DANCIN' DAYS

estreia SEGUNDA na SIC a novela onde vale a pena sonhar!

ÍDOLOS

Domingo temos músicas do século XXI com os 10 finalistas

BOA TARDE

O talk show das tardes da SIC

ROSA FOGO

Assiste à novela no horário nobre da SIC

FINA ESTAMPA

Já estreou na SIC!

31 de outubro de 2008

Blogger vai de férias

Por motivos da minha ausência por motivos pessoais o blog estará desactualizado devido a falta de internet no local para onde me deslocarei.
Espero que entendam a minha situação prometendo estar aqui dentro de no máximo 10 dias.
A todos os que visitam o blog agradeço a vossa preferência.
Sem mais assunto de momento,
HDMA

Sondagem sobre os programas favoritos

O blog quer saber quais são os seus programas preferidos. Por isso mesmo criou esta nova sondagem.
A pergunta é a seguinte: Qual é o seu programa preferido na SIC?
Como opções de resposta tem as seguintes: Fátima, Contacto, Fama Show, Podia Acabar o Mundo, Rebelde Way, Dia em Grande ou A Favorita.
Vote até ao próximo dia 15 de Novembro de 2008. PARTICIPE!

Resultado da sondagem sobre as opiniões em relação à SIC

O blog durante os últimos dias teve a sua segunda sondagem sobre a estação. O objectivo desta sondagem era completar uma frase que começava com A SIC devia apostar em mais… A opção mais escolhida foi humor/comédia com 55% dos votos. Em seguida seguiram-se três hipóteses: com 22% a SIC devia ter mais debates e informação; mais ficção nacional e mais programas sobre o país. Com 11% aparece concursos e desporto que não o futebol.

FICHA TÉCNICA
A sondagem foi realizada pelo sic blogue com o propósito de se completar a frase que começava com A SIC devia apostar em mais… A sondagem decorreu na página do blog (sicblogue.blogspot.com) entre os dias 18 e 28 de Outubro de 2008 tendo respondido à questão 9 (nove) cibernautas. Nesta sondagem era possível escolherem várias hipóteses!A administração do blogue agradece a colaboração e sugere aos cibernautas que deão sugestões para mais sondagens. O e-mail disponível é: blog.tuga.news@gmail.com. Participe!

"Fama Show" dá música

O programa televisivo Fama Show, exibido na SIC, vai chegar às lojas, segunda-feira, em formato CD. Ou seja, os responsáveis do programa acabam de reunir em CD um conjunto de 18 músicas, nacionais e internacionais, que têm sido ouvidas no decorrer do programa.
«Cada uma das músicas remete-nos para o mundo do espectáculo e dos famosos. Tal como o programa, o CD reflecte uma atenção aos artistas portugueses, não deixando de estar em sintonia com o melhor que o mercado mundial nos oferece», explicou Daniel Oliveira, autor e coordenador do formato Fama Show.
fonte & foto: Briefing

Ricardo Araújo Pereira em entrevista

Ricardo Araújo Pereira. Na sua primeira entrevista após a estreia de ‘Zé Carlos’, o elemento mais mediático dos ‘Gato Fedorento’ revela ao CM que o próximo programa estreia em Outubro de 2009. Sobre o peso dos políticos portugueses no humor é peremptório: “Para alguma coisa haviam de ser bons”.
Correio da Manhã – Têm alguma fixação com o nome ‘Zé Carlos’, que já aparece num sketche da RTP?
Ricardo Araújo Pereira – O nome ‘Zé Carlos’ já apareceu em inúmeros sketches. Não admira: é um nome muito bonito.
– Ficam sempre entre os cinco mais vistos. Querem chegar ao número um ou isso não os incomoda?
– O número um, para nós, não chega. Ambicionamos chegar um pouco mais além. Também temos o sonho antigo de ficar em 26º.
– O formato é semelhante ao ‘Diz que é uma espécie de Magazine’. Por que não voltar ao estilo da SIC Radical?
– Conhece a história do velho, o menino e o burro? É quase tão gira como a do ‘Gato Fedorento’ e o formato. Quando chegámos à RTP fomos criticados porque começámos a fazer o mesmo que fazíamos na SIC. Depois passámos a fazer outro formato e fomos criticados porque era diferente do primeiro. Agora mudámos para a SIC e somos criticados porque o formato é igual ao da RTP. É curioso notar que, no seio do nosso grupo, a opinião é unânime: sinceramente, queremos que o formato, digamos, se lixe.
– Na RTP a realização era mais cuidada. Na SIC têm menos meios?
– Na SIC temos exactamente a mesma equipa de realização que tínhamos na RTP. Talvez seja do clima de Carnaxide. Sempre ouvi dizer que a humidade prejudica a realização.
– Têm atacado várias vezes o ‘Magalhães’. A actualidade está assim tão desinteressante em Portugal ?
– É um facto que a actualidade em Portugal está desinteressante, mas não esperava ter de explicar isso ao CM. Repare: em quatro programas, desde o dia 5 de Outubro, fizemos três sketches sobre o ‘Magalhães’. Em igual período de tempo, o CM publicou cerca de dez notícias sobre o computador português, incluindo informação sobre os encargos das autarquias com o ‘Magalhães’, as acções de formação de professores relativas ao ‘Magalhães’, os protestos da oposição por causa das acções de formação do ‘Magalhães’, os protestos do sindicato dos professores por causa das acções de formação do ‘Magalhães’, os problemas fiscais da empresa que fabrica o ‘Magalhães’, os contactos com outros países com vista à exportaçãodo‘Magalhães’, o iminente aumento de preço do ‘Magalhães’, etc. Pensei que a falta de assunto era evidente.
– Substituíram os ‘Tesourinhos Deprimentes’ pelos ‘Tumba’. Não acha que têm o mesmo conceito? É difícil vasculhar nos arquivos da SIC?
– Por acaso, não acho que tenham o mesmo conceito. Tenho a certeza absoluta de que têm o mesmo conceito. O objectivo era esse, aliás. Os arquivos da SIC, sendo mais pequenos, conseguem ter grande concentração de material deprimente.
O contrato com a SIC é de dois anos e para dois programas. Vai manter o ‘Zé Carlos’ ou fazer mudanças?
– Este programa dura até Dezembro. O próximo começará em Outubro de 2009, ou seja, daqui a um ano. Confesso que ainda não dedicámos um minuto a pensar nele. Quanto ao formato, posso adiantar que não será um programa da manhã. Mas poderá, ainda assim, ter passatempos.
– Continua a achar que os políticos são uma boa matéria-prima para fazer humor em Portugal?
– Sim. Para alguma coisa os políticos portugueses haviam de ser bons.
PERFIL
Ricardo Artur de Araújo Pereira nasceu em Lisboa em 1974. Licenciou-se em Comunicação Social e Cultural, na Universidade Católica. Seguiu-se o trabalho como jornalista, na redacção do ‘Jornal de Letras, Artes e Ideias’. Argumentista das Produções Fictícias e co-autor de vários textos para o Herman José, celebrizou-se com os ‘Gato Fedorento’, na SIC Radical. Com o mesmo quarteto passou pela RTP e está de volta à SIC.
fonte: site CM

30 de outubro de 2008

Lucy perde visual mais atrevido

Ao fim-de-semana, no ‘Lucy’, Luciana Abreu vai apostar num visual menos atrevido e trocar os calções e os decotes pelas calças de ganga e as blusas aos folhinhos. Nas gravações de um programa a que o CM assistiu e que deverá ser exibido no dia 9 de Novembro, a jovem apresentadora surge com um estilo mais romântico e singelo.
Depois de querer ser a versão portuguesa de Christina Aguilera, Britney Spears ou Jennifer Lopez, Luciana Abreu apresenta-se, na vigésima edição do seu formato na SIC, com uma imagem mais recatada. Mas a apresentadora, de 23 anos, recusa-se a explicar por que optou por um visual menos ousado. "Não vou alimentar uma polémica que só existe porque em televisão toda a gente tem opinião sobre tudo", limita-se a afirmar.
Para muitos dos que se manifestam na internet sobre o ‘ Programa da Lucy’, Luciana deveria usar roupas "mais discretas", "apropriadas para quem apresenta um programa infantil". Outros apontam as "coreografias sensuais" e a "música pouco educativa" num formato dirigido a crianças e jovens.
A apresentadora contesta: "Tenho todas as semanas centenas de crianças e pré-adolescentes comigo e nunca os vi falar desse assunto. Antes pelo contrário."
O presidente da Associação Portuguesa de Telespectadores, Rui Teixeira Motta, lamenta que o formato tenha sido criado para "rentabilizar a marca Luciana Abreu", depois do "sucesso que foi ‘Floribella’". "No programa, cheio de coreografias para adultos, as crianças são apenas um pretexto", afirma ao CM.
Na escolha do visual, a última palavra cabe a Luciana, que frequentemente viaja até ao Norte do País para escolher roupa de criadores anónimos. Micaela Oliveira não é a estilista oficial da apresentadora mas já confeccionou "alguns vestidos e corpetes" para o ‘Programa da Lucy’. "É tudo feito ao gosto da Luciana", revela a criadora.
PORMENORES
AUDIÊNCIAS
No dia 26, o ‘Programa da Lucy’ registou 2,9% de audiência e 23,2 de share. A estreia foi a 30 de Agosto. Foi o nono programa mais visto nesse dia na SIC com 3,8% de audiência e 34,9% de share.
'ÍDOLOS'
Luciana Abreu estreou-se na TV em 2004 quando participou no programa ‘Ídolos’ (SIC). Em 2005, a jovem de Massarelos representou Portugal no Festival Eurovisão da Canção (RTP 1).
'FLORIBELLA'
O estrelato chegou quando, em 2006, foi convidada para protagonizar a novela ‘Floribella’, na SIC.

