DANCIN' DAYS

estreia SEGUNDA na SIC a novela onde vale a pena sonhar!

ÍDOLOS

Domingo temos músicas do século XXI com os 10 finalistas

BOA TARDE

O talk show das tardes da SIC

ROSA FOGO

Assiste à novela no horário nobre da SIC

FINA ESTAMPA

Já estreou na SIC!

31 de março de 2009

"Uma Vida Normal" premeada mais uma vez

A Grande Reportagem SIC ganhou mais um prémio internacional. “Uma Vida Normal” venceu o Prémio Melhor Imagem no FIGRA (Festival Internacional de Grandes Reportagens e Documentos de Actualidade), em França.
O Festival decorreu ao longo da semana passada e terminou este fim-de-semana com a entrega de prémios no sábado. A reportagem vencedora é um trabalho de Sofia Arede com imagem de Jorge Pelicano e montagem de Gonçalo Freitas.
A reportagem conta a história de Paulo Azevedo, que nasceu sem mãos e sem pernas em Outubro de 1981. Nessa altura ainda não havia ecografias em Portugal e, por isso, a família soube das características do bebé apenas depois do nascimento. A dúvida sobre o que poderá ter causado a malformação persiste até hoje. Depois do choque inicial, a família mais próxima iniciou com Paulo um longo e difícil caminho para uma vida normal.
Durante longos meses percorreram centenas de quilómetros entre a Redinha, em Pombal e o centro de reabilitação de Alcoitão, em Sintra. Contrariaram os presságios mais negros que diziam que a criança nunca conseguiria sequer sentar-se, muito menos andar com próteses. Ao longo da vida aprendeu que a ironia é a melhor forma de combater o desconforto perante a diferença. Paulo Azevedo tem hoje 26 anos e é uma pessoa absolutamente autónoma. Já foi treinador de futebol, mas sonhava com outros palcos.
Na sequência desta Grande Reportagem, Paulo Azevedo recebeu um convite e é actualmente actor na novela da SIC, 'Podia Acabar o Mundo'.
fonte: DN

30 de março de 2009

SIC no MIP TV

RTP, SIC e TVI marcam presença no MIP TV, a feira televisiva que arranca hoje em Cannes (França) e termina dia 3 de Abril. (...)
Quanto à SIC, faz-se representar pela responsável pelas compras, Vanessa Tierno, e pelo director de Programas do canal, Nuno Santos. "Não estamos a distribuir nenhum produto, por isso vamos, essencialmente, fechar pacotes de cinema. E vamos ver novos formatos que interessem para todos os canais SIC, como documentários e talk-shows", diz Vanessa Tierno. Esta responsável explica que, neste momento, "a tendência de mercado, face à crise, é o afastamento de grande produções e a aposta em produtos mais pequenos e de custos reduzidos".
fonte: site CM

29 de março de 2009

Ex- ministro em "Mário Crespo Entrevista" amanhã na SIC

José Silva Lopes é o convidado desta segunda-feira de "Mário Crespo Entrevista", formato que o jornalista veterano assegura na antena generalista da SIC.
A nova geração, provavelmente, não associará Silva Lopes à pasta das Finanças de um Governo português. Acontece que o economista assumiu funções neste Ministério num período de convulsão política que se experimentou no país após o 25 de Abril, mais precisamente, pertenceu ao Executivo que esteve no poder entre Agosto e Novembro de 1978. Silva Lopes veio, recentemente, a público defender medidas não ortodoxas de combate à crise, pelo que importará aferir da sua opinião no que concerne à situação económico-financeira, e tentar indagar de potencias estratégias de combate à debilitação a esse nível que nos assola a todos.
fonte: site JN

28 de março de 2009

Camilo, o Presidente em Abril na SIC

Em Fanecas de Cima, freguesia fictícia na nova série de humor da SIC, é Camilo, o presidente da junta, quem mais ordena. Nos estúdios em Alcochete, decorrem a todo o vapor as gravações de ‘Camilo, o Presidente’, a nova aposta de entretenimento que a SIC quer estrear em Abril.
Filipe d’Aviz e Lourenço Henriques são os autores dos textos que têm a supervisão de Camilo de Oliveira. Há dois anos afastado do pequeno ecrã, o actor mostra uma preocupação: “Há uma grande expectativa da parte do público que, depois de tantas reposições, está desejoso de ver coisas novas. Mas este formato precisa de ter as audiências dos trabalhos anteriores que estiveram sempre na liderança. Quero manter o mesmo nível”.
Em ‘Camilo, o Presidente’, o popular actor conta com um elenco fixo constituído por Marina Santiago, Manuel Melo, Carlos Sebastião, Cristina Areia e Carlos Almeida Ribeiro, este último no papel de rival, o presidente da Junta de Freguesia de Fanecas de Baixo. O enredo da nova série gira em torno da rivalidade entre duas vilas.
“As histórias que o público vai ver são muito actuais”, promete Camilo para os 13 episódios da nova série. A noite da estreia promete agitação já que ‘Camilo’ assalta a sede da junta de freguesia rival para recuperar umas comprometedoras fotos em que posa ao lado de umas beldades .

RETRATOS DA PERSONAGEM
UM AUTARCA QUE GOSTA DE VISIBILIDADE PÚBLICA
Apaixonado pelo cargo e cheio de ambições políticas, ‘Camilo’ não desperdiça uma inauguração para se deixar fotografar ao lado de proeminentes figuras políticas como Mário Soares, José Sócrates ou Cavaco Silva. Nas paredes ou na secretária do gabinete do presidente da junta de freguesia não faltam fotografias. “São todas montagens excepto aquela em que estou ao lado de Cavaco Silva”, explica Camilo.
fonte & foto: site CM

Herman José diz adeus à SIC

Ao fim de nove anos, Herman José deixa a SIC. Desde ontem o humorista ficou livre para propostas de trabalho em qualquer canal, até mesmo o de Nuno Santos. "Tomei, sem dramatismos, a decisão de voltar ao mercado", começou por dizer Herman ao DN, acrescentando que está numa fase em que dá prioridade aos seus espectáculos ao vivo.
"Eu já não tinha contrato de exclusividade com a SIC, mas agora estou de volta ao mercado e aberto a todas as propostas, sendo que, neste momento, estou empenhado nos meus espectáculos. Curiosamente, em época de dificuldades, este mercado parece ser o único que não está em crise. Essa lógica tem vindo a acentuar-se e culminará com uma grande tournée a partir de Setembro com o espectáculo O Homem dos Sete Instrumentos", disse o 'verdadeiro artista', como também é conhecido.
E como ficam as relações com Nuno Santos? "É importante frisar que não ficou qualquer ressentimento entre mim e a SIC, e que voltarei a colaborar com a estação sempre que se justifique", sublinhou ainda Herman José. E se, por exemplo, a TVI o convidar para ter um programa? "Aceito. Seja na TVI ou na RTP. Como disse, estou livre. Estou no mercado e atento a qualquer proposta de qualquer canal. Além disso, tendo espectáculos faz todo o sentido que vá a programas de vários canais promover o meu trabalho".
Mas Herman José não pretende ficar agarrado a nenhuma estação televisiva: "Não serei, para já, exclusivo de qualquer canal, e estarei livremente no mercado, abraçando todos os projectos que me pareçam interessantes".
Herman José foi dando sinais de que algo poderia estar a mudar no seu relacionamento com a SIC. Nunca escondeu a sua tristeza pela forma abrupta como Roda da Sorte terminou em Dezembro, tendo chegado a dizer, mais recentemente, que as audiências de Nós Por Cá (programa que substituiu Roda da Sorte) já estão abaixo das conseguidas pelo seu concurso. Contudo, a relação entre o humorista e o director de programas da SIC, Nuno Santos, sempre foi cordial e, aparentemente, bem mais fluída do que a mantida com Francisco Penim, anterior responsável pela programação do canal de Carnaxide.
A partir de hoje, Herman José pode ter um programa em qualquer um dos canais generalistas. Qual deles vai dar o primeiro passo? Algum já o deu?
fonte: DN

27 de março de 2009

SIC Blog entrevista... Emanuel Nunes > o correspondente da SIC em Viseu

Aqui está a segunda entrevista do SIC Blogue. Desta vez fomos falar com o jornalista e corresponde da SIC em Viseu, Emanuel Nunes. Percorre o distrito à procura de notícas. E né todo o tipo de notícias: descporto, cultura, política, entre muitos outros temas. Fora do ar Emanuel Nunes considera-se igual sem contar com o formalismo que é imposto pela situação. Fique a conhecer mais sobre o jornalista.

Quem é o Emanuel Nunes?
O Emanuel Nunes é um jornalista freelancer correspondente da SIC no distrito de Viseu

É o mesmo Emanuel, quando a câmara está desligada, que os portugueses vêm?
Tirando o formalismo imposto pelo contexto, claro que sim.
Sendo jornalista como é que se define?
Creio que sou um jornalista apaixonado pela profissão e que no seu trabalho busca sempre o maior rigor e objectividade.

