um diário para mim, para eu ver como estava quando estava a ultrapassar o cancro. não sabia nada sobre o cancro...", diz animada, esforçando-se por não perder a sua imagem de mulher bonita. Só que a sua situação piora rapidamente e, em Janeiro de 2009, surge uma Jade Goody destroçada, sem cabelo... "Oh! mãe pareço uma pessoa com cancro", diz Goody entre soluços e lágrimas, enquanto a mãe, Jackiey tenta reconfortá-la ensinando-a a usar um lenço na cabeça. "Para ser sincera, tenho vergonha de ser filmada assim (chora). Podem deixar-me um pouco sozinha...", reforça Goody, enquanto bate com a porta, deixando a câmara do lado de fora num momento raro no documentário.
Por este programa passam muitos amigos, mas é por Jack Tweed que ela anseia. A cumprir pena por furto, este jovem de 21 anos sai em liberdade condicional (com pulseira electrónica) para os braços da sua amada. O casamento vem a seguir, na segunda parte do documentário que a Living TV irá exibir no Reino Unido, dia 9.
Entretanto, hoje o funeral de Jade Goody, tratado de acordo com as suas indicações, é já considerado o grande evento televisivo. De acordo com a imprensa britânica, os filhos de Goody não vão assistir ao funeral da mãe. O pai, Jeff Brazier, e a avó, Jackiey, acham os rapazes são demasiado pequenos para lidar com uma emoção tão forte. Assim, Jeff levará Bobby e Freddie numa viagem à Austrália.
Jade Goody deixou escritas todas as indicações para a realização do seu funeral. Segundo a revista People, o funeral vai contar com uma procissão de 21 carros, que sairão da casa da jovem, em Essex, para a igreja St. John Baptist, em Buckhurst Hill. E, como são esperadas muitas pessoas neste percurso, foram instalados grandes monitores de televisão pelo caminho. Já na igreja, os familiares, amigos e fãs ouvirão a música preferida da jovem, All Things Bright and Beautiful. Por fim, a jovem, usará o vestido de noiva e o anel de casamento, vai ser sepultada no Epping Forest Burial Park.
fonte: site DN

3 de abril de 2009

"Restaurante" na SIC Mulher

Nestes 3 programas serão dados a conhecer aos telespectadores todos os pormenores de uma transformação de raiz, desde demolições, escolhas de materiais, recrutamento de pessoal, criação de uma ementa e todos os detalhes de decoração que não vai querer perder."Restaurante" reporta-se ao processo de recuperação de um espaço, em jeito de "making-of". A transformação do restaurante "Olivier", em pleno coração de Lisboa, é o protagonista destes três episódios que retratam tanto a sua reinvenção física, como conceptual. Raquel Strada disse ter sido "um processo exigente ao nível da dedicação". Quanto à curta vida do programa, referiu: "Veremos como será a reacção . Não quero que as pessoas fiquem enfadadas". Relativamente aos "talk-shows" emblemáticos do canal, vêm aí novas fornadas de "Oprah", e "Tyra", até porque Boucherie Mendes admitiu que "as constantes repetições esgotam os programas". Interrogado acerca da insistência em Oprah Winfrey, respondeu: "O Paulo Bento também não deixa de convocar o Liedson", (é capaz de ter razão!) Já Sofia Carvalho, directora da SIC Mulher, repudiou a ideia de que um canal exclusivo para o "target" feminino possa estar conotado com discriminação positiva".
fonte: site Jornal Hardmúsica

2 de abril de 2009

Resultado da Sondagem sobre a Rita Ferro Rodrigues

1 de abril de 2009

Audiências > SIC ficou em terceiro no mês de Março

A TVI liderou as audiências no mês de Março e em todo o primeiro trimestre de 2009, seguida pela RTP1 e, em terceiro lugar, pela SIC, segundo dados da Marktest hoje divulgados.
De acordo com a empresa de estudos de mercado, o canal generalista de Queluz obteve uma quota de mercado média de 24,5 por cento no primeiro trimestre deste ano.
No mesmo período, a RTP1 alcançou um share de 25,2 por cento e a SIC ficou pelos 24,5 por cento, em terceiro lugar nas preferências dos telespectadores. Muito abaixo situou- se a RTP2 com um share de 5,3 por cento.
Relativamente só ao mês de Março, verificou-se a liderança da TVI durante todo o dia, com uma quota de mercado de 29,6 por cento, sucedida pela RTP1 com 24,3 por cento e só então pela SIC com 23,2 por cento.
No entanto, a análise para o prime- time (entre as 20:00 e as 24:00) revela resultados diferentes: a TVI continua à frente com 35,5 por cento de share, mas a SIC ultrapassa a RTP1, relegando o canal público para terceiro lugar, com 23,2 e 22 por cento de share, respectivamente.

SIC Radical estreia "Preto no Branco"

Estreia-se amanhã, dia 31 de Abril, às 22.45, Preto no Branco, um programa de humor politicamente incorrecto, na SIC Radical.
Cadeiras de rodas/atletas paralímpicos, doenças terminais, Páscoa, sem abrigo, góticos/satânicos, xenofobia, violência doméstica, religiões, adopção/tráfico de menores, faixa de gaza, morte/agências funerárias são os temas que vão ser abordados no programa em oito minutos, todas as terças-feiras, por Rui Sinel de Cordes. Preto no Branco reveste-se de uma mistura de intervenções curtas em forma de sketch, com a tradicional rotina de stand-up, esta, adaptada para televisão.
fonte: site JN