28 de outubro de 2008

Concorrente admite que por 1 milhão de € deixava a família

"Quem tudo quer... tudo perde." Este parece ter sido a sentença de Hugo Ramos n'O Momento da Verdade, da SIC. A emissão de hoje mostra um concorrente confiante, mas que faz da sua prestação um "lavar de roupa suja" em prol do dinheiro. Hugo Ramos, de 32 anos, admite que sente falta de apoio dos pais desde o nascimento da irmã, hoje com 20 anos, e causa surpresa quando respondeu afirmativamente a Teresa Guilherme à pergunta: "Por um milhão de euros deixava a família e nunca mais voltava?"A mãe, Maria Ramos, o pai, Carlos Ramos, a irmã, Carla, e a companheira, Sandra, assistiram a todas as respostas e, embora algumas vezes chocados ou de lágrimas nos olhos, aplaudiram sempre.Hugo é técnico de informática e mora actualmente no Monte de Caparica com a companheira, Sandra, e o filho desta, Rafael de seis anos. Além de questões sobre a família, outras foram lançadas na direcção da namorada, obrigando Hugo a confessar que já gravou algumas das suas relações sexuais com Sandra. O polígrafo confirma a resposta e aguça a curiosidade de Teresa Guilherme, que pergunta se após a filmagem gostam de ver o resultado. "Gostamos de ver as nossas obras-primas", responde Hugo, perante o sorriso de Sandra. No entanto, no que toca às capacidades de Sandra enquanto mãe, Hugo confessa achar que ela não é assim tão boa: "Protege e mima demasiado o filho", disse.Já como filho... Hugo não se acha muito mimado, pelo contrário. Responde que não à pergunta "considera que os seus pais o apoiaram na sua vida?". A mãe diz que Hugo é muito fechado e "depois de a irmã nascer ficou um pouco mais 'esquecido'". É precisamente a irmã o maior dos problemas de Hugo. A quezília entre ambos é de tal modo acentuada que Hugo chega mesmo a acusá- -la de manipulação. O pai responde e vira o jogo, dizendo: "A irmã nunca nos manipulou contra ele, ele pensa que sim, mas não é verdade.""Já alguma vez desejou que a sua irmã nunca tivesse nascido?" é a 9.ª pergunta e Hugo responde que sim... Carla aplaude a resposta do irmão e, questionada por Teresa Guilherme, diz: "Eu sei que lá no fundo, bem no fundo, o meu irmão gosta de mim."Na emissão de hoje, Hugo vai responder apenas a 11 perguntas e fica prestes a entrar no 3.º patamar. Mas na próxima semana o polígrafo denunciará uma mentira. É na pergunta 19 que Hugo responde novamente acerca da irmã e perde, a duas perguntas dos 250 mil euros.
fonte & foto: site DN

27 de outubro de 2008

Herman poderá apresentar "O Momento da Verdade"

Herman José, 54 anos, admite vir a apresentar uma segunda temporada de ‘O Momento da Verdade’, na SIC, mas fazia mudanças.
Correio da Manhã – Fala-se no nome do Herman José para apresentar uma eventual segunda temporada de ‘O Momento da Verdade’, na SIC. É verdade?
Herman José – Essa ideia terá surgido de uma entrevista na qual me foi perguntado se apresentaria ‘O Momento da Verdade’, ao que respondi que "não teria a menor dúvida", que "acho o programa imaculadamente produzido" e que "acho o trabalho da Teresa Guilherme excelente".
– O que pensa deste programa?
– Acho atrevido, inovador, perversamente voyerístico e original.
– Se apresentasse ‘O Momento da Verdade’ o que mudaria neste formato?
– Transformava-o num diário, tipo novela. E criava uma grande dor de cabeça à concorrência.
– Qual a parte de que mais gosta, por exemplo, pedir explicações ao concorrente ou falar com a família e amigos sobre as respostas dadas?
– Adoro as reacções da família e amigos. É para mim o lado mais intenso do programa.
– Era capaz de ir ao polígrafo?
– Se precisasse do dinheiro para sobreviver, sim. Por vaidade, nunca.
fonte: site CM

25 de outubro de 2008

SIC passa hoje o filme Tentação

Na senda do que tem vindo a fazer a SIC passa hoje mais um telefilme produzido por si. Desta vez é "Tentação".
Aqui fica o trailer do filme:

Entrevista a Pedro Boucherie Mendes

Um ano depois de assumir a direcção de Conteúdos dos canais temáticos da estação de Carnaxide, o ex-director da ‘FHM’ faz um balanço dos resultados alcançados pela SIC Radical e SIC Mulher. Renovar a imagem da SIC Radical, com o objectivo de a tornar um canal 'mais cómodo para o espectador' e diversificar as ofertas da SIC Mulher têm sido as prioridades de Pedro Boucherie Mendes.
A SIC Radical sofreu algumas alterações ao longo deste ano. ‘A Vida e a Bela’ e a nova temporada de ‘Vai Tudo Abaixo’ são apenas duas entre muitas novas propostas?
Sim, estamos a preparar outros programas. Nós o que fizemos foi estabilizar a grelha primeiro. Não há nenhum canal que possa funcionar sem estabilizar a grelha. Uma grelha estabilizada significa que há alguma previsibilidade. O espectador sabe o que esperar do canal. E depois tentamos ter picos, momentos imprevistos, dentro dessa previsibilidade. O ‘Vai Tudo Abaixo’ e ‘A Vida e a Bela’ são produção nacional, são grandes apostas da SIC Radical, porque tudo quanto é nacional tem mais impacto junto da opinião pública e dos espectadores, e são os primeiros passos de um processo de renovação da Radical, um arejar do canal, que era um canal forte, mas que no último ano já não o era tanto. Não foi culpa de ninguém, são ciclos.
O aparecimento de novos canais desempenhou um papel nessa queda?
Sim. Os canais de séries entraram no mercado e isso isolou um pouco a Radical. Nós não podemos competir com esses canais, porque não podemos comprar as séries. Fazem parte de um line-up internacional e são exclusivos dos canais, por exemplo o caso do ‘CSI’, exclusivo do AXN. E quem não tem cão, caça com gato. Mas eu acho que quem não tem cão, também pode caçar com leopardo, ou com tigre. E é isso que estamos a tentar fazer com estes programas.

A SIC Radical passou por várias fases, com fortes apostas no wrestling ou no anime, por exemplo. Neste momento, o que se pode esperar do canal? Maior variedade de programação?
É um canal com tudo incluído. Na antena da Radical quase tudo pode acontecer. Incluindo wrestling e anime, que continuamos a ter. Mas outro tipo de programas também. Nós temos boas séries, bons reality shows, como ‘Quem Quer Ser um Super-Herói’. Em mais nenhum canal nacional poderíamos ver este tipo de programa.

Está à frente dos canais temáticos há quase um ano. Os resultados alcançados correspondem às expectativas que tinha no início?
Eu tenho sorte de trabalhar com pessoas de muito valor e a SIC é um tesouro de talentos. As promoções dos novos programas (‘A Vida e a Bela’ e ‘Vai Tudo Abaixo na América’) podiam passar em qualquer canal do Mundo e isto é feito pela SIC. O que eu fiz correspondeu às expectativas, mas posso fazer melhor ainda.

É possível a SIC Radical e a SIC Mulher alcançarem melhores resultados, com a concorrência que têm hoje?
Eu acho que é possível fazer mais e melhor, mas televisão também é muito uma questão de sorte, estar no lugar certo à hora certa. A concorrência é uma coisa boa. Quem me dera que houvesse ainda mais canais, porque a concorrência obriga a pensar. Mas imaginemos que os próximos programas que eu estrear fracassam. Não sei. Temos que ter canais suficientemente fortes para que os espectadores adiram às nossas escolhas. Ou seja, se eu gosto da SIC Radical, logo esta série que os tipos compraram deve ser boa. Mas acho que é possível crescer mais.

Em relação à SIC Mulher, houve grandes alterações?
Não, a SIC Mulher é um canal bem mais estabilizado e com muita concorrência. A maioria do público de televisão generalista é feminino e vão menos ao cabo. Estamos a assistir a um crescimento da produção de telenovelas na TVI, as mulheres também são o público maioritário dos canais de séries, portanto a SIC Mulher tem mais dificuldade, mas está a ter o melhor ano de sempre e teve o melhor resultado de sempre este ano.

E estes resultados deveram-se a quê?
Criar linhas horizontais de programação. Programámos, por exemplo, uma sitcom de segunda a sexta-feira às 21h00, o ‘Will & Grace’. Isto não tem nada que saber. Fazer televisão não é uma ciência oculta. Não havia na oferta televisiva em Portugal uma sitcom e os portugueses gostam de sitcoms.

E têm mais talk shows agora...
Sim, além da Oprah Winfrey temos também a Tyra Banks. São dois talk shows que são a imagem de marca do canal. E tivemos também este ano um grande sucesso com o ‘Project Runway’, um doc-reality show, um género muito em voga nos mercados internacionais neste momento.

Voltando à SIC Radical, uma das grandes apostas do canal, o ‘Vai Tudo Abaixo’: é para continuar depois desta temporada dedicada às presidenciais nos EUA?
É sim, sem dúvida. Mas queria acrescentar uma coisa sobre a SIC Radical. O espectador português é muito mentiroso. Nas conversas que tem comigo diz que adora o ‘Daily Show’ e o ‘Conan O’Brien’, dois dos programas com pior audiência. Se eu fizesse um canal com a grande programação, com o ‘Daily Show’, os espectadores dizem que adoram o programa e a maneira como ele (Jon Stewart) critica a política norte-americana. Adoram, mas não vêem!
DA IMPRENSA PARA A TELEVISÃO
'É PRECISO SABER ENTENDER OS PÚBLICOS'
Tendo em conta que veio da ‘FHM’, como se adaptou a director de Conteúdos de um canal como a SIC Mulher?
É um trabalho como outro qualquer. Se a SIC me pedir para fazer um canal dedicado a pessoas que gostam de pinguins, eu faço.

É apenas uma questão de conhecer os públicos e gerir a programação?
É uma questão de gestão, obviamente. É preciso entender os públicos, saber fazer perguntas e respondê-las. A vida não é assim tão complicada.

SEXO E FUTEBOL
Depois da mudança de imagem da SIC Radical, o público-alvo já não é mesmo?
Não acredito em públicos-alvo em Portugal, é um País demasiado pequeno. Quando dirigia a ‘FHM’ fi-la o mais abrangente possível. Há coisas que tocam as pessoas todas, como o futebol e o sexo. E neste momento, na SIC Radical, tenho ‘O Momento da Verdade’ e a minha empregada passou a ver o canal. É o target? Claro que não, mas vê o canal. Muito importante na SIC Radical é ser um espaço de liberdade e é importante que o espectador se identifique com isso.