Ser correspondente dá mais "trabalho" ou é igual se estivesse em Carnaxide?
São trabalhos completamente diferentes, por incrível que isso possa parecer. Numa redacção acabamos por ser muitas vezes "especialistas" em qualquer coisa, ou mais vocacionados para tratar certos assuntos. Numa delegação fazemos de tudo. Somos obrigados a saber um bocadinho de cada coisa. Desde o desporto, à cultura, passando pela política e pelos temas gerais da sociedade.
Como é que começou a sua vida jornalística?
Começou numa rádio na universidade. Fiz um curso de apresentadores de televisão e outro no Cenjor. Finalmente fiz um estágio de 6 meses na SIC Notícias e no final, fui convidado pela Direcção de Informação para abrir a delegação de Viseu.

É repórter de exteriores. Gosta mais de peças gravadas ou de directos?
Depende das situações. Em certos casos, a história fica muito mais bem contada numa boa reportagem do que num directo improvisado. Mas há contextos, em que o imediatismo da informação é uma enorme mais-valia, como é o caso das manifestações da natureza: nevões, incêndios e cheias. Mas mesmo assim, o ideal é conseguir conciliar os dois formatos.

Quando recebe uma notícia para ir a determinado sítio e não tem tempo para a preparar com mais tempo como é que reage?
O tempo ensina-nos que a melhor reacção é simplesmente ir para o local. Muitas vezes, é nas viagens entre a delegação e o local da reportagem que se faz todo o trabalho de produção.

Qual foi o momento mais alto da ainda curta carreira?
Acho que ainda não tive propriamente aquilo que se pode chamar de "momento alto". Tenho tido os "meus momentos"...

Os directos feitos na Neve são diferentes ou é-lhe igual?
Está mais frio!! Agora a sério, em termos de exigência e rigor, é exactamente igual a fazer um directo noutro contexto qualquer.

Já ouve alguma situação que o deixou embaraçado?
Já. Num directo ao telefone para a SIC Notícias, ouvi um barulho e pensei que afinal ainda não estava em directo. Comecei a falar para a regie, ignorando por completo que afinal continuava em directo para emissão...

O que significa para si a SIC?
A SIC é o meu maior projecto profissional e é uma "camisola" que me orgulho de representar.
Quais são, na sua perspectiva, as marcas da Informação SIC?
Rigor, Seriedade e Independência.



O SIC BLOGUE AGRADECE O TEMPO DISPENSADO AO EMANUEL NUNES! MUITO OBRIGADO!

Paulo Rocha como herói da novela

“Olha o herói da minha novela!”. Foi com estas palavras que o argumentista brasileiro Aguinaldo Silva cumprimentou, ontem à noite, pela primeira vez, o actor Paulo Rocha.
De passagem por Portugal e numa noite marcada pelo lançamento oficial de um romance da sua autoria - 98 Tiros de Audiência - o autor de grandes sucessos como Tieta e Senhora do Destino, não poupou elogios ao actor da SIC .“Gosto muito do Paulo Rocha. Eu estava cá quando ele fez a novela Vingança e gostei muito do trabalho dele. Se eu fizer uma novela em Portugal, o Paulo Rocha vai ser protagonista, o herói!”, afirmou o argumentista da Globo que contou com o apoio de inúmeros amigos, entre os quais o realizador André Cerqueira e o argumentista Rui Vilhena presentes no espaço BBC Café, em Belém, Lisboa.
Visivelmente emocionado, Paulo Rocha denunciava no rosto a alegria do momento. “Foi extremamente emocionante. Quando ele disse ‘Olha o Herói da minha novela!’, deu-me vontade de olhar para trás e ver se ele estava mesmo a falar para mim! (risos) Ouvir alguém, que escreveu novelas tão extraordinárias e que marcaram gerações em Portugal e no Brasil, dizer o que ele disse faz com que qualquer pessoa fique com problemas nas pernas! (risos)”, afirmou o actor que em breve vai aparecer na nova novela da SIC, Eterno Amor, na pele de um mecânico engatatão.

fonte: JN

26 de março de 2009

Podia Acabar o Mundo > Um assassinato quase no final!

Na recta final de gravações, "Podia acabar o mundo" brinda os espectadores com aliciantes recheados de emoção. Eduardo é morto pelo mais insuspeito homicida. Talvez a novela corte a meta com audiências mais simpáticas.
A "Quinta dos Plátanos", nos arredores de Alenquer, foi o palco das últimas cenas que poderão ser vistas, em breve, da produção da nacional da chancela SP Televisão para a SIC, tendo em conta a "décalage" de sensivelmente três semanas entre as filmagens e a exibição na antena de Carnaxide. Ao derradeiro desfecho, os jornalistas não tiveram acesso, fazendo um compasso de espera para poder assistir às precedentes, e não menos importantes, imagens que integram o capítulo final da saga.
O vilão Eduardo sucumbirá, após ter espalhado um rasto de actos hediondos por onde passava. Mas quem terá coragem para lhe colocar um terminus à vida? A própria mãe. Que nem clímax Shakesperiano, a única a não poupar quem nunca poupou ninguém foi quem o trouxe ao mundo. Aliás, a inspiração no dramaturgo é confessa. Virgílio Castelo, que dá corpo ao mau da fita, disse que a ideia brotou da obra "Macbeth".
Aparentemente, Rodrigo (Diogo Morgado) e Vera (Joana Seixas) encerrarão as divergências conjugais, sendo que devem mesmo terminar enquanto casal feliz, contrariando o presumível sucesso da relação com Vitória, interpretada por Cláudia Vieira. A par desta actriz, que constituiu um trunfo para a novela, também Diana Chaves, outra jogada do director de Programas, Nuno Santos, foi como que usurpada à TVI. Ambas tinham contrato de exclusividade com Queluz. Paralelamente, foi Manuel Arouca, autor de guiões de êxito na concorrência, a assinar o argumento de "Podia acabar o mundo".
Mas nem assim, a SIC conseguiu aproximar-se dos imbatíveis resultados da ficção nacional da estação dirigida por José Eduardo Moniz. Aos 19,3% de "share" (quota de público) da intriga da SIC, "Feitiço de Amor", da TVI, contrapõe 40,5%.
Aliás, as fracas audiências foram apontadas pela sinceridade de uma criança. Afonso Lopes, que veste o pequeno João nesta novela, relacionou o facto de "Podia acabar o mundo" ter sido remetido para um horário tardio com os baixos valores obtidos. E até Virgílio Castelo, que também é responsável pela ficção da SIC, admitiu que "um actor gosta sempre de ver o seu trabalho a ir para o ar em 'prime time'". Contudo, um balanço positivo é consensual no núcleo da equipa.
fonte: JN

Diana Chaves no "Aqui e Agora"

O que é o domínio público? Qual é a fronteira que o separa do privado? Questões como estas dão o mote ao programa "Aqui e Agora", que vai para o ar esta quinta-feira na SIC. Diana Chaves é uma das convidadas.
O debate conduzido por Rodrigo Guedes de Carvalho tenciona mostrar os vários lados sobre a crescente invasão da vida privada de que se queixam as vedetas.
Em estúdio, estarão, além dos actores Virgílio Castelo, Sílvia Rizzo e Inês Castel-Branco, a directora da revista TV Guia e Flash, Luísa Jeremias, e Anselmo Freitas, advogado.
fonte: JN

25 de março de 2009

Sondagem > Sim ou não? Rita no ecrã?

Faz uma semana que a Rita Ferro Rodrigues voltou ao ecrã depois de ter andado “desaparecida” da televisão. O trabalho da Rita está, agora, virado para os bastidores. No entanto lá vai fazendo uns especiais como foi o caso dos dois últimos (de quinta-feira e de sexta-feira).
Será que Rita deveria voltar a apresentar um programa? Sim ou não? Dê-nos a sua opinião na barra lateral!

"Portugal é de todos" com mais de 800 propostas

A iniciativa "Portugal é de todos", da SIC, do Expresso, da Visão, e do AEIOU, está a ser um sucesso. Mais de 800 ideias para melhorar Portugal já foram apresentadas.
Organizar feiras de roupa usada totalmente grátis (proposta de Mafalda Gomes), apostar em bolsas de investigação, em concursos de arte e literatura (proposta de Virgínia Teixeira), ou diminuir o peso do Estado e colocá-lo fora do capital de “bancos e petrolíferas” (proposta de Artur Costa) são algumas das ideias já enviadas pelos espectadores da SIC e pelos leitores da Visão e do Expresso, no âmbito da operação “Portugal é de Todos”. SIC, Expresso e Visão estão a desafiar os cidadãos portugueses a apresentarem ideias para melhorar Portugal e para o tornar num país mais democrático e mais solidário. Ao fim de 3 semanas, já foram apresentadas 842 propostas, das quais 743 foram aprovadas e publicadas nos sites dos 3 órgãos de informação. As ideias podem ser apresentadas em 3 áreas: Governo e Parlamento; municípios; e empresas e sociedade civil. O objectivo é apresentar, em cada uma destas áreas, uma ideia para reforçar a liberdade, uma ideia para aprofundar a democracia e ainda uma ideia para construir uma sociedade mais solidária. “Torna-se vital que os cidadãos - por viverem em liberdade - tenham, em relação aos que os rodeiam, uma atitude mais tolerante e cívica”, aconselha Maria Perez para aprofundar a democracia da sociedade civil. É necessário que as empresas ouçam “o que os empregados têm a dizer”, recomenda Mafalda Gomes. E para melhorar a democracia nos municípios, o cidadão identificado apenas por M C recomenda “ a criação de polícias municipais” e que se permita ”o acesso das populações às assembleias municipais, não como público assistente, mas como proponente de propostas válidas e estruturadas”. Há também propostas muito concretas, como a de Ricardo Andorinho, que pede aos municípios que limpem “mais as ruas, os jardins e as infra-estruturas sociais”, acrescentando ainda a ideia de “dotar os passeios de meios para idosos e carros de bebés”. Já Carla Sofia Salas tem uma ideia diferente para construir uma sociedade civil mais solidária: “aumentar a protecção dos animais em Portugal”. Todas as ideias validamente apresentadas pelos portugueses serão entregues ao Presidente da República, a todos os grupos parlamentares, ao Conselho de Ministros, à Associação Portuguesa de Municípios e a diversas organizações representativas da sociedade civil. A entrega, assegurada pela SIC, pelo Expresso, pela Visão e pelo portal AEIOU, do grupo Impresa, será feita no dia 25 de Abril deste ano, data em que se comemoram os 35 anos da Revolução dos Cravos. Talvez a pensar nesse aniversário, Francisco Ferrão deixou-nos também uma ideia para melhorar a democracia em Portugal: “promover a honestidade politica, de forma a que os eleitores voltem a ter confiança nos políticos que são eleitos”.
fonte: SIC Online

24 de março de 2009

O Programa mais visto do ano

O jogo para a Taça da Liga, emitido no sábado pela SIC, foi o programa mais visto do ano. A estação liderou a tabela de audiências no fim-de-semana graças ao encontro entre as equipas do Sporting e do Benfica, no sábado, dia em que registou 32,5% de share no total do dia, e à entrevista com o árbitro do encontro, Lucílio Baptista, no domingo, com 28,5 pontos percentuais de share total.
A final foi vista por 2,188 milhões de telespectadores e sagrou vencedor o clube da Luz. Mas os sportinguistas contestaram um penálti assinalado pelo árbitro por, segundo ele, o jogador Pedro Silva ter jogado a bola com mão dentro da área. Durante o encontro, a SIC obteve 59,3% de share .
No domingo, depois de a equipa chefiada por Lucílio Baptista ter visionado o jogo, o árbitro foi ao ‘Jornal da Noite’ para se retratar. O noticiário da SIC obteve 33,3 % de share.
No mesmo dia ‘Não Há Crise!’, programa de apanhados apresentado por Nuno Graciano alcançou 33,2 % de share, enquanto ‘Atreve-te a Cantar’, conduzido por Bárbara Guimarães, chegou aos 30,7%. Já ‘Fama Show’ ficou-se pelos 32,5% seguido pelo filme ‘Déjà Vu’, com 30,8%.
PORMENORES
'JORNAL DA NOITE'
O noticiário, que foi para o ar no sábado às 18h59, cerca de meia hora antes do encontro entre os dois grandes clubes lisboetas, obteve um share de 30,7 pontos percentuais.
ENTREVISTA
Na entrevista, conduzida por Maria João Ruela, no domingo, no ‘Jornal da Noite’, o árbitro de Setúbal, Lucílio Baptista, reconheceu ter agido por intuição e que não havia motivo para marcar o penálti.
fonte: site CM

23 de março de 2009

ÚLTIMA HORA - SIC não exibe "Mário Crespo Entrevista"

Por motivos de programação a SIC não exibe esta noite o programa "Mário Crespo entrevista". A informação foi avançada por Rodrigo Guedes de Carvalho no final do "Jornal da Noite" que foi mais extenso devido a notícias desenroladas na última tarde.

Futsal > Benfica - Fundação na SIC

O jogo grande da 22.ª jornada do Campeonato Nacional da 1.ª Divisão, que vai colocar frente-a-frente o Benfica e a Fundação Jorge Antunes, vai ser transmitido em directo através da SIC. O encontro entre crónicos candidatos ao título tem o pontapé de saída marcado para as 14:45h do próximo sábado, dia 28, no Pavilhão 2 do Complexo Desportivo do Estádio da Luz.
Separados por três pontos, com vantagem para os vizelenses, Benfica e Fundação Jorge Antunes jogam uma importante cartada na luta pelo primeiro lugar da fase regular, quando falta cinco jornadas para o final da prova.
fonte: SCN

SIC vence Domingo e coloca dois programas no top5

22 de março de 2009

SIC vence o dia com 32,5%


Top5 com 4 programas da SIC

fonte: Marktest

"Lucy" continua em antena apesar de suspeitas que davam com o fim do programa

Luciana Abreu despede-se no final deste mês das gravações do seu programa infantil, ‘Lucy’, depois de oito meses em gravações. Segundo a SIC, o formato ainda será emitido por mais alguns meses, já que “o plano de gravações desta segunda série foi cumprido à risca”.
Já se sabe, entretanto, que não haverá uma terceira temporada e que o fim é definitivo. Nas próximas férias, os mais pequenos já não vão contar com a companhia diária da ex-‘Floribella’ no ecrã, como estava previsto desde o início de ‘Lucy’. É a própria Luciana Abreu quem confirma a notícia à Vidas: “O programa acaba no Verão.” Como o trabalho já está feito, a SIC vai continuar a emitir os programas que tem em carteira por mais alguns meses.
Lucy’ estreou a 30 de Agosto de 2008, como líder de audiências no seu horário, as manhãs de sábado e domingo. Na altura, o director de programas do canal, Nuno Santos, estava muito optimista. “O ‘Lucy’ vai ser transmitido por tempo indeterminado. A Luciana tem um talento extraordinário, único, e uma força incrível”, justificava ele.
No entanto, o sucesso foi sol de pouca dura. Na última semana, por exemplo, ‘Lucy’ nem sequer esteve entre os 15 programas mais vistos da SIC na faixa etária dos 4 aos 14 anos (o primeiro lugar é de ‘Não Há Crise’, com Nuno Graciano).
Luciana Abreu ainda assim não desanima. A apresentadora afirmou que o fim do formato, que considerava ser “um sonho tornado realidade”, não a deixa triste. “Depois do ‘Lucy’ vêm aí coisas muito boas para mim. Tenho imensos projectos mas não estou autorizada a falar sobre nada. É um segredo muito bom!”, afirmou.
Recentemente, Luciana Abreu manifestou o seu desejo de voltar a fazer novelas e não descartava a hipótese de protagonizar uma terceira temporada de ‘Floribella’, a série que a catapultou para a fama. Gravar um álbum também faz parte dos planos de Luciana.
fonte: CM

21 de março de 2009

Final da Carlsberg Cup

Magazine na SIC Mulher

“Para 2009 já temos algumas entrevistas de peso. Alicia Keys, Edward Norton e Clive Owen, entre outros”, revela à Correio TV Rui Pedro Tendinha, o rosto do programa ‘Grande Cinema’, exibido aos domingos na SIC Mulher.
Will Smith, Penélope Cruz, Joaquin Phoenix e Colin Farrell são alguns dos famosos já entrevistados, em exclusivo, para o programa da SIC Mulher pelo jornalista que não falta aos “principais festivais de cinema da Europa e dos EUA”. Humildade e informalidade são os segredos de Tendinha para conseguir “criar uma química com o entrevistado, de modo a que aqueles dois ou três minutos de conversa útil – contabilizados pelos agentes, os publicistas – tenham o máximo de conteúdo”.
Apaixonado por cinema, Rui Pedro Tendinha é, também ele, um rosto conhecido de algumas estrelas. O que equivale a reencontros curiosos e marcantes. “O [George] Clooney já me conhece e sempre que me vê por perto vem falar-me. Lembra-me sempre que quem cuida da sua casa em Como, Itália, são portugueses”, revela o jornalista. E conta que já levou um “valente abraço de Tom Cruise” e um “sorriso de Paris Hilton numa loja em Los Angeles”. Além das entrevistas, ‘Grande Cinema’ divulga as produções em estreia, através da exibição dos ‘making of’.
PROMOÇÃO: MODA NACIONAL
Nas suas viagens, o apresentador de ‘Grande Cinema’ promove o que é nacional: “O Chris Brosnan gostou do que eu tinha vestido e disse-lhe que era de um estilista português, Nuno Gama”.
fonte: CM