Ainda há programas que só podem passar na SIC Radical?
Esperamos que estes programas, apesar de só poderem passar na Radical, não sejam esquisitos a ponto de excluir público. Acreditamos que é possível ter programas diferentes, mas que não são violentos, ou escuros. Podemos ser alternativos com um tipo de televisão cómoda para o espectador, o que a SIC Radical, na minha opinião, não era nos últimos tempos. Nós queremos ter programas diferentes, mas que sejam inclusivos.
PERFIL
ESCOLHAS OUSADAS
Durante a sua carreira esteve ligado sobretudo à imprensa, como subdirector da ‘Maxmen’ e director da ‘FHM’. Na TV integrou o painel de comentadores do programa de debate satírico ‘Prazer dos Diabos’, emitido pela extinta SIC Comédia. Tem 38 anos.

24 de outubro de 2008

Sketche sobre Magalhães faz com que os Gato levem com um processo(!)

A sátira de os "Gato Fedorento", "Louvado sejas, ó Magalhães" bateu o recorde de reclamações na Reguladora. Nem todos os católicos acharam graça à reprodução da homília com um texto a bajular o computador infantil. Veja o vídeo:


Esta quinta feira, somavam-se mais de 50 queixas. Em segundo lugar está "Morangos com açúcar" (TVI), seguido de o "Momento da verdade" (SIC). "Contemporâneos", humor da RTP , por exemplo, tem duas, ambas relativas à linguagem.
"Nunca um programa, no caso, um "sketche", recebeu um tão elevado número de cartas a contestá-lo", diz fonte da Entidade Reguladora para a Comunicação Social (ERC). Está aberto um processo de averiguações. Ainda ontem, estava previsto que a SIC fosse notificada relativamente à peça do "Zé Carlos", emitida no último domingo. Esta não é a primeira vez que os "Gato" são alvo de apreciação pela ERC. O programa que tinham na antena pública mereceu duas queixas, mas o Reguladora acabou por não lhes dar provimento.
Os novos protestos apresentam-se em nome individual e o seu conteúdo vai todo no mesmo sentido: ofensa à Igreja Católica, mais concretamente, aos seus símbolos sagrados. Houve quem referisse que com o Islão haveria mais cautela na abordagem.
"Louvado seja, ó Magalhães" decalca os rituais da missa, incluindo a entrega da hóstia aos fiéis, que, na paródia, é substituído por um disco para colocar no computador. "Instalai isto em memória de mim", diz o boneco de Ricardo Araújo Pereira, usando a entoação dos sacerdotes tradicionais. É neste quadro que se ouve um discurso elogioso ao computador. Numa das rezas, é dito: "Bendito seja Sócrates que nos reuniu em nome do Magalhães".
O padre Manuel Morujão, porta -voz da Conferência Episcopal, acha "muito bem que quem viu as suas convicções mais profundas serem ofendidas se manifeste". Prossegue: "Nada é intocável, mas tem de ser tocado com algum respeito. Uma coisa é fazer humor sobre as ondas do mar e outra usar a liberdade para achincalhar". Afirmando-se "solidário, de certa forma", com quem acha que "não houve respeito para com aspectos considerados estruturais da nossa vida", deixa ainda o recado: "Não devemos transformar a contestação em propaganda ao programa".
Fã dos "Gato", D. Januário Torgal Ferreira, bispo das Forças Armadas e de Segurança, começa por perguntar se estamos a falar daquele "sketche" em o Ricardo Araújo Pereira diz "em nome do pai". Diante da resposta afirmativa, comenta: "Tenho de dizer que o vi . Habitualmente entro em colisão com determinadas formas de pensar, mas esse em nada me feriu. Quem não tiver humor que não veja".
Para o sociólogo Albertino Gonçalves, "os portugueses ligam mais aos seus símbolos do que aos feitos. O que deve ter chocado foi a cena da hóstia, por causa do que devem ter visto como profanação do sagrado". Embora lhe pareça que nem todas as queixas possam ter origem católica. "Os mais patriotas também se sentem ofendidos com este género de humor". De qualquer modo, julga que se está diante de uma "minoria que faz sempre muito barulho". O professor da Universidade do Minho classifica o trabalho do quarteto de os "Gato Fedorento" como um humor desinibido, que aprecia. E vê a quantidade de queixas como um sinal de preocupação. "Fico preocupado, porque o humor tem uma função fundamental na sociedade, e a tolerância é a medida da democraticidade de um país".
fonte: JN
vídeo: youtube

Teresa Guilherme quer ir para a TVI

Teresa Guilherme tem sido o nome apontado para estar à frente do novo ‘Big Brother’ que a TVI está a preparar para Março de 2009. "Deus queira que seja verdade. Adorava estar à frente desse ‘Big Brother’", admite ao CM a apresentadora.
"Assisti a esse novo formato em Espanha e não é nada igual aos outros. Tem umas regras novas e é muito mais divertido", explica Teresa Guilherme. E admite de imediato: "Temos sempre tendência a voltar aonde fomos felizes."
A apresentadora de ‘O Momento da Verdade’ tem um compromisso com a SIC para o próximo ano, mas passa "apenas pela produção de uma nova série de programas". "O que tinha para apresentar já está feito", declara.
A reunião que teve ontem com Nuno Santos, director de Programas da SIC, serviu exactamente para analisar as várias hipóteses de programa que Teresa Guilherme poderá produzir já em 2009. "O Nuno Santos tem umas ideias. É muito improvável que seja eu a apresentar."
Voltar a trabalhar com o director-geral da TVI é algo que Teresa Guilherme não põe de lado. E até conta ao CM: "No outro dia, encontrei o José Eduardo [Moniz] no avião, e outras pessoas da Endemol, mas não falámos sobre isso. Nem sabia que eles iam ter o ‘Big Brother’". Sobre o programa, que estreou na TVI em 2000, reconhece: "Apresentar o ‘Big Brother’ foi um excelente desafio. Os directos são sempre muito bons. Se este [‘O Momento da Verdade’] tivesse sido em directo era mais engraçado."
Apesar do entusiasmo, Teresa Guilherme garante que até ao momento não foi contactada pela TVI nem pela Endemol, "mas adorava". A TVI não comenta o assunto.

fonte: CM

23 de outubro de 2008

O que não se viu - Gravação do genérico de "Zé Carlos"

video

Autopromoção da SIC

As auto-promoções da SIC escolheram a canção “You Picked Me” dos A Fine Frenzy para um trailer de estação! O grupo A Fine Frenzy é obra de uma jovem de Seattle, de 22 anos: Alison Sudol. Apaixonada pelos mundos literários de CS Lewis e Charles Dickens, tornou-se ela própria autora antes de descobrir a música e abraçar campos tão diferentes como a música clássica e o swing, a soul e a “pop”, incluindo nas suas referencias nomes como Ella Fitzgerald, Louis Armstrong, Aretha Frankin e os Beatles. Auto-didacta no piano, começou a transformar as suas narrativas em canções, encontrando o ambiente correcto na melancolia melódica de grupos ingleses como Radiohead, Coldplay e Keane, no minimalismo de Philip Glass e, mais tarde, no fascínio móvel de artistas islandeses como Bjork e Sigur Rós. É deste histórico que Alison faz nascer os A Fine Frenzy – Arranjos hipnóticos de piano sob uma clássica melodia americana, fundidos em irresistíveis canções atmosféricas que preenchem o álbum “One Cell In The Sea”.

video

Herman José versus Fátima Campos Ferreira

Um SMS recebido de uma amiga, que por acaso é aluna de Fátima Campos Ferreira, bastou para que Herman José se atirasse a criticar a pivô do programa Prós & Contras, na gravação da sua Roda da Sorte de dia 9 de Outubro, ontem exibida pela SIC.Contactado pelo DN, o próprio humorista conta: "Por volta das onze da manhã de quinta feira, dia 9 de Outubro de 2008, enquanto leccionava numa universidade de Lisboa, a jornalista Fátima Campos Ferreira disse a 16 alunos - ipsis verbis - o seguinte: 'o Herman queimou-se a si mesmo, deixou de ter credibilidade para um talk show, é uma sorte estar ainda a fazer TV..." Tudo terá tido origem num exercício de aula que consistia em eleger os melhores comunicadores portugueses. Entre vários nomes, contavam os de Carlos Cruz e Herman José. E terá sido em relação a este que a apresentadora do programa da RTP teceu aquele comentário, que a amiga de Herman José lhe enviou."Limitei-me a reagir ao facto com alguma cáustica ironia, com duas certezas: a de que a Fátima não voltará a ter a leveza de em privado me confessar a sua 'grande admiração', enquanto me convida para o Prós e Contras, e a de que tudo o que um comunicador 'queimado e sem credibilidade' possa dizer, não chega para beliscar qualquer reputação". E, continua, "a menos que as minhas qualidades não estejam tão esvanecidas quanto isso. Nesse caso, peço humildemente desculpa - toda a gente se engana. Até as professoras universitárias".Ao DN, Fátima Campos Ferreira disse que não viu o programa e que apenas quer salientar o "grande e genial actor" que é Herman José. "Está a lavrar num grande equívoco, o que lamento pois Herman é um grande e genial actor", insistiu Fátima Campos Ferreira.O nosso jornal falou ainda com Nuno Santos, director de programas da SIC, que disse não ter visto o programa da polémica, pelo que não comentava.Quem viu ontem o programa (e terão sido uma média de 700 mil pessoas, que é audiência média) assistiu ainda ao humorista dizer que os comentário da jornalista da RTP só podem ter a ver com o facto desta ter "dor de cotovelo" por estar a gravar um programa, "onde todos adormecem", numa sala (Casa do Artista) onde já fez um programa de grande sucesso, como o Herman Enciclopédia. Herman vai mais longe e chega a insinuar que a jornalista dá uma imagem de frieza e isenção com os entrevistados, mas depois liga-lhes por trás a dizer que gosta muito deles. Daí, que Herman diga que admira Alberto João Jardim, que pelo menos esse "diz o que pensa".
fonte: DN

Gala da Luta contra o cancro na SIC Mulher

O canal por cabo dedicado ao público feminino vai transmitir esta quinta-feira, com repetições nos dias seguintes em vários horários, um evento televisivo sem precedentes subordinado ao lema "Unidos contra o cancro".
Na gala "De mãos dadas - Stand up to câncer", que teve lugar a cinco de Setembro e que agora vai para o ar na SIC Mulher, estiveram reunidas mais de 50 personalidades de renome, nas áreas da televisão desporto e música.Meryl Streep, Lance Armstrong, Scarlett Johanssen, ou Kenanu Reeves, foram alguns dos rostos que marcaram presença.
Quatro das estaçãoes televisivas norte-americanas - NBC, CBS, ABC e MUN2 - dedicaram uma hora do horário nobre em simultâneo a este espectáculo cujo único objectivo consistiu em arrecadar fundos, por forma a lutar contra a famigerada doença. Sábado pelas 22.45 horas, ou domingo às 20 horas, são dois dos dias escolhidos pela SIC Mulher para exibir o evento.
fonte: JN

Teresa Guilherme sobre "A Verdade Compensa"

A SIC pôs fim ao ‘A Verdade Compensa’, conduzido por Rita Ferro Rodrigues, e o programa, pensado para 13 episódios, nem aos cinco chegou. Teresa Guilherme, apresentadora de ‘O Momento da Verdade’, "não sabia" da decisão, mas nota que "o programa não era nada benéfico".
Por seu lado, Gonçalo da Câmara Pereira, um dos comentadores, lamenta: "Contrataram-me para 13 programas, mas só fiz quatro. Na segunda-feira, a Rita Ferro Rodrigues ligou-me a dizer que na quarta já não havia." O fadista não esconde a sua indignação em relação "à direcção de programas e à produção": "São todos uns maricas, umas senhoras."
Para Gonçalo da Câmara Pereira, o que aconteceu resume-se em poucas palavras: "A Rita e a Teresa Guilherme desentenderam-se." Mas as apresentadoras garantem "não ter havido conflito".
Ao CM, Rita Ferro Rodrigues afirma que ‘A Verdade Compensa’ "foi pensado para cimentar ‘O Momento da Verdade’. E até fomos além do projecto inicial." Já Teresa Guilherme adianta: "Se calhar concluíram que ‘A Verdade Compensa’ era prejudicial. Os concorrentes não podem ser sujeitos a juízos de valor num programa de televisão."
Certo é que a SIC contratou 13 episódios de ‘O Momento da Verdade’ à CBV. No entanto, Teresa Guilherme explica que isso "pode não corresponder a 13 candidatos". A apresentadora reúne-se hoje com a direcção de Programas da SIC para analisar novos projectos.
PALMIRA NÃO CONVENCEU
A argumentação da concorrente de ‘O Momento da Verdade’, Palmira Couto, que esteve ontem na SIC, no programa de Fátima Lopes, parece não ter convencido o painel de comentadores da tertúlia Cor-de-Rosa. "Estou cá para me justificar", começou por dizer a convidada. Mas ninguém compreendeu por que razão Palmira Couto não aproveitou o diálogo com Teresa Guilherme para esclarecer que ao afirmar achar-se "mais competente do que o seu chefe" não se referia ao seu presidente.
Quando questionada por que razão poria na "rua a maior parte" dos colegas se assumisse a presidência da Junta de Freguesia de Santos-o-Velho, Palmira defendeu-se: "Referia-me a dois colaboradores por não lhes reconhecer competência." Apesar das contradições, a concorrente revelou ter o apoio "incondicional" da população.
SAIBA MAIS
'O MOMENTO DA VERDADE'
Até agora foram exibidos oito programas apresentados por Teresa Guilherme. A SIC tem em carteira mais cinco ‘O Momento da Verdade’, produzidos pela CBV.
875 MIL
Corresponde ao número de telespectadores que assistiu à estreia de ‘O Momento da Verdade’ a 9 de Setembro. O programa foi o nono mais visto nesse dia.
CURVA DESCENDENTE
O programa nunca superou a quarta posição na tabela de audiências, lugar que alcançou em dois programas de Setembro. Em Outubro, começou em declínio.
'A VERDADE COMPENSA'
O programa, apresentado por Rita Ferro Rodrigues, convidava os concorrentes de ‘O Momento da Verdade’ a analisarem e a esclarecerem publicamente a sua prestação.

22 de outubro de 2008

Concorrente está hoje no "Fátima"

A funcionária administrativa suspensa depois de ter ido ao ‘O Momento da Verdade’ sentia-se "defraudada" por não ter podido defender-se em ‘A Verdade Compensa’, espaço de Rita Ferro Rodrigues que saiu da grelha. Hoje, a SIC dá-lhe tempo de antena no programa de Fátima Lopes.
"Estava em desvantagem em relação aos outros concorrentes. Agora vou poder esclarecer que fui ao ‘O Momento da Verdade’ para pagar uma dívida e nunca para atacar alguém", explica ao CM Palmira Couto, funcionária da Junta de Freguesia de Santos-o-Velho.
A ex-concorrente afirma "não terem interpretado bem" o que disse na TV. Quanto à resposta à questão "acha-se mais competente do que o seu chefe", Palmira Couto explica que, em termos hierárquicos, o seu chefe não é o presidente da Junta de Freguesia Luís Filipe Monteiro. "Ele é o meu presidente. Porque eu tenho uma chefe a quem estou subordinada." Agastada por ter sido afastada do trabalho, a ex-concorrente lidera um abaixo-assinado de protesto contra a sua suspensão. "Bastam 160 assinaturas. Vou obtê-las até ao final da semana", sublinha.
Luís Filipe Monteiro, líder do Executivo de Santos-o-Velho, "não comenta o programa de TV", mas nota que "o caso está entregue a quem de direito". "Isto foi desagradável para a população", afirma.
Dizendo não querer "alimentar sensacionalismos", Luís Filipe Monteiro não confirmou a existência de processo disciplinar contra Palmira Couto: "A única coisa que aconteceu foi a suspensão da actividade laboral da funcionária com direito ao vencimento. Vamos ver o que se seguirá", conclui.
fonte: CM

21 de outubro de 2008

Concorrente perde 10000€ por não dizer a... verdade

Suspensa 30 dias pela Junta de Freguesia de Santos-o-Velho depois de ter participado no programa da SIC, onde criticou o seu presidente, Palmira Couto recebe hoje a nota de culpa do processo disciplinar que lhe foi movido. A concorrente perdeu dez mil euros em ‘O Momento da Verdade’, cuja segunda parte é exibida esta noite.
Ao responder afirmativamente à pergunta ‘Considera-se uma cidadã exemplar’, Palmira Couto não falou a verdade e perdeu o jogo.
Afastada compulsivamente da Junta desde o dia 14, quando a impediram de entrar nas instalações, a administrativa de 44 anos aproveita para "tratar" da mãe, vítima de um AVC, dos "dois filhos", um rapaz de 13 anos e uma rapariga de 19, e "pôr a vida em ordem".
"Estou a encarar esta suspensão com naturalidade, apesar de não estar à espera de uma resposta tão forte da Junta. Mas tenho tido um feedback muito positivo da população. Sou quase filha da freguesia e não me tem faltado o apoio e o incentivo de todos. Até porque quem fala verdade não merece castigo!", conta Palmira que aspira liderar o executivo de Santos-o-Velho.
Desde que foi ao programa, Palmira ainda não falou com o Luís Filipe Monteiro, presidente da Junta. "Nem faço questão de o procurar, porque ele não quer falar comigo. Tenho pena, pois gosto dele como ser humano e pessoa generosa."
fonte: CM

"Agora é a Sua Vez" - Gato Fedorento in Zé Carlos

video

20 de outubro de 2008

Sara Kostov vai para a SIC

A filha de Tekas Lopes está verdadeiramente empenhada na carreira de actriz, deixando para segundo plano a moda. Depois de uma passagem pela TVI, onde fez parte do elenco de ‘Morangos com Açúcar’ – Férias de Verão V’ e da participação na série ‘Casos da Vida’, Sara Kostov não resistiu ao convite da SIC.
A Vidas sabe que a filha de Tekas vai entrar numa nova série do canal de Carnaxide que conta a história de crianças desaparecidas. Da autoria de Francisco Moita Flores, o projecto é inspirado no caso de Maddie McCann e deverá estrear a 3 de Maio (de 2009), dia em que a menina inglesa desapareceu da Praia da Luz, no Algarve.
Contactada pela Vidas, Sara Kostov preferiu não confirmar a sua ‘transferência’ para a SIC nem mesmo se vai fazer parte do elenco de uma das próximas apostas da estação, mas é certo que a actriz começará a gravar a sua participação na série ainda este ano. “Neste momento não posso falar sobre esse assunto. Digo apenas que vou entrar num novo projecto”, adianta Sara Kostov.
Mas não foi somente Sara quem quis mudar de ares. O namorado, Filipe Noronha, também aceitou o convite do canal liderado por Francisco Pinto Balsemão. Oactor entra no elenco da telenovela ‘Rebelde Way’ e faz par romântico com a actriz Maria Albergaria, que interpreta a problemática Kika.
fonte: CM

43 dias depois... 2000 visitas!

Obrigado pela preferência! O blog atingiu à poucos minutos as 2000 visitas. É um prazer ver que esta marca foi alcançada sobretudo por ter sido apenas 43 dias depois do blog entrar neste mundo da blogosfera!
OBRIGADO a todos!