20 de março de 2009

Site da Radical cpmstruído pelos internautas

O novo ‘site’ da SIC Radical vai ser construído com a participação dos telespectadores do canal. A versão ‘beta’ do portal já está ‘online’, e os internautas já podem começar a dar as suas contribuições. “Preferimos lançar já esta versão, permitindo assim que a comunidade participe na construção do ‘site’”, afirmou Pedro Soares, responsável pela SIC Online. Enquanto ‘site’ construído com base em “conteúdos gerados pelos utilizadores”, o novo ‘site’ da SIC Radical pretende inovar pela forte componente social, recorrendo para isso à rede social social do grupo Impresa, o Chilltime.com, a que foi entregue a responsabilidade do seu desenvolvimento.De acordo com o director dos canais temáticos SIC, Pedro Boucherie Mendes, espera-se que este dia “marque o arranque definitivo de uma presença da Radical na Internet. Muito mais vai acontecer nos próximos tempos”, afirma o responsável em comunicado.“A Beta está a chegar” foi o mote da campanha ‘online’ que antecipou o lançamento da versão ‘beta’ do novo ‘site’ da SIC Radical. A versão final deverá ser lançada por altura do aniversário do canal, a 23 de Abril, e incluirá já todas as sugestões enviadas pela comunidade.
fonte: DN

O Aleixo volta à SIC Radical

Bruno Aleixo, o boneco peludo e rezingão que agitou as águas do humor nacional no ano passado, deve regressar à televisão, com o seu “Programa do Aleixo”, em Setembro.
A segunda série está garantida, porque já tem financiamento, contou João Moreira, um dos criadores. A incógnita é o canal televisivo em que será transmitida. Para já, tudo está em aberto. Inclusive, a continuação na SIC Radical, onde se deu a estreia do invulgar “talk show”.
Contactado pelo JN, há algumas semanas, o director dos canais temáticos da SIC, Pedro Boucherie Mendes, disse existirem “grandes hipóteses de haver (uma segunda série do programa na SIC Radical). É uma questão de se chegar a acordo”.
E não poupou elogios, quer à personagem, quer aos autores: João Moreira, João Pombeiro e Pedro Santo, que formam os Guionistas e Argumentistas Não-Alinhados - GANA.
Recorde-se que Bruno Aleixo - com cara de cão e vocabulário de “pessoa de 80 anos”, como explicou João Moreira, outrora, ao JN - nasceu na Internet e logo gerou um pequeno culto. Herman José, por exemplo, considerou-o um fenómeno do humor nacional de 2008, apelidando-o de “surpreendente e original”.
O boneco chegou mesmo a ser o convidado de Carlos Vaz Marques, no programa “Pessoal e… Transmissível”, na TSF. Foi a primeira entrevista do género, para o jornalista - fã assumido, após ter descoberto a personagem, através do filho. Durante a emissão, Aleixo, personagem maliciosa, não o poupou a algumas descompusturas. Queixou-se do café e frisou que não pagaria o táxi.
fonte: site JN

Camilo está de regresso a casa

"Camilo, o Presidente" marca o regresso de Camilo de Oliveira à SIC. Do actor, com 60 anos de carreira, diz-se que cativa tanto a criança como o sénior. Mas o jovem identificar-se-á? O JN quis saber se o humor escolhe idades.
O humorista Rui Unas acha que sim, por uma questão geracional. "Muita gente nova tem respeito pelo Camilo. Agora, que ri às gargalhadas com ele, já duvido". De igual modo, prossegue, "consigo imaginar uma pessoa mais velha a gostar do Bruno Aleixo (ver texto ao lado), mas tenho de me esforçar um bocadinho (risos)".
O sociólogo Albertino Gonçalves também encontra afinidades entre os estilos humorísticos e as idades. "Não vejo a juventude a mudar a sua rotina diária para ver programas como o de Camilo de Oliveira; vejo mais se for para ver o Gato Fedorento", exemplifica, sublinhando que "não há tipos de humor melhores e piores, nem mais fáceis e mais difíceis".
Mas os níveis de instrução também pesam e, em Portugal, "a democratização do ensino tem 30 anos", lembra o sociólogo. "As pessoas de idade são capazes de aderir mais ao humor de situação. Por exemplo, aos 'apanhados', que não têm grande elaboração. Os jovens preferem um humor mais trabalhado na forma, na linguagem, na personagem", explica. Daí o seu gosto pela transgressão, pelo "non sense".
Já João Moreira, que dá voz ao boneco Bruno Aleixo, entende que, se há tipos de humor específicos a atrair faixas etárias específicas, isso tem que ver com os costumes e a abertura à novidade. "Um humor que inove é mais depressa aceite pelos adolescentes e jovens adultos. As pessoas de meia idade aceitam-no, se lhes for servido pela televisão, mas não o procuram. E a maioria dos mais velhos tem dificuldade em aceitar novidades - no humor, como em tudo".
"Camilo, o Presidente", um original com textos de Filipe d'Aviz e Lourenço Henriques, começou a ser produzido esta semana. O actor veste a pele do presidente da Junta de Freguesia de Faneca de Cima, envolvido em constantes peripécias. Da sua boca, ao fim de cada episódio, sairá sempre a expressão-piropo: "Ah! Faneca".
Pedro Curto, da CBV Produções Televisivas, diz que Camilo de Oliveira chega a toda a gente, da criança ao sénior. O psicólogo Armando Afonso arrisca uma explicação: "É um humor mais simplista, popular. A mensagem passa quase directamente".
Herman José também deu o seu contributo para a matéria: "Eu diria que quem chora a rir com o 'Little Britain' (série de humor britânica) não corre para casa para ver o Camilo. Por outro lado, quem sabe avaliar a arte de bem representar, não pode deixar de se fascinar com a escola e a mestria do 'mestre' Camilo".
fonte: site JN

Emissão especial dedicada à Carlsberg Cup

A final da Taça da Liga vai ter transmissão em directo, às 19h45, a partir do Estádio do Algarve. Mas, ao longo do dia, a SIC Notícias, a SIC Online e o canal generalista irão estar com uma emissão especial que envolve mais de 60 profissionais, 18 câmaras no estádio e um helicóptero a sobrevoar a zona antes do jogo.
A partir das 09h00 a SIC Notícias abrirá a antena para as habituais previsões do jogo, com reportagens e comentadores. Na SIC, a emissão especial arranca com o "Primeiro Jornal", apresentado por Maria João Ruela nos estúdios de Carnaxide e Pedro Mourinho no Estádio do Algarve. A mesma dupla que às 19h00 apresentará o "Jornal da Noite". Pedro Mourinho será também o pivô responsável pela condução deste especial ao longo do dia e a narração do jogo estará a cargo de José Augusto Marques. No final do jogo haverá reportagens em directo no balneário do vencedor. A emissão terminará com o sorteio de um carro entregue por Liliana Campos a um espectador da SIC. A final será também transmitida para os telemóveis, através da SIC Mobile. Na SIC Online, os espectadores da SIC terão oportunidade de participar num blog ao vivo, onde os utilizadores do site poderão interagir através dos comentários sobre o jogo que poderão ser colocados no blog.
fonte: SIC Online

19 de março de 2009

Gato Fedorento volta com novo forato

Os Gato Fedorento regressam à SIC em Outubro com um formato diferente de ‘Zé Carlos’. Quem o diz é Ricardo Araújo Pereira que, até lá, vai aproveitar as férias para tirar o mestrado em Teoria da Literatura e "continuar a não fazer nada. Em tempo de crise prefiro deixar o trabalho para os outros".
"O formato será diferente do que fazíamos, humor sobre a actualidade. É impossível fazer um programa assim porque além de sermos sempre os mesmos quatro a fazer tudo, ainda por cima os protagonistas são os mesmos há vinte anos", diz Araújo Pereira ao CM.
O humorista juntou-se ontem a Jorge Vaz Nande, argumentista da Bode Expiatório, e Pedro Fernandes, do ‘Caia Quem Caia’, TVI, numa conferência sobre Comédia e Guionismo, na Faculdade de Ciência e Tecnologia da Universidade Nova de Lisboa. Em "tom de piada", trocaram ideias com os espectadores sobre comédia e guionismo em Portugal. Para os argumentistas, ser cómico é algo que vem com a pessoa, "faz parte da personalidade".
PORMENORES
'ZÉ CARLOS'
A última série dos Gato Fedorento na SIC estreou a 5 de Outubro de 2008, com 10,7% de audiência.
BODE EXPIATÓRIO
A empresa produz conteúdos de humor para TV e sites.
fonte: site CM

Taça UEFA hoje às 20h30

18 de março de 2009

Globos de Ouro a 17 de Maio na SIC

video

Ricardo Araújo Pereira e Zé Diogo Quintela em vídeo sobre a Taça da Liga

Ricardo Araújo Pereira e José Diogo Quintela gravaram um depoimento sobre a final da Taça da Liga. Os 2 elementos dos Gatos Fedorento, um do Benfica outro do Sporting, apostam tudo... no fair play. Um vídeo para ver em 1ª mão em www.sic.pt, e no Sábado, na operação especial da SIC sobre a final da Taça da Liga.
fonte: SIC Online