19 de outubro de 2008

Destaques do "Fama Show"

Nesta semana o programa teve como temas de destaque os seguintes:
- Entrevista a Fátima Lopes - EXCLUSIVO
- Gravação do videoclip de Angélico - EXCLUSIVO
- Semi-final do Super Model of the World
- Autopromoção da SIC
- Bastidores da "Moda Lisboa"

"Podia Acabar o Mundo" > Diana Chaves arrasa

A actriz Diana Chaves trocou a TVI pela SIC, como o CM anunciou em primeira mão, e já ganhou um papel relevante na trama ‘Podia Acabar o Mundo’.
Com novo visual, Diana Chaves dá vida a ‘Cláudia’, uma médica radicada em Londres que amanhã entra em cena e que promete agitar "hábitos e consciências", contou ao CM Nuno Santos, director de Programas da SIC.
De franja e com o cabelo mais ondulado, a última contratação da estação de Carnaxide começou a gravar na semana passada, tendo já contracenado com Virgílio Castelo, Ana Padrão, Custódia Gallego, entre outros. Na trama, ‘Cláudia’ é uma mulher decidida, sofisticada, apaixonada e que esconde um segredo.
O actor Virgílio Castelo, que interpreta o vilão ‘Eduardo Morais’, tem uma ligação com a médica, a qual ficará em aberto nesse episódio. "Contracenar com a Diana, nesta primeira cena dela, foi muito simpático. É uma cena difícil. Admiro a sua capacidade de se adaptar com rapidez aos desafios", disse Virgílio Castelo ao Correio da Manhã. O actor e consultor para a Ficção Nacional da SIC garante que ‘Cláudia’ não é uma sedutora. "O papel de Diana [Chaves] será uma surpresa", explica.
A entrada de Diana Chaves em ‘Podia Acabar o Mundo’ vai, diz o consultor da SIC, "valorizar a ficção que temos". "Ela é uma jovem actriz que tem uma enorme empatia com o público", conclui.
Após a sua primeira cena, ‘Cláudia’ regressará a Inglaterra, de onde voltará algumas semanas mais tarde decidida a mudar o rumo da sua vida.
fonte & foto: CM

18 de outubro de 2008

ESTREIA HOJE - "Não Há Crise"


Sondagem > A SIC devia apostar em...

Aqui está a nova sondagem sobre a SIC. Desta vez o SIC blog quer saber a sua opinião sobre o que é que a SIC devia fazer. É muito simples: basta continuar a frase com as hipóteses. A frase é a seguinte: A SIC devia apostar em… 1) mais informação/debates; 2) mais ficção nacional; 3) mais concursos; 4) mais programas sobre o país; 5) mais humor/comédia; 6) mais desporto que não o futebol.
Participe nesta sondagem! A sua opinião é essencial.
NOTA: Cada cibernauta poderá dar mais do que uma opinião.

Destaques do "Episódio Especial" deste sábado

- Entrevista com os protagonistas de "Podia Acabar o Mundo" Diogo Morgado e Joana Seixas
- "Três Irmãs" - bastidores e entrevistas
- Cláudia Raya e Joaquim Monchique em entrevista
- Gravação das músicas para o CD RBL
- A personagem de Geraldo (Gonçalo Diniz) em "Podia Acabar o Mundo"
- Bastidores do "Negócio da China"
- Entrevista com os Commedia à La Carte
- Recta final das gravações de "Second Life"
- Festa de apresentação de "Negócio da China"
- os 16 anos dos actores da Globo e da... SIC
- A 1.ª cena de Diana Chaves em "Podia Acabar o Mundo"

"Amo-te Teresa" passa hoje na SIC

"Amo-te Teresa" um dos telefilmes produzidos pela SIC. Este filme conta nos papeis principais com a participação de Diogo Morgado, Ana Padrão, Maria João Abreu, com a participação especial de Rui Reininho entre muitos outros actores.
Hoje a estação recorda este mega sucesso de bilheteiras em horário nobre. Para os mais distraídos aqui fica a sinopse do filme:
"Amo-te Teresa" é uma história sobre amores proibidos. Regressada à vila da sua infância, Teresa uma médica desiludida com o amor, vai reviver o passado e comprometer o futuro numa paixão sem limites. Ao chegar, Teresa vai chocar com Miguel, um jovem de 15 anos que tem uma vida aparentemente normal e inocente. Miguel tem uma beleza invulgar e um grau de sensibilidade que marca qualquer pessoa. A mãe e o pai de Miguel vêem em Teresa, para além de uma amiga, uma mulher realizada e senhora de si mesma. A chegada de Teresa e a relação que vai manter com Miguel pôem a vila em alvoroço.
Um filme realizado por Ricardo Espírito Santo e Cristina Boa Vida, com Ana Padrão, Diogo Morgado, Maria João Abreu, Marcantónio Del Carlo, José Wallenstein, Isabel de Castro, Sinde Filipe, António Capelo e Maria Emília Correia.

Três mulheres essenciais no turno da noite

Três mulheres sensuais, a ganhar de 4 a 8 mil euros por mês, cativam fiéis fora de horas na TV
As madrugadas da SIC são dominadas pela sensualidade de três beldades, o trunfo da estação para ganhar o telespectador neste horário. Vanessa Palma, Raquel Henriques e Patrícia Henrique são os rostos de ‘Todos em Linha’, concurso da SIC que dá dinheiro aos portugueses noctívagos.
Apesar da hora tardia, das poucas horas de sono e das mudanças que fizeram nas suas vidas, as apresentadoras – que vão alternando os dias de apresentação – também saem a ganhar. Por mês elas auferem entre quatro e oito mil euros. De segunda a domingo, a partir das duas horas da manhã, é delas o mérito de manter o telespectador acordado, aliciando-o com os euros que pode ganhar ao participar num concurso que oferece quantias simpáticas. As estações apostam também em rostos conhecidos do público. A SIC tem Raquel Henriques, que fez ficção. O concurso da estação de Carnaxide foi a rampa de lançamento para Vanessa Palma, que após um só ‘casting’ conseguiu o lugar de assistente de Herman José em ‘A Roda da Sorte’. A gestão do tempo é o problema maior da equipa do turno da noite. Ainda assim, o saldo é positivo, como explica Vanessa Palma. “O tempo não pára nem estica, mas quando se faz o que se gosta arranja-se espaço para tudo. Todavia, o lazer e a vida social ficam prejudicados”. Todas corroboram a assistente de Herman, que também é assistente de bordo. Licenciada em Psicologia e com uma pós-graduação em Criminologia, Vanessa Palma, de 25 anos, divide o seu dia-a-dia com as funções de assistente de bordo e a apresentação do programa. A par disto tudo, ainda tem de fazer parceria com Herman José.
Para estar na SIC a horas de apresentar ‘Todos em Linha’, Raquel Henriques, de 31 anos, tem de enganar o sono. “Quando comecei com este programa ainda estava com a série ‘Cenas de Casamento’ e nessa altura dormia muito pouco, pois cheguei a sair da SIC e ir de seguida para Bucelas gravar”, conta. A equipa feminina de Carnaxide fica completa com Patrícia Henrique, de 33 anos, que gostava “de que o dia tivesse 34 horas”. Rotina é coisa que a ex-dançarina desconhece. “Todos os dias são diferentes, basta dizer que trabalho no programa em Lisboa e vou dormir ao Algarve. Concilio isto tudo com a gestão e produção de eventos”, sublinha.
Nestes concursos das madrugadas, o objectivo do formato é o mesmo: acertar nos desafios propostos nos jogos de palavras. A receptividade do telespectador tem vindo a aumentar. “São mães que tratam os filhos pequenos e que acordam a meio da noite. Vigilantes nocturnos, polícias… e também adolescentes atraídos pelos jogos. Temos um ‘feedback’ muito positivo”, revela Patrícia Henrique. Opinião compartilhada por Raquel Henriques e Vanessa Palma, que acrescenta: “E há também os desempregados, reformados…” Vanessa tem, à semelhança das restantes apresentadoras com quem divide o protagonismo de ‘Todos em Linha’, um grupo de admiradores. “Há quem me aborde diariamente no supermercado, na rua, nas bombas de gasolina, nos restaurantes, e até mesmo no site de fãs do ‘TEL’, através de e-mails”, diz-nos.
VANESSA PALMA
"VEJO POUCA TV"
Comunicadora por excelência, Vanessa Palma, de 25 anos, tem visto o seu talento reconhecido. “A TV surgiu na minha vida e adoro o que faço. Pena é que agora veja pouca televisão”, conta a apresentadora. Vanessa Palma, que já é considerada a ‘bomba’ da SIC, brilhou ainda como actriz nas séries ‘Camilo em Sarilhos’ e ‘Maré Alta’.
HENRIQUES
"FELIZ E GRATA COM O QUE GANHO"
Aos 31 anos, a actriz, modelo e apresentadora Raquel Henriques não pára. “Esta nova experiência tem sido muito positiva porque descobri que gosto bastante de apresentar”, conta à Correio TV a propósito da sua estreia em ‘Todos em Linha’, da SIC. Raquel Henriques brilhou na novela ‘Mistura Fina’ (TVI) mas nos últimos anos a SIC agarrou esta sensual mulher, que no cinema já fez furor com uma cena de nus. Ela é um dos rostos de ‘Todos em Linha’ e está “feliz e grata” com o que ganha.
PATRÍCIA HENRIQUE
BAILARINA PROFISSIONAL
“Trabalhei 11 anos como bailarina profissional”, conta Patrícia Henrique, que se estreia como apresentadora no programa ‘Todos em Linha’. Natural do Barreiro. Patrícia Henrique tem 33 anos. Também fez alguns trabalhos em participações especiais como actriz.
fonte: CM

17 de outubro de 2008

"Imagens de Marca" premiado

O «Imagens de Marca País», sub marca lançada pelo magazine de informação da SIC Notícias «Imagens de Marca», foi premiado pelo Tourfilm Karlovy Vary 2008, assinalando a segunda distinção da sua emissão sobre a República Checa por festivais de filmes de turismo.
A 41ª edição do Tourfilm Karlovy Vary distinguiu o magazine com o prémio «Melhor documentário estrangeiro sobre a República Checa».
O prémio foi entregue pelo director-geral do Czech Tourism, Rostislav Vondruska.
O prémio é «o reconhecimento internacional do Imagens de Marca», nas palavras de Cristina Amaro, coordenadora do magazine, acrescentando que «a maior prova de que fazemos um trabalho de qualidade é sermos reconhecidos dentro e fora de portas».
Foram a concurso no Tourfilm Karlovy Vary 2008 775 filmes e 438 programas multimédia.
A peça já tinha sido distinguida pelo festival ART&TUR.
fonte: JN

"Não há Crise" na SIC

Nuno Graciano apresenta este sábado programa de apanhados logo a seguir ao “Jornal da Noite”, da SIC.
Não há crise” é o nome dado ao espaço televisivo preenchido com imagens recolhidos noutros países. A estação não adianta se o programa vai ter emissão regular. Nuno Graciano conduz diariamente o “talk show” das tardes, “Contacto”, agora, ao lado de Maya.
fonte: site JN

16 de outubro de 2008

SIC com mais notícias

Entre Janeiro e Setembro de 2008, a SIC foi o canal que deu mais notícias nos seus serviços regulares de informação, enquanto a RTP1 lhes deu mais tempo em grelha.
De Janeiro a Setembro de 2008, foram 68 117 as notícias emitidas pelos programas regulares de informação da RTP1, RTP2, SIC e TVI. Tal como no ano anterior, Janeiro foi o mês com maior número de peças jornalísticas: 8 171.
As notícias emitidas nestes nove meses tiveram uma duração total superior a 1911 horas, uma média diária um pouco superior a 1 hora e 44 minutos por canal. O tempo de emissão noticiosa foi também maior em Janeiro, com mais de 222 horas. A duração média das peças jornalísticas foi maior em Maio, com 1 minuto e 49 segundos.
Quanto à audiência média das notícias destes programas informativos, Janeiro foi o mês mais favorável, com 9.8%. A partir daí tem sido gradual a baixa das audiências das notícias destes canais, só contrariada em Maio, quando atingiram 8.9% e em Setembro, com 7.6%. Este padrão ocorreu igualmente no mesmo período do ano anterior.
A SIC ofereceu mais notícias, com 23118, ao passo que a RTP1 lhes dedicou mais tempo em grelha, com cerca de 667 horas de duração. Neste canal, a duração média das notícias foi também a mais elevada, com 1 minuto e 51 segundos.
NOTA: As audiências expressas nesta análise referem-se apenas à audiência média obtida pelas peças jornalísticas incluídas nos programas de informação em análise. Não inclui genéricos de abertura ou fecho e é feita com base em todas as peças noticiosas independentemente da diferente duração dos noticiários.
Esta análise considera apenas os serviços regulares de informação dos canais em análise no período compreendido de 1 de Janeiro a 30 de Setembro de 2008
fonte: Marktest

Cuide das Unhas na SIC

VIP Manicure é o programa de humor de Ana Bola e Maria Rueff, que a SIC transmite todas as segundas. Veja as suas audiências numa análise da Mediamonitor.
As esculturas de nails Denise Magalhães (Ana Bola) e Maria Defina Caroço (Maria Rueff) são manicures num centro comercial e trabalham debaixo de um vão de escada do mesmo. É este o ponto de partida para a série de humor VIP Manicure, que a SIC transmite todas as segundas...
O primeiro programa transmitido no dia 8 de Setembro, detém o melhor registo com 12.1% de audiência média e 29.7% de share. Em situação inversa encontra-se a emissão de 6 de Outubro com 7.2% de audiência média e 17.1% de share. Nas seis emissões transmitidas até à data, o VIP Manicure regista 10.2% de audiência média e 23.9% de share.
No perfil de audiência, destaque para o Interior do país, onde o VIP Manicure regista a melhor adesão. Por classe social, esta série obtém o melhor consumo junto das classes mais baixas com um valor acima dos 30%. Por Género, sobressai a população Feminina que foi responsável por 57% da audiência do programa. Por faixa etária, os indivíduos com mais de 64 anos são os que mais apreciam as aventuras de Ana Bola e Maria Rueff.
fonte: Marktest

15 de outubro de 2008

Solange F. na «Tertulia Cor-de-Rosa» do "Fátima"

A antiga apresentadora da SIC Radical, Solange F., integra a partir desta quinta-feira o painel de comentadores da imprensa cor-de-rosa do programa de Fátima Lopes.
Esta rubrica, que desmonta muitas das notícias publicadas pelas revistas, é o espaço com maior audiência do “Fátima”, importante até na conquista de espectadores para o “Jornal da Tarde”.
Solange F., que ficou conhecida ao apresentar o “Curto Circuito”, também passou pelo canal SIC Mulher, onde participou no programa de debate moderado por Ana Marques, “Elas sobre eles”, com Luísa Castel-Branco e Guida Maria.
fonte: JN

Duplos fazem cenas perigosas em "Podia Acabar o Mundo"

A herdade da Barroca d’Alva recebeu ontem as gravações de uma cena que acaba em tragédia na novela ‘Podia Acabar o Mundo’, da SIC, quando Inês’ (Maria Botelho Moniz) perde o filho que esperava de ‘Zé’.
‘Vitória’ (Cláudia Vieira) entra em desespero com a morte do pai e tenta o suicídio numa arena frente a um touro. ‘Inês’ vai em seu socorro e é colhida. As personagens de ‘Inês’ e de ‘Vitória’ foram dobradas nestas cenas por Bárbara Cruz, de 16 anos, e Diogo Pereira, de 19 anos, forcados do Barrete Verde. "No fim de uma pega ficam sempre umas mazelas", confessaram os duplos.
Noutra cena, ‘Rodrigo’ (Diogo Morgado) entra no redondel para ajudar a prima. No hospital é confirmado o aborto. "Pelo menos serviu para a ‘Inês’ e o pai reatarem a relação", revela a actriz.
fonte: CM

14 de outubro de 2008

WOW passeia Gato Fedorento

A Wow Brand Impact acaba de implementar, para a SIC, uma campanha publicitária alusiva ao novo programa dos Gato Fedorento, «Zé Carlos».
A iniciativa tem a duração de duas semanas, envolve duas equipas de quatro Look Walkers que percorrem Lisboa e Porto, e conjuga outdoors móveis com bluetooth.
Como não podia deixar de ser o humor domina em toda a comunicação com cada um dos Gato a incentivar o uso do bluetooth. «O último a ligar o bluetooth é mariquinhas», afirma Ricardo Pereira, ou «Quem não liga o bluetooth é um ovo podre», nas palavras de Tiago Dores, são duas das frases que se podem ler nos outdoores móveis (Look Walkers).
fonte: Briefing

No "Momento da Verdade" rompe casamento mas não a amizade

O fim do casamento e uma dívida ao banco foi quanto custou a Palmira Couto, administrativa na Junta de Freguesia de Santos-o-Velho, ter sido fiadora na compra da casa do cunhado. Apesar de uma mão cheia de problemas, Palmira, mãe de dois filhos, não abdicou da boa disposição nem da benevolência e continua a incluir no círculo de amigoso ex-marido e o ex-cunhado. Palmira Couto é a sétima concorrente de ‘O Momento da Verdade’, na SIC.
Com dois filhos para criar, Palmira, de 44 anos, e o ex-marido, Carlos Couto, continuam a pagar todos os meses ao banco a casa onde vive Paulo Cruz. Não admira pois que ela tenha respondido que "sim", teve já "vontade de bater" ao ex-cunhado. Mas, para surpresa de Teresa Guilherme, Palmira não perde o sorriso. Quem também sorri é Paulo Cruz, que, precisando de arranjar um bode expiatório, conclui: "Há um responsável por isto. Fui vigarizado pelo meu ex-patrão." E pronto! A coisa está explicada, quase ultrapassada. A família continua a entender-se e agora é uma ambição política que move Palmira: tornar-se presidente da Junta de Freguesia de Santos-o-velho em Outubro de 2009.
As eleições ainda vêm longe, mas Palmira já sabe que medidas tomar e uma delas passa por pôr "na rua a maior parte dos colegas". Segue-se o esclarecimento da futura candidata a autarca: "Estes colaboradores vieram com o presidente actual, que deixou de confiar em mim."
"SIM, CONSUMI COCAÍNA"
"Sim, é verdade que consumi cocaína nos últimos três meses." "Sim, considero-me um bom católico." "Sim, é verdade que gosto mais do meu pai do que da minha mãe." Estas são algumas das seis respostas que Nuno Maria de Figueiredo Cabral da Câmara vai dar amanhã à noite em
‘O Momento da Verdade’, na SIC.
Sem nunca se ter deixado tentar pela mentira, o concorrente de 36 anos, solteiro e promotor num banco nas Amoreiras, não quis concluir o programa. Ponderado o valor que já tinha amealhado e auscultada a opinião da mãe, concluiu: "Acho que foi uma experiência diferente. Estou satisfeito." Depois levantou-se da cadeira, despediu--se de Teresa Guilherme e foi abraçar a mãe, a única apoiante que continuou a ter na segunda parte de ‘O Momento da Verdade’.
MAIS DADOS
A DESCER
A 9 de Setembro, noite de estreia, ‘O Momento da Verdade’ conquistou o nono lugar na tabela de audiências. Na semana seguinte o programa subiu para o quarto lugar e aí estabilizou. Na quinta edição o formato caiu vertiginosamente para a décima posição.
POLÉMICOS
Entre os seis concorrentes que já se sujeitaram ao polígrafo os mais polémicos foram o militar Luís Carvalho, o merceeiro José Nogueira, a cigana Cátia Piedade e o vendedor Pedro Mariano.
O ORIGINAL NOS EUA
Em Janeiro de 2008 começou a ser emitido na FOX o formato original norte-americano, ‘Moment of Truth’. Desde que estreou, o programa agita a opinião pública e põe termo aos casamentos mais sólidos. ‘Moment of Truth’ é exibido na SICRadical
fonte: CM

Série inspira-se em Maddie

Francisco Moita Flores está a escrever uma série que conta a história de crianças desaparecidas e que deverá estrear, na SIC, a 3 de Maio de 2009, dia que marca o segundo aniversário do caso Maddie McCann.
"A série de seis episódios centra-se numa Brigada de Homicídios que procura crianças desaparecidas, entre elas uma menina que desapareceu numa praia e que se inspira nocaso de Maddie McCann, mas não é exactamente a mesma história, até porque não tive acesso ao processo e apenas ao muito que se relatou nos órgãos de Comunicação Social ", adianta Moita Flores.
Quanto as pistas sobre os casos que está a escrever, o criminalista e presidente da Câmara de Santarém refere que "são, por enquanto, um segredo bem guardado".
Francisco Moita Flores já tem delineadas as várias histórias que pretende exibir no próximo ano na SIC. Mas como só tem de "entregar os guiões até ao fim do ano", as gravações deverão começar apenas nos primeiros meses de 2009.
Cada um dos seis episódios relata uma história baseada em casos da vida. "Aliás, costumo escrever sobre factos reais, como aconteceu com ‘Ballet Rose’, ‘Alves dos Reis’ , ‘Capitão Roby’ e ‘O Processo dos Távoras’ séries já exibidas na SIC e na RTP 1", conclui.
PORMENORES
‘CAPITÃO ROBY’
Um dos maiores galãs portugueses conseguiu enganar várias mulheres com promessas de casamento. A série foi exibida na SIC nos anos 90.
fonte: CM