17 de março de 2009

Mega Operação para acompanhar o final da Carlsberg Cup

SIC vai transmitir o jogo em directo. A operação especial envolve mais de 60 profissionais, 18 câmaras no estádio e um helicóptero a sobrevoar a zona antes do jogo, e vai garantir informação em directo, todo o dia, na SIC Notícias e na SIC Online. No canal generalista, o pré-jogo vai ser alvo de uma emissão especial durante a tarde.
fonte: site oficial LSC

Teresa grava entretenimento

Rir é fundamental para as pessoas vibrarem positivamente. E, em tempos de crise, há tendência para se procurar programas mais descontraídos", explica ao CM Teresa Guilherme, que está a gravar para a SIC "um programa de entretenimento" que aposta no "humor".
"Pode haver humor em formatos que não são especifica-mente humorísticos", revela a produtora sem querer adiantar mais informações.
"Gosto muito de formatos de humor", diz Teresa Guilherme que contou ter pegado neste projecto "apressada" pelas rescisões da SIC, que deixaram alguns dos seus mais próximos colaboradores sem trabalho.
"Havia amigos e óptimos profissionais em risco de entrar no desemprego. Antes que tal acontecesse era fundamental arrancar com um projecto de modo a agarrar alguns deles", explica Teresa Guilherme.
PORMENORES
ORÇAMENTO PARA 2009
Teresa Guilherme tem um orçamento estipulado para produzir, ao longo do ano, um conjunto de programas para a SIC.
REUNIÃO COM DIRECÇÃO
Teresa Guilherme deve reunir hoje com Nuno Santos, director de Programas da SIC, para acertar detalhes sobre o novo programa que, em breve, será apresentado à Imprensa.
fonte: site CM

16 de março de 2009

Taça UEFA quinta-feira na SIC

Carlos Moura de regresso à SIC

Depois de participações em "Levanta-te e Ri" no stand up comedy e depois de ter apresentado o extinto programa "Às 2 por 3" Carlos Moura está de regresso à antena desta vez para substituir José Figueiras na apresentação do programa matinal "Ligou Ganhou"! Isto tudo acontece hoje.

14 de março de 2009

Entrevista a Sofia Carvalho

A SIC Mulher comemora seis anos com mudanças na imagem gráfica e duas estreias. Para a sua directora, o canal é cada vez mais “uma alternativa” e uma “marca forte”
Que balanço faz dos seis anos de actividade da SIC Mulher?
Foram seis anos de um percurso fantástico, quer a nível pessoal quer a nível profissional, porque a SIC Mulher conseguiu-se posicionar como uma marca forte.
Como cresceu o canal em 2008?
Tivemos os melhores resultados de sempre. Com o ‘Rock in Rio’ obtivemos shares muito bons. O ‘Oprah’s Big Gift’ também teve um bom desempenho. E creio que, em 2009, vamos continuar a revelar uma boa performance.
Em 2003, quando o canal estreou, o panorama audiovisual era bem diferente. Como é que o canal enfrenta hoje a concorrência?
Não existiam tantos canais por cabo e a realidade hoje é bem distinta. O facto de haver mais canais e mais concorrência obriga-nos a ser mais criativos. Mas o balanço é muito positivo.
Mês de Março é tempo de estreias?
A imagem da SIC Mulher vai sofrer algumas alterações gráficas no decorrer deste mês. Vai ter um colorido um bocadinho diferente. Faz bem mudar de vezemquando, sempre na mesma linha da SIC Mulher. E vamos estrear dois novosprogramas: ‘Restaurante’, com Raquel Strada, e ‘Instinto Moda’, com Sara Vaz.
A Sara Vaz é uma estreante em televisão?
É uma jovem bailarina, que se estreia na televisão com este espaço.
O canal continua a apostar no ‘Querido, Mudei a Casa’?
Vamos arrancar com a décima série. O primeiro programa será um projecto especial, a remodelação total de uma casa, coisa que nunca fizemos.
Por que não aposta mais o ‘Querido’ na recuperação de lares e infantários?
O conceito do programa é transformar uma divisão. Mas os pedidos de escolas e instituições eram tantos que nós decidimos fazer uma transformação nesses espaços no primeiro programa de cada nova temporada.
O ‘Depois do Querido...’ continua na grelha?
Vamos ter mais 22 episódios.
A SIC Mulher tem poucos formatos de produção nacional. Quando mudará esta realidade?
O ‘Restaurante’ e ‘Instinto da Moda’ já fazem parte dessa intenção. Temos de ter programas adaptados à nossa realidade e estes dois novos formatos vão ao encontro desta ideia. Esperamos que venham a ter o sucesso e a longevidade do ‘Querido, Mudei a Casa’.
Há dois anos que quer muito um programa de puericultura e sexologia. Quando concretiza esta intenção?
Temos um formato estrangeiro de sexologia, mas quero ter um formato adaptado à nossa realidade. Em relação à puericultura, e porque estamos a falar para mulheres, acho muito interessante termos um programa desta natureza. Mas nós conseguimos ter todas estas temáticas abordadas no ‘Mundo das Mulheres’, da Adelaide de Sousa.
O ‘Mundo das Mulheres’ mantém-se na grelha?
Sim, porque temos tido um retorno muito positivo. Fizemos algumas alterações, introduzimos mais reportagem, e este parece ser o formato que mais vai ao encontro do gosto das pessoas.
Não acha o horário nobre do canal muito repetitivo, com ‘Jamie at Home’, ‘Will & Grace’, ‘Oprah’ e ‘Tyra Banks’?
Isso acontece por temporadas. ‘Will & Grace’ é uma sitcom que tem dez ou 20 séries e está num horário que visa fidelizar o telespectador. Não posso ter ‘Will & Grace’ durante seis meses e, depois, emiti-lo às 22h00 ou às 23h00. Isso está estudado e varia com as temporadas. Já tivemos o ‘Querido, Mudei a Casa’ em horário nobre.
Como se explica que alguns dos assuntos abordados nos programas da Oprah estejam um pouco desactualizados?
Os temas do formato são intemporais mas quando há um desfasamento, ele acontece porque quando compramos o formato aos fornecedores eles entregam-no com essa ‘décalage’. Não conseguimos ter um programa que foi exibido ontem nos Estados Unidos e tê-lo hoje na SIC Mulher.
A SIC Mulher volta a dar destaque à Moda Lisboa?
A SIC e SIC Mulher são os canais oficiais do evento. É a terceira edição em que somos parceiros da Moda Lisboa, que está a decorrer na Cidadela de Cascais.
Vai participar activamente na transmissão do evento?
Como tem sido hábito nas edições anteriores, serão transmitidos programas diários na SIC e na SIC Mulher, bem como um compacto final na SIC Mulher. Apresentarei os especiais dedicados à moda.
O canal descurou as séries, algo em que apostou muito quando estreou?
Em 2003 apostámos muito nas séries, mas quando se impuseram os canais do cabo como o AXN, Fox e Fox Life, com os quais nos é muito difícil concorrer, a nossa estratégia passou a ser outra.
Como concilia a apresentação do ‘Querido’ com a direcção do canal?
É bom poder viver a realidade de uma produção de um programa como este, que envolve muita gente e muitas etapas, algumas dificuldades e imprevistos. É um privilégio poder ver o outro lado do programa. Concilio tudo com alguma dificuldade, porque hoje também somos mais ambiciosos com o ‘Querido’. Se no começo pintávamos e decorávamos, hoje partimos paredes, arrancamos lareiras...
Quantas pessoas sustentam o canal?
Eu, o produtor do canal, Nelson Furtado, e a redactora Catarina Marques. Somos a estrutura fixa do canal SIC Mulher. Isso motiva-nos muito. Temos vindo a crescer e gostamos muito do que fazemos. Não há um dia igual e todos são muito estimulantes.
Fez 39 anos no dia de aniversário do canal?
Costumo dizer que, no dia 8 de Março, sinto-me como se tivesse trigémeos: é o Dia Internacional da Mulher, o aniversário da SIC Mulher e o dia em que faço anos.

AS DUAS NOVIDADES NA GRELHA
‘INSTINTO MODA’ E ‘RESTAURANTE’

O que vai ser o programa ‘Instinto Moda’ ?
Aborda uma temática que eu queria há algum tempo no canal. É um programa de moda e lifestyle apresentado pela Sara Vaz.
E o espaço ‘Restaurante’?
Neste programa, a Raquel Strada dará a conhecer os bastidores da construção de um restaurante, desde o momento em que se decide construir até às conversas sobre decoração, a escolha dos serviços, conversas com o empreiteiro, os imprevistos, até ao dia em que se abrem as portas ao público.
Quantos programas estão previstos?
Para já três: o antes, o durante e o depois da construção do Tivoli Avenida. Este programa é inédito e nós vamos querer dar-lhe continuidade e fazer mais restaurantes.