"Zé Carlos" subiu em relação ao primeiro programa

O segundo programa de os “Gato Fedorento”, na SIC, registou um resultado francamente superior à estreia. No último domingo, “Zé Carlos” obteve 14.6 de audiência média e 34.8% de quota de espectadores, situando-se na tabela, logo a seguir à telenovela “A Outra”, da TVI, que liderou o top, com 17.4% e 41.7%.
Na edição inicial tinha-se ficado por 10.7% e 25.6%, respectivamente. O valor atingido no segundo programa já coloca a equipa de humoristas na linha do seu melhor obtido na RTP. Com “Diz que é uma espécie de magazine”, na última temporada na estação pública, pontuaram: 12.8% e 32%.
No que respeita a conteúdos, o programa de anteontem voltou a ter como tónica a política e seus protagonistas, não poupando desta vez o Presidente da República Cavaco Silva. Também José Sócrates voltou a estar na berlinda.
A personagem do primeiro-ministro esteve na cadeira do “Momento da verdade”, o mais polémico formato desta rentrée. Os humoristas acrescentaram ao seu título “socialista”. Este “sketche” já tinha merecido anúncio aquando da estreia. Já nessa altura se fazia adivinhar a passagem do governante pela cadeira da verdade.
fonte: JN

As audiências de Podia Acabar o Mundo, da SIC, estão longe de beliscar os valores alcançados pelas telenovelas da concorrente TVI. São praticamente 30 pontos de share que separam a ficção onde Diogo Morgado é protagonista (cerca de 15% de share) de Feitiço de Amor e Olhos nos Olhos (as duas rondam os 45%).
"O feedback que tenho tido sobre Podia Acabar o Mundo tem sido muito positivo", começou por explicar Manuel Arouca, autor da telenovela portuguesa da SIC, ao DN. E a receptividade da história por parte do público que vê televisão? "Há que ter paciência... Estamos a acreditar no produto. Temos a esperança e a convicção de que a telenovela ainda vai agarrar mais os espectadores. Temos uma telenovela forte, diferente...", reforçou Manuel Arouca, confiante no trabalho que tem estado a desenvolver.Quanto às fracas audiências da ficção de horário nobre da SIC, o autor preferiu não dar opinião. "Eu não tenho acesso a esse tipo de análise. A única coisa que posso dizer é que, como em todas as coisas, as dificuldades se ultrapassam com muito trabalho", afirmou, realçando logo de seguida: "Uma telenovela é o trabalho de uma grande equipa, que envolve direcção de programas, produção, actores, técnicos... Trabalhamos sempre, independentemente dos resultados."
E como inverter esta situação?
"Desde o início que existe uma estratégia montada. As histórias vão ficar cada vez mais fortes", explicou. "Neste momento existe uma diferença de 20 episódios entre a escrita e a transmissão. Ainda esta semana vai ser falada a questão dos casamentos entre pessoas do mesmo sexo e o jogo Portugal-Suécia, por exemplo. Haverá mais actualidade na telenovela. Mas esta era uma estratégia que estava montada desde o início", revelou Manuel Arouca.
Contudo, e apesar de os resultados ainda não serem os desejados, o autor de Podia Acabar o Mundo não está desiludido, sobretudo com o resultado final. "Estamos muito contentes com a qualidade do produto. Tenho pena que a comunicação social não faça uma crítica às telenovelas, como já se fez. Gostava de ver os media a analisar a qualidade da ficção que se faz...", disse ainda Manuel Arouca em jeito de sugestão.
fonte: DN

Herman aplaudiu a sátira ao presidente

"Absolutamente glorioso. Até mandei um sms ao Ricardo [Araújo Pereira]." Foi desta forma que Herman José reagiu, segundo contou ao DN, logo no domingo à noite, quando viu o Presidente da República ser caricaturado em dois sketches pelos Gato Fedorento, em Zé Carlos, na SIC.
No primeiro, tomando como ponto de partida o discurso das comemorações do 5 de Outubro, que pôs a dormir o ministro das Obras Públicas, Mário Lino, Cavaco Silva - inspirado no Vitinho (boneco animado que mandava as crianças para a cama) - toma o nome de Cavaquinho, enquanto uma voz canta. Mais adiante, num segundo sketch, para reforçar a ideia de que o discurso do Presidente "continua a dar sono", segundo Ricardo Araújo Pereira, o quarteto de humoristas recuperou as suas declarações sobre umas vacas que terá ordenhado. No mesmo sketch eis que entra uma vaca que questiona porque não falar de economia, crise... ou até de gajas. E de novo são aproveitadas as declarações de Cavaco Silva, desta vez, no Portugal Fashion, sobre 20 caras bonitas a passar a "um metro de distância dos nossos sapatos". Questionado se faz sentido caricaturar Cavaco Silva, Herman José responde: "Não só faz sentido, como é essencial e muito didáctico. Este Presidente era primeiro-ministro quando a RTP me censurou o Humor de Perdição, na RTP."Foi também este humorista que protagonizou uma polémica com o anterior presidente da República, Jorge Sampaio, ao parodiar com o facto de o seu segurança pessoal ter sido apanhado, alegadamente, com uma mala de droga. Instado a recordar o que se passou, Herman responde: "Só me lembro das coisas boas, e a presidência de Jorge Sampaio não me deixou boas recordações. Nem a mim, nem imagino que a Ferro Rodrigues", acrescentando ter dúvidas sérias se Sampaio e a mulher lhe perdoaram. "Pelo menos fizeram um bom trabalho: continuo - apesar de ser comendador da República - proscrito de todas e quaisquer comemorações oficiais", atira.À questão "acha que Sampaio não tem sentido de humor?", Herman responde: "Todos têm muito sentido de humor, desde que os visados não sejam eles próprios." E Cavaco Silva? "Isso é uma pergunta ou é uma piada?", brinca o humorista, que acredita que "em democracia ninguém está acima da paródia". Outros episódios revela que terá a "alegria de os contar todos em livro, oportunamente".Relativamente ao futuro, Herman está seguro: "Eles viveram ao meu lado mais de seis anos. Sabem muito bem do que a nossa democracia gasta, e os riscos que correm! Vivam os Gato!", que foram vistos por 1,4 milhões de pessoas.
fonte: DN

12 de outubro de 2008

SIC em 1.º com um share de 33,7%

A SIC recuperou ontem o 1.º lugar dos canais mais vistos em Portugal. A estação beneficiou da transmissão do jogo de futebol de apuramento para o Mundial 2010. O canal de Carnaxide ficou em 1.º lugar com um share de 33,7% seguindo-se da TVI com 28,5%. A RTP 1 conseguiu 19,7% e a RTP 2 conseguiu 3,2%.
A SIC coloca 3 programas no Top 5 sendo que estes estão em 1.º, 4.º e 5.º lugares. No primeiro lugar ficou o jogo de apuramento com um share de 56,6%. Em 4.º lugar ficou o “Jornal da Noite” com um share de 34,2%. No 5.º lugar do Top 5 ficou a estreia dos “Apanhados na SIC” com um share de 27,0%.
fonte: Marktest

11 de outubro de 2008

Portugal joga hoje com a Suécia

A Selecção Nacional de Portugal joga hoje mais um jogo de apuramento ao Mundial 2010 que se realizará na África do Sul.
O jogo é disputado em terras suecas e terá transmissão na SIC.
Suécia-Portugal joga-se hoje a partir das 19h com transmissão em DIRECTO E EXCLUSIVO na SIC.

Nome de Fátima Lopes utilizado indevidamente numa campanha de falso Marketing

Um grupo de vendas agressivas usou indevidamente o nome do rosto das manhãs da SIC, Fátima Lopes, para aliciar clientes a irem receber um prémio. "Já formalizei uma queixa por terem utilizado o meu nome. Há que denunciar. Essas pessoas não podem ficar impunes", avançou ao CM a apresentadora do programa ‘Fátima’, alertando: "Não acreditem em quem promete prémios!"
"Geralmente, os telefonemas que prometem prémios são feitos por grupos de vendas agressivas. Aconselho as pessoas a estarem muito atentas para não serem pressionadas, sujeitas a lavagem cerebral e, por vezes, levadas a assinar os documentos que eles querem", alerta Fátima Lopes.
Neste caso, que envolve o nome da apresentadora, uma telespectadora do programa ‘Fátima’ ligou para a SIC para confirmar se Fátima Lopes iria entregar um prémio que lhe fora prometido através de um telefonema para casa. Esse alerta despoletou a identificação do grupo de vendas agressivas que, recorda a apresentadora, "estava a tentar ludibriar essa senhora, a quem pretendiam vender um colchão de seis mil euros".
"A telespectadora, uma senhora de idade, recebera indicação do grupo de vendas agressivas para ir sozinha, ou com o marido, levantar o prémio, que lhe seria entregue por mim. Em vez dela foi ao local uma equipa de reportagem da SIC, fazendo-se passar por neta e filho da senhora. Desconfiados ao verem pessoas jovens, deram-lhes o prémio – vales para uma viagem –, mas desmentiram terem dito à compradora que eu estaria presente. À espera desses vendedores estavam polícias à paisana, que os identificaram. Depois, formalizei a queixa", explica ao CM Fátima Lopes.
fonte: CM

"A vida e a bela" na SIC Radical

São 10 as anónimas finalistas de um concurso da FHM. Objectivo? Ser capa da revista masculina. A SIC Radical vai mostrar a fase de "castings" e sessões fotográficas, em jeito de "doc-reality", no programa "A vida e a bela". Veja o video.
Ana Ferreira, Sofia Hilário, Filipa Páris e Sandra Figueiredo são algumas das aspirantes a modelos que concorrem, no fundo, por uma oportunidade de lançamento na carreira. Um lugar de destaque na FHM pode constituir um impulso decisivo para que se cumpram os seus intentos. A partir da próxima quarta-feira, pelas 22 horas, poderá ter acesso às imagens que decalcam todo o processo de selecção.
Sandra, de 26 anos, é oriunda de Aveiro e encontra-se a tirar o doutoramento na área da Psicologia. O investimento na formação académica consistiu na prioridade que adiou o sonho. "O meu barco estava ancorado, mas a fotografia sempre me fascinou. É uma forma de imortalização", releva.
Assume que vencer o concurso "é uma plataforma" que lhe pode abrir muitas portas, nomeadamente a da televisão: "Gostava de ser apresentadora", confessa. Sandra admite ainda, sem pruridos, que na sua senda está também "amealhar dinheiro", uma vez que "a questão financeira tem um enorme peso".
Através de "A vida e a bela" a SIC Radical inaugura um novo género de produção própria que conjuga documentário com "reality-show", de onde deriva o conceito de "doc-reality".
fonte & foto: JN