APOSTA NA PRODUÇÃO NACIONAL
“A CRISE PODE ABRIR OPORTUNIDADES”

A produção própria continua a ser a grande ambição da SIC Mulher desde que se estreou, em 2003. Sustentado por uma equipa de três pessoas, a directora, um produtor e uma redactora, o canal mantém o mesmo perfil de telespectador: 60% são mulheres e 40% homens. E é a faixa etária dos 25 aos 34 anos que mais fiel se mantém aos conteúdos da SIC Mulher. Sofia Carvalho não tem dúvidas: “O canal é uma alternativa credível de programação”. Nem os tempos de crise intimidam a directora da SIC Mulher: “A crise está a afectar toda a gente, mas acredito que, nestes momentos complicados, surgem algumas novas oportunidades. Estamos atentos e vamos continuar a ser criativos e a apostar na produção nacional”.

PERFIL
Em 1993 entra na TVI como locutora de continuidade. Entre 1994 e 1996 foi um dos rostos, com Artur Albarran e Bárbara Guimarães, do ‘Novo Jornal’. Em 1997 co-apresentou ‘Directo XXI’, com José Carlos Castro. Depois de uma pausa na carreira regressa em 2002 e integra a equipa dos canais temáticos da SIC.

fonte: CM

13 de março de 2009

Carlsberg no Algarve

video

12 de março de 2009

Cartoons vivos na SIC Notícias

André Carrilho, João Paulo Cotrim, Cristina Sampaio e João Fazenda são os autores de pequenos filmes com 15 a 30 segundos emitidos no canal de informação da SIC. Cartoonistas dizem que o projecto é inédito e que foi pensado em 2006, mas que só agora foi possível concretizá-lo
Os cartoons animados chegaram à televisão, naquela que é uma "iniciativa inédita", de acordo com João Paulo Cotrim, um dos quatro mentores do projecto, juntamente com os cartoonistas André Carrilho, Cristina Sampaio e João Fazenda. Todos os dias, às 19.00 e às 23.00, passa uma pequena animação de 15 a 30 segundos, na SIC Notícias, sendo estreado um novo filme todos os sábados."Vivemos num país que critica quem faz e apoia quem se queixa. Há mais de dois anos que andamos a batalhar por este projecto. Isto é uma sequência lógica do humor gráfico porque a realidade está sempre em movimento", disse João Paulo Cotrim na apresentação do Spam Cartoon. E acrescentou: "Há qualquer coisa de pioneirismo nisto tudo. Ninguém, que eu saiba, está a fazer algo deste género. A lógica é que este projecto seja em multiplataforma, tanto na televisão como na Internet. Que se possa mandar um cartoon animado a amigos e inimigos".André Carrilho, cartoonista colaborador do DN, realça a diferença entre desenhar para a imprensa e para a televisão ou para a Internet. "Nos jornais há um maior imediatismo, enquanto na animação há um maior condicionalismo em termos de actualidade, porque demora mais tempo. Primeiro, as ideias para cada filme são discutidas em conselho editorial entre os quatro. Depois é que se começa a desenvolver o filme", explicou André Carrilho. E como surgiu a ideia? "Tanto eu como o João Paulo Cotrim tivemos a mesma ideia. Em 2006 descobrimos os dois que pensámos no mesmo... A partir daí começámos a trabalhar na ideia. Pensou-se primeiro em sites de jornais e depois na televisão", explicou o cartoonista.Já o director da SIC Notícias, António José Teixeira, considera que este projecto tem todo o interesse e é a prova da inovação do canal de informação de Carnaxide. "O humor é a quinta essência da actualidade. Este é um espaço de opinião", afirmou. Questionado sobre se haverá novidades no seu canal, António José Teixeira respondeu afirmativamente: "Haverá novos formatos ao longo do ano". E a TVI 24? "Já tive oportunidade de ver. Não me surpreendeu tanto como esperava. Mas estamos sempre atentos ao que os canais de notícias nacionais e internacionais fazem. Mas a SIC Notícias faz o seu trabalho, que continua a ser líder no cabo", concluiu.
fonte: DN

11 de março de 2009

SIC é a TV oficial da Moda Lisboa

A estação de Carnaxide, através da SIC e SIC Mulher, canal cabo, vai assegurar a cobertura da 32ª edição da Moda Lisboa/Estoril, que se realiza entre 12 e 15 de Março, na Cidadela de Cascais.
É a terceira vez consecutiva que a SIC é a estação oficial do evento. O tema do desfile das novas tendências da moda é agora "HEARTCORE".
A SIC e a SIC Mulher comprometeram-se a exibir programas diários. O canal cabo assegurará ainda um compacto final com os melhores momentos da passarela e bastidores.
Dentro do site da SIC, será também possível aceder os desfiles e outros acontecimentos que marcarão o certame.
fonte: JN

10 de março de 2009

Rebelde Way na abertura da SIC online

Quem abre nos últimos minutos o site da SIC vê uma novidade: uma promoção gráfica à novela "Rebelde Way". Vá ao site da SIC (www.sic.pt) e veja com os seus próprios olhos esta novidade. Se clicar na imagem será redireccionado para o site da Rebelde Way.

Podia Acabar o Mundo agora depois da meia-noite

Quem assistisse ontem à emissão da SIC notou uma falta no horário normal. O que fizeram a "Podia Acabar o Mundo" ou será que hoje [ontem] não foi emitida por algum problema? A resposta a esta pergunta é simples.
A novela portuguesa da SIC agora passa a dar a partir das 00:00h ou meia-noite como preferir. É uma alteração da grelha de programas devido às audiências que "Podia Acabar o Mundo" vinha a ter nas últimas semanas.
foto: arquivo SIC blog

Taça UEFA quinta-feira na SIC

8 de março de 2009

Hi5 do SIC blog em destaque no "FUTURO HOJE"

O SIC Blog tem um hi5! E ele apareceu na rúbrica de hoje do Jornal da Noite. Veja aqui um excerto dessa peça do "Futuro Hoje"!

O SIC BLOG AGRADECE À SIC E AO LOURENÇO MEDEIROS!

SIC Mulher de parabéns

7 de março de 2009

Carlsberg Cup Show com mais de 1,5 milhões de espectadores

Os jogos Portugal-Finlândia, na TVI, e "Carlsberg Cup Show", na SIC, ultrapassaram os 1,5 milhões de telespectadores.
(...) Em segundo lugar surge o programa ‘Protagonistas’, apresentado por Carla Matadinho (SIC), com uma audiência média de 1 832 800 telespectadores. O Sporting-FC Porto, também exibido pela SIC, ficou em terceiro com 1 771 600 telespectadores. (...) O Benfica-V. Guimarães (SIC ) ocupa a quinta posição na lista, com 1 651 100 telespectadores, na SIC.
fonte: CM
foto: arquivo SIC Blog

SIC Mulher com novidades

Prestes a completar seis anos de existência, o canal por cabo dirigido ao público feminino apresenta conteúdos frescos. Os mais sonantes são de produção lusa, mas os aficionados dos "talk-shows" têm motivos para sorrir.
"Restaurante" e "Instinto moda" são as grandes novidades da SIC Mulher cujo aniversário se comemora amanhã. Se Raquel Strada, que já não é uma debutante nas lides da apresentação, estará à frente do primeiro formato, o segundo caberá a Sara Vaz conduzir. Acontece que esta bailarina e estudante de teatro não tem qualquer experiência nos meandros da televisão. Surpreendente? Pelo menos para ela foi.
"Não estava à espera", garantiu. A câmara intimida-a um pouco, é certo, o nervosismo e ansiedade pontuam, porém, "esta janela de oportunidade" deixou-a "muito feliz". Afinal, "Instinto moda" é, segundo a própria, o sucessor de "86-60-86", da RTP, na medida em que "nunca mais se fez nada do género". Transversalidade de tendências e estilos parece ser a tónica do formato nacional.
Pedro Boucherie Mendes, director dos canais temáticos da SIC, justificou a aposta em Sara. "Lançar novos valores é um dos objectivos e o cabo serve para aprender". Por outro lado, o porte de "know how" não terá pesado, uma vez que o propósito era investir em "alguém virgem e sem uma carga" face ao pequeno ecrã.
Por sua vez, "Restaurante" reporta-se ao processo de recuperação de um espaço, em jeito de "making-of". A transformação do restaurante "Olivier", em pleno coração de Lisboa, é o protagonista de três episódios que retratam tanto a sua reinvenção física, como conceptual. Raquel Strada disse ter sido "um processo exigente ao nível da dedicação". Quanto à curta vida do programa, referiu: "Veremos como será a reacção . Não quero que as pessoas fiquem enfadadas". Relativamente aos "talk-shows" emblemáticos do canal, vêm aí novas fornadas de "Oprah", e "Tyra", até porque Boucherie Mendes admitiu que "as constantes repetições esgotam os programas". Interrogado acerca da insistência em Oprah Winfrey, respondeu: "O Paulo Bento também não deixa de convocar o Liedson". Já Sofia Carvalho, directora da SIC Mulher, repudiou a ideia de que um canal exclusivo para o "target" feminino possa estar conotado com discriminação positiva".
fonte: JN