10 de outubro de 2008

Audiências do 1.º "Zé Carlos"

Zé Carlos é o novo programa dos Gato Fedorento na SIC. A MediaMonitor analisa as audiências da estreia.
O novo programa do colectivo Gato Fedorento, transmitido na SIC, manteve um formato semelhante ao Diz que é uma Espécie de Magazine. No Zé Carlos, Ricardo Araújo Pereira convida os outros Gatos (Diogo Quintela, Tiago Dores e Miguel Góis) para falarem sobre o que de mais importante se passa na actualidade, sempre com a habitual sátira, humor negro e irreverência que os caracteriza.
O primeiro programa foi exibido a 5 de Outubro, domingo, cerca das 22 horas, e alcançou 10.7% de audiência média e 25.6% de share. Foi visto por um total de 1.855.000 espectadores que viram em média cerca mais de 54% da duração total do programa que corresponde a um consumo por espectador de 23 minutos.
O primeiro programa registou maior afinidade junto dos indivíduos da Classe A/B (alta e média-alta) e junto da população entre os 25 e 34 anos. Por outro lado, a pior afinidade manifestou-se sobretudo entre a população com mais de 55 anos, quando comparada a audiência média do universo com a audiência do alvo.
Análise realizada pela MediaMonitor com base em dados retirados do MMW/Telereport.

7 de outubro de 2008

Diana Chaves brevemente na SIC

A actriz que debutou nas lides da representação em "Morangos com açúcar" e que desde então tem consolidado a sua carreira nas novelas de produção nacional da TVI, estação com a qual mantinha um vínculo de exclusividade, está de malas aviadas para Carnaxide.
O contrato de Diana Chaves com a TVI expirava após a conclusão das gravações de "A outra", trama que elencava, o que já sucedeu, pelo que transitou para a SIC por forma a integrar a história de "Podia acabar o mundo", novela lusa, da autoria de Manuel Arouca, recentemente estreada na grelha do terceiro canal.
A participação da actriz na produção que está a cargo da SP Televisão deverá acontecer, mais para a frente, numa fase posterior da novela.
fonte: JN

SIC 16 anos

video

SIC em 3.º no 16.º aniversário

Em dia de aniversário e com a programação actual a SIC ficou-se pelo 3.º lugar uma vez que a RTP 1 transmitiu um jogo de futebol da Liga Sagres. Sendo assim a TVI continua líder com 32,7% seguindo-se a RTP 1 com 31,2%. A SIC não ultrapassa a casa dos 20% tendo alcançado 18,4%. A RTP 2 ficou-se pelos 5,3%.
No top 5 a SIC nenhum programa. O programa mais visto do dia ficou em 10º lugar e foi “Vip Manicure” com um share de 17,1%.
fonte: Marktest

Sexo, Drogas e muito mais...

É viciado em jogo? Alguma vez esteve dependente de substâncias ilícitas? Já pagou para ter sexo? Estas são algumas das perguntas a que Nuno Câmara, o novo concorrente do Momento da Verdade, vai hoje responder. Com 36 anos, Nuno Câmara é solteiro e vive com a sua mãe, de 72 anos. Tem um passado ligado à cocaína e admite perante as câmaras ser viciado em jogo. "Adoro jogar. Já perdi quantias que me fizeram falta", afirma o concorrente. Na pergunta seguinte, Nuno Câmara confessa que inclusivamente gastou a herança do seu pai no jogo. "Sinto-me arrependido. Tive um percurso da minha vida em que fiz más opções, fiz maus negócios. Foi uma fase má", diz o participante.A trabalhar como promotor externo do Deutsch Bank das Amoreiras, em Lisboa, Nuno Câmara afirma que não tem vergonha de viver às custas da mãe, uma das primeiras perguntas colocadas por Teresa Guilherme e confirmada pelo polígrafo. O concorrente justifica a sua resposta dizendo que não vive às custas da mãe e que anda à procura do seu espaço. E confessa, noutra pergunta, que esconde coisas da mãe para não a decepcionar. No entanto, foi Maria Emília, a mãe de Nuno, que o ajudou a largar o vício da cocaína. "Deixava-lhe bilhetes na cama que diziam: Quando quiseres fazer um tratamento, avisa-me que eu ajudo-te. Houve um dia em que quis, não ficou curado mas ficou uma porta aberta", relembra a mãe.Depois de admitir que nunca teve um relacionamento estável, Nuno Câmara confessa que não considera a sua vida sexual satisfatória e, em conversa com Teresa Guilherme, diz que não é a "pessoa mais experiente do mundo". A apresentadora aconselha-o, inclusive, a comprar uma boneca insuflável... No entanto, o concorrente afirma que já pagou para ter sexo. Quando Teresa Guilherme pergunta se lhe a agrada a ideia de estar numa cama rodeada de virgens, Nuno Câmara responde não, argumentando que se considera uma pessoa normal. A grande surpresa é a resposta à pergunta 12: Alguma vez pensou que poderia ser homossexual? Nuno Câmara diz que sim e o polígrafo confirma. As explicações ficam para o programa da próxima semana.
fonte: DN

No próximo "Momento da Verdade"

Nuno Maria da Câmara, o concorrente que esta noite conta a sua história de vida em ‘O Momento da Verdade’, da SIC, é primo-irmão de Nuno, Gonçalo e Mico da Câmara Pereira e de Miguel Pais do Amaral.
O candidato, de 36 anos, vive às custas da mãe, Maria Emília, de 72 anos, depois de ter estourado no jogo e em cocaína a fortuna que o pai lhe deixou.
Nuno também não esconde a falta de sorte no amor e a pouca experiência sexual. "Mas tenho fé de que ainda vou encontrar uma mulher para mim", adianta.
Enquanto não aparece a cara-metade, Teresa Guilherme sugere-lhe a compra de uma boneca insuflável e diz: "A sua vida amorosa é um deserto e a sua vida sexual uma seca." Quando a apresentadora lhe pergunta se pagou para ter sexo, Nuno diz constrangido: "A minha mãe está ali. Está toda a gente a ouvir... Sim, é verdade. Estava aflitíssimo. Não me orgulho disso."
Teresa insiste e reformula a pergunta, agora da sua autoria: "Já pagou para ter sexo com homens?" Nuno responde que não.
Maria Emília assistiu ao desenrolar das 12 perguntas com toda a serenidade, apesar de algumas serem perturbadoras, como por exemplo: "Alguma vez pensou que podia ser homossexual?" O concorrente respondeu afirmativamente. A segunda parte do programa vai para o ar na próxima semana.
Nuno da Câmara Pereira já sabe que o familiar "foi lá e que saiu com cinco mil contos (25 mil euros)", conta. O deputado-fadista confessa que não gosta que o primo exponha a sua intimidade e a da família. "Mas o que é importante é que os maus bocados que passámos sirvam de lição aos outros. Mal vai a sociedade quando esta estóica atitude tem um julgamento perverso. Não o condeno. Não acho bem ele ter concorrido, mas apenas pelo conceito do programa. É pena que os meios de comunicação, por diversas razões, tenham tendência para perverter a dádiva que é as pessoas revelarem e mostrarem à sociedade o que são e o que tiveram de vencer para chegar onde estão", conclui Nuno da Câmara Pereira.
TÊM UM BISAVÔ EM COMUM
Nuno da Câmara Pereira, deputado do Partido Popular Monárquico, eleito nas listas do PSD, explicou ao CM a relação familiar com o concorrente e também os laços que o ligam a Miguel Pais do Amaral, antigo dono da TVI e agora responsável pela grupo editorial Leya. "O Nuno é meu primo--irmão por parte do pai e também primo direito do Miguel Pais do Amaral, por parte da mãe. O Miguel é Figueiredo Cabral da Câmara por parte da mãe e Amaral pelo pai. Ou seja, a mãe dele é prima-irmã do meu pai". Os três primos descendem de D. Nuno Maria Figueiredo Cabral da Câmara, bisavô nascido em 1850. O deputado adianta ainda que o participante de ‘O Momento da Verdade’ "pertence à família dos condes de Belmonte" e recorda que ele "teve problemas de saúde quando era miúdo e depois meteu-se por caminhos por onde não devia".
DEBATE PODE NÃO SER EXIBIDO
O deputado e fadista Nuno da Câmara Pereira conta ainda ao CM que ‘A Verdade Compensa’, programa que deveria ir para o ar amanhã às 22h30, na SIC, e no qual o irmão Gonçalo participa como comentador, "foi anulado... é que ele [o concorrente] é primo do Pais do Amaral e isso diz tudo". O formato, moderado por Rita Ferro Rodrigues, ainda ontem constava da grelha da SIC. A estação referiu ao nosso jornal que "as actualizações diárias são feitas com 48 horas de antecedência". No entanto, o CM sabe que caso o concorrente queira o programa não será exibido.
PORMENORES
TUMOR
Aos 17 anos foi-lhe detectado um tumor na cabeça. Não foi operado, fez radioterapia. Esta foi a experiência mais marcante da sua vida.
SEPARAÇÃO
Tinha 12/13 anos quando os pais se separaram. Ficou a viver com a mãe, mas dois anos mais tarde mudou-se para casa do pai e dos avós.
DOENÇA
Tinha 21 anos quando o pai adoeceu com um linfoma, acabando por morrer no hospital.
JOGO E DROGA
Após a morte do pai, entrou no mundo do jogo e na droga. Hoje, aos 36 anos, garante que já não se droga e colabora com um banco alemão, em Lisboa.
fonte: CM

6 de outubro de 2008

"Os Donos da Bola" - Gato Fedorento in "Zé Carlos"

video

Genérico do Zé Carlos

video