SIC Notícias continua LÍDER

Ao fim de uma semana, a TVI 24 ainda não chegou perto do canal líder do cabo, a SIC Notícias, que continua a agarrar a maioria dos telespectadores que consomem informação. Para já, o novo canal de Moniz ainda só faz concorrência à RTPN e, mesmo assim, só lhe venceu nos primeiros dois dias (26 de Fevereiro a partir das 21.00, quando o novo canal nasceu), de acordo com os dados da Marktest.Também nos principais noticiários dos três canais de informação (entre as 21.00 e as 22.00), a SIC Notícias é vencedora absoluta. O Jornal das Nove, apresentado pelo veterano Mário Crespo, continua a ser o preferido dos telespectadores do cabo, tendo tido uma média de 3,1% de share entre os dias 26 de Fevereiro e 5 de Março. Já o À Noite, As Notícias, conduzido por João Adelino Faria e Carlos Daniel alternadamente semana a semana, conseguiu, no mesmo período, uma média de 0,9%, abaixo do Jornal do Dia, da TVI 24, que alcançou uma média de 1,3%. Ainda assim, o À Noite, As Notícias, da RTPN, venceu o Jornal do Dia em três dias.O melhor dia da SIC Notícias, de acordo com o mesmo período em análise, foi terça-feira, 3 de Março, quando alcançou 5,1% de audiência. O melhor dia da RTPN foi domingo passado, com 2,2%. Curiosamente, o melhor resultado diário da TVI 24 também foi domingo, com 2,1%. Analisando os piores dias de cada canal, chega-se à conclusão de que a SIC Notícias foi abaixo no sábado, 28 de Fevereiro, com 3,3%, ainda assim acima dos concorrentes. O dia pior da RTPN foi sexta, 27 de Fevereiro, com 1,3%, e quarta, 4 de Março, foi o menos feliz para a TVI 24, com 1,1%.Nos noticiários das 21.00, a SIC Notícias teve o seu melhor dia na terça-feira, 3 de Março, com 4,5% de share, com Jornal das Nove. Já a concorrente TVI 24 venceu na estreia, 26 de Fevereiro, com as primeiras palavras de Henrique Garcia, tendo alcançado 2,3%. O melhor noticiário da RTPN ocorreu na segunda-feira, 2 de Março, com 1,4%. Já os piores resultados aconteceram na quarta, 4 de Março, para o Jornal das Nove (2,4%), da SIC Notícias, quinta, 26 de Fevereiro, para o À Noite, As Notícias (0,4%), da RTPN, e quarta, 4 Março, para Jornal do Dia (0,5%), da TVI 24.A conclusão que se pode tirar destes valores, relativos à primeira semana da existência da TVI 24, é que esta já concorre com a RTPN, mas está ainda longe de beliscar a SIC Notícias, tanto no total de cada dia, como no noticiário principal. Isto ao contrário do que acontece no panorama dos canais generalistas, em que a TVI reina e a SIC está a sentir dificuldades para se impor.
fonte: DN

6 de março de 2009

Nova novela vem a caminho

O anúncio foi feito ontem, durante as gravações de Podia Acabar o Mundo, a telenovela do horário nobre da SIC. E foi feito pelo consultor de ficção da estação de Carnaxide, Virgílio Castelo: "A nova telenovela já está entregue à SP Televisão e os contactos para o elenco já começaram esta semana." As gravações arrancam já em Maio, logo depois de as gravações da actual telenovela, protagonizada por Diogo Morgado e Cláudia Vieira, terminarem. "Vai haver apenas um intervalo para a produção poder organizar as coisas entre uma novela e a outra. Mas, sim, mal esta acabe, começa a nova", explicou. Voltando ao elenco, Virgílio Castelo não quis adiantar nomes, pois ainda não há nenhum contrato fechado. Contudo, avançou que recebeu um telefonema que lhe deu conta de que o processo está muito bem encaminhado. E vai ser possível ver actores da TVI na nova telenovela, tal como aconteceu em Podia Acabar o Mundo, com a aquisição de Cláudia Vieira, Diana Chaves e Joana Seixas? O consultor de ficção da SIC tentou fugir à questão, mas deixou escapar: "Os elencos da TVI é onde há contratos de exclusividade. Essas pessoas não virão trabalhar connosco, naturalmente... para já." Um "para já" denunciador de que pode haver actores do canal de José Eduardo Moniz a serem aliciados. Contudo, Virgílio quis destacar um aspecto: "De qualquer maneira, temos actores que estão no mercado e que têm muita vontade de trabalhar connosco. Nós ficamos muito contentes com isso, porque é sinal de confiança num projecto que arrancou há muito pouco tempo."O argumento da telenovela será original e a data da estreia não foi divulgada por Virgílio Castelo. "Isso são coisas que o Nuno Santos anunciará. A minha função é pôr os projectos a andar... o anúncio oficial e a estratégia da estação é o Nuno que vai fazer." Uma coisa é certa: neste novo projecto de ficção, Virgílio Castelo não vai pertencer ao elenco. "Não. Espero que não seja um padrão que se repita, porque não faz qualquer sentido. Há actores magníficos da minha idade", justificou.
fonte: site DN

5 de março de 2009

Futsal na SIC

O jogo entre o MODICUS (9º classificado) e o Sporting (5º classificado) que inaugura a 21ª jornada do Campeonato Nacional da I Divisão de Futsal/FUTSAGRES, está para o próximo sábado (7 de Março), pelas 14h45.A partida será disputada no Pavilhão do Movimento Dinâmico e Cultural de Sandim (MODICUS), em Sandim/Vila Nova de Gaia e terá honras de transmissão em directo na SIC, apenas para o Continente, Açores e Madeira.
fonte: site FPF

3 de março de 2009

SIC Notícias intacta apesar da existência da RTP N e do TVI24

Foram dois dias atípicos, marcados pelo Congresso do PS, em Espinho, mas também um teste aos canais de notícias e sobretudo para o estreante TVI24. Sem supresas, a SIC Notícias foi o mais visto, a RTPN ficou em segundo, seguido da TVI24.
No sábado, a SIC Notícias foi acompanhada por uma uma média de 25.500 espectadores, enquanto a RTPN registou 15.400 e a TVI24 12.800. O canal de notícias de Carnaxide ficou em sexto na tabela geral, tendo à sua frente a RTP2 e a Sport TV, por causa do jogo F.C.Porto-Sporting. A RTPN ficou em oitavo e a oferta mais recente da ZON, única operadora onde é distribuído o TVI24, em décimo. Na comparação das quotas de audiência, a SIC Notícias não foi além de 3.3%, contra o 2%, da estação de informação sob tutela do Estado, e o 1.7% da TVI24.
No domingo, a SIC Notícias ascendeu ao quatro lugar, com uma média de 33.000 espectadores. Em sétimo, e com a RTP2 e a TV Record pelo meio, situou-se a RTPN: 19.200 pessoas de público e uma quota de 2.2%. Curiosamente, uma quota semelhante à do TVI24, segundo os dados fornecidos pela Marktest, embora esta última tivesse atraído menos espectadores: 18.700 mais precisamente.
fonte: site JN

SIC Radical > Concurso traz o absurdo

E se um concorrente de um concurso tiver de comer alimentos colocados no topo da cabeça de um colega de equipa, enquanto este se tenta equilibrar numa passadeira? "Para quem pensava que já tinha assistido aos concursos mais bizarros", anuncia a SIC Radical em comunicado, o canal oferece Kamikazes - I Survived A Japanese Game Show (ou, em português, Eu sobrevivi a um concurso japonês), a partir de amanhã, às 22.00.É um reality show que chega dos Estados Unidos, e no qual dez típicos americanos são levados para Tóquio para participar num concurso que desconhecem por completo. De tudo isto, os concorrentes só sabem que vão ter de viajar até ao Japão. "E é aqui que começam as primeiras dificuldades, já que muitos deles nunca tinham saído do próprio país", explica o comunicado do canal. Só depois é que percebem que vão ter de competir num bizarro concurso japonês de televisão. "E para quem não sabe o que isso é, prepare-se par assistir à provas mais inusitadas!""O fascínio dos japoneses por acrobacias absurdas (como vestir dois concorrentes como enormes insectos e colocá-los a esbarrar contra uma parede, por exemplo) e a humilhação pública como boa e divertida televisão tem um sabor amargo quando retirada desse contexto cultural", escreveu Brian Lowry na revista norte-americana Variety, aquando da estreia do concurso no canal ABC, em Junho do ano passado.
fonte: DN

"Hora H" regressa... à Radical

Depois de se ter estreado em Fevereiro de 2007 e deixado a antena ao fim na primeira série (Janeiro de 2008) sem audiências de monta, Hora H volta agora à antena da SIC, mas desta vez ao canal mais Radical. Sendo uma ideia original de Herman José, trabalhada pelo guionista Nuno Markl e pelas Produções Fictícias, o formato de humor tem no seu elenco Maria Rueff, Ana Bola, Maria Vieira (que abandonou o programa a meio) Manuel Marques e César Mourão. Hora H passa-se na redacção do fictício Canal Nacional de Notícias (CNN), onde o principal pivot é Américo Russo (Herman José), um jornalista que tem como frase favorita: "Eu nunca engravidei ninguém!". Américo é a estrela da estação, e a personagem que conduz os telespectadores pelo dia- -a-dia de uma redacção bem-humorada. As repetições de Hora H vão acontecer todas as quintas-feiras, às 00.45, e nos domingos às 14.00.
fonte: site JN

SIC ficou em 3.º lugar no mês de Fevereiro

A SIC voltou a cair para terceiro lugar nas audiências no mês de Fevereiro ao registar, no total do dia, um share de 24,4 por cento. A estação, agora dirigida por Luís Marques e que sofreu alterações na estrutura, perdeu quota de mercado face ao resultado que alcançara em Janeiro, quando registou um share de 25,9 por cento.
Em Fevereiro, a estação mais vista foi mais uma vez a TVI, com um share total de 28,7 por cento (em Janeiro registou 28,9 por cento), seguida da RTP 1, que ficou em segundo lugar com um share de 25,9 por cento (em Janeiro teve 25,4 por cento). A RTP 2 teve cinco por cento de share (em Janeiro registara 5,3) e o cabo 16 por cento (mais 2,5 do que no mês anterior).
Também no horário nobre (das 20h00 às 24h00) liderou a TVI, com 33,4 por cento. Curiosamente, nesse horário a SIC ficou em segundo lugar com um share de 24,5 por cento, enquanto a RTP 1 registou apenas 23,9 por cento.
fonte: CM

1 de março de 2009

Promo SIC

feito pelo SIC Blog!

Angélico Vieira na SIC?

O actor/cantor da TVI, que se estreou na série "Morangos com Açúcar", e que actualmente interpreta ‘Leonardo’ em "Feitiço de Amor", segundo a revista "Mariana" pode estar prestes a mudar de "camisola".O actor recebeu um convite por parte de Nuno Santos, para integrar o elenco da novela que vai substituir "Podia Acabar o Mundo", caso o actor aceite este será o primeiro "roubo" na ficção nacional, por parte da SIC. O ex-namorado de Rita Pereira pode então juntar-se a Soraia Chaves, Ricardo Pereira, Virgílio Castelo, Cláudia Vieira, Patrícia Candoso, Luciana Abreu e possivelmente Diana Chaves, no elenco da próxima novela da SIC, que está envolta em grande secretismo.
fonte: fama

Audiências de Fevereiro

Daniel Oliveira em entrevista

Consultor de "light entertainment" acredita que "Fama Show" veio trazer brilho à antena de Carnaxide. Em defesa do "Tá a gravar", diz que o programa tem estrutura, um conceito
Aos 28 anos, Daniel Oliveira diz não ter atingido o cume da montanha. Há mais de uma década nos meandros da comunicação, foi na SIC que inaugurou o percurso, embora tenha sido a RTP, com o "Só Visto", a dar a conhecer o seu rosto.
Mas a fama não se esgotou ali. Aliás, é o programa "Fama show", que celebra hoje um ano com o entrevistado Cristiano Ronaldo, o responsável pelo roubo da liderança das audiências nas tardes de domingo à estação pública. Recentemente nomeado consultor externo de "light enterteinment" de Carnaxide, assevera que nada mudou. Ambicioso, "no bom sentido", perfeccionista, "dentro razoável", a perseverança, não lhe permite gozar de "retroactivos".
Porque começou tão cedo a carreira?
Desde muito novo que era fascinado pelo mundo da comunicação. Com 13 anos, fundei um jornal a título de brincadeira que me permitiu depois entrar para a SIC. Vinha para as instalações fazer entrevistas às figuras da estação, até que alguém reparou em mim.
Acabou por ser um autodidacta.
Tivemos cursos de formação quando começou a SIC Notícias. Mas qualquer profissional da área só se prepara no terreno.
A sua carreira debutou em Carnaxide. Entende a SIC como a sua casa-mãe?
Foi aqui que comecei, mas não me esqueço dos cinco anos fabulosos que passei na RTP. Porém, o facto de ter entrado para a SIC com 16 anos é algo que me está agarrado à pele: uma relação umbilical.
É considerado por muitos o pupilo de Nuno Santos. Sente esse estigma?
Não. Tanto as pessoas que trabalham comigo como quem observa à distância, caso do público, não dirá que o que tenho conseguido fazer é por ser amigo de quem quer que seja. Já o provei com os programas que fiz.
Tem uma forte ligação ao futebol. É uma paixão que ficou por cumprir?
De certa forma não ficou por cumprir, pois a minha actividade permitiu que estivesse muito próximo do meio, ainda que de forma menos activa. É um mundo de que gosto e onde tenho alguns amigos.
Ganhou um prémio com um trabalho sobre um jogador. Ter essas relações privilegiadas não facilita a tarefa?
Essa confiança nasce do trabalho. Travei o primeiro contacto com a esmagadora maioria dos jogadores que conheço em trabalho. Embora depois tenham nascido amizades sólidas. Em relação ao prémio, é evidente que ser o Cristiano Ronaldo no ano mais importante da sua carreira, ajudou. Mas o trabalho estava bem feito.
Partilhou das dores de barriga dele antes do anúncio do melhor jogador ?
Fiquei muito satisfeito. Em Maio, quando fiz os "Incríveis", manifestei a convicção de que ele seria o vencedor. Senti no fundo o que todos os portugueses sentiram: um enorme orgulho em ver um dos nossos chegar ao topo.
O "Só visto", da RTP, foi o formato que lhe deu visibilidade. Tem saudades?
Tenho saudades do início do programa, dos primeiros três anos. Apesar de ser nostálgico, sou também muito prático.
O seu "dom" de fazer chorar os convidados era natural?
Pretendia-se que aquelas entrevistas fossem marcantes. O "Só visto" ensinou-me que uma boa preparação sobre a pessoa que vai ser entrevistada, toca essa pessoa.
O "Fama show", da SIC, já o ultrapassou em audiências.
O "Fama" tem alma, não são só cinco fantásticas apresentadoras bonitas a dar a cara. Tem um corpo, uma forma, um cuidado extremo com que é preparado e representa uma lufada de ar fresco no panorama televisivo. O que o "Fama" conseguiu foi devolver algum "glamour" à antena da SIC. É entretenimento puro.
Não será a receita infalível juntar um grupo de mulheres bonitas...
Isso pesa, claro. A forma como elas abordam os convidados, o atrevimento que têm e a sua beleza é importante. O perceber que este modelo poderia ser líder é que está a fazer a diferença.
Há aqui uma instrumentalização do estereótipo da beleza feminina para servir a causa das audiências?
Não. A maioria do público do programa é feminino. A análise pode ser feita no sentido inverso, que é ter uma visão feminina do mundo. Necessariamente bonita, "glamourosa", com estilo. E o trabalho delas não se resume à beleza. Seria impossível este sucesso se assim fosse. A sua agilidade em fazer a pergunta certa no momento certo não tem rigorosamente nada a ver com a beleza.
Qual é a diferença entre entretenimento e "light-entertainment"?
Tem a ver com os níveis de produção e de investimento, sendo que a televisão hoje em dia, cada vez mais, por força da crise e não só, precisa de programas "light-entertainment": que disponham bem e que não tenham custos de produção valiosíssimos.
O segredo é ir por aí?
O "light-entertainment" tem sempre espaço. Mas não há aqui um modelo estanque. Na SIC, tanto o "Fama", como o "Episódio especial", "Não há crise", ou o "Tá a gravar" já deram provas de êxito.
Principalmente o "Tá a gravar" tem colhido vários apupos da crítica, como olha para esses reparos?
São legítimos. Nos EUA, existe um programa do género há 40 anos. Não são as críticas que nos fazem desviar do caminho. Há uma visão muito redutora do que é o programa, que não é um repositório de imagens. Tem uma estrutura, um conceito, não é tão vazio como querem fazer ver.
Em período de crise as pessoas demitem-se mais de pensar e procuram o que é de digestão fácil?
O "Fama" e o "Episódio especial" entram num campeonato à parte, já existiam antes de se falar na crise. No caso dos outros pode ter a ver com a necessidade de fuga à realidade. Mas a televisão é isso mesmo: um escape.
fonte: site